Brasil

Richarlison diz que irá procurar tratamento psicológico e desabafa: ‘Só queriam meu dinheiro’

Vivendo má fase, Richarlison revela drama pessoal e faz desabafo após vitória por 1 a 0 da Seleção no Peru

Diante dos microfones, Richarlison descarregou todo o peso do que são meses e meses de cobranças por seu desempenho em campo pela Seleção e pelo Tottenham, na Inglaterra. Em entrevista na zona mista após a vitória por 1 a 0 da Seleção sobre o Peru, nesta terça-feira (12), no Estádio Nacional, em Lima, o atacante desabafou e foi sincero sobre todos os problemas que têm enfrentado em sua vida.

Richarlison disse que sofre com problemas extracampo há alguns meses e que irá buscar ajuda psicológica quando retornar a Londres. Uma declaração forte já na madrugada desta quarta (13). O atacante ainda explicou o desabafo que teve em Belém, quando saiu de campo às lágrimas.

– O desabafo lá foi mais pelas coisas que não estavam acontecendo. Estava fazendo tudo correto e na hora de fazer as coisa que eu queria, acaba que não sai muito bem. É como falei. Isso reflete as coisas fora de campo. O extracampo não estava muito bom. Graças Deus, já melhorou. As pessoas que estavam perto de mim só de olho no meio dinheiro, botei para ralar. Eu vou procurar ajuda psicológica na Inglaterra. É importante estar bem focado para as coisas acontecerem novamente.

Questionado sobre quais seriam esses problemas, o atacante preferiu evitar dar mais detalhes. Apenas repetiu havia pessoas que moram em sua casa e que só estavam interessadas em seu dinheiro, mas garantiu também que as coisas já “estão se acertando”.

– Eu prefiro deixar para outra hora. As coisas estão se acertando. É mais pessoas que estavam próximas de mim, que moravam na minha casa, pessoas que só queriam meu dinheiro. Só isso – disse o atacante.

Richarlison deixou o Estádio Nacional de ânimo renovado, mesmo após ter visto o que seria um gol tão importante para a sua carreira (e sua vida) ter sido anulado pelo VAR. O árbitro demorou longos seis minutos até invalidar a jogada.

Lágrimas em Belém

Richarlison já havia vivido um desabafo particular durante a goleada por  5 a 1 sobre a Bolívia, em Belém. O camisa 9 deixou o campo abatido e chorou no banco de reservas após ser substituído por Matheus Cunha aos 24 do segundo tempo. Lágrimas que não tiveram a ver com a substituição, em si, mas com a bola que teima a quase nunca entrar há meses. Na partida, ele teve duas grandes chances, mas parou no goleiro rival.

Na Seleção, aliás, Richarlison segue com respaldo. Ele ganhou o abraço de todos após a partida e segue bancado por Fernando Diniz. Abraços, aliás, foram rotina para o camisa 9 nos dias que passou em Belém. O  atacante, aliás, encontrou um ambiente propício para voltar a sorrir.

Seleção e Diniz abraçam Richarlison

As lágrimas foram seguidas de uma onda de carinho e apoio para que um jogador tão conhecido por seu carisma voltasse a sorrir. Ainda no gramado, a torcida seguiu requisitando selfies e fotos ao atacante. Richarlison, uma vez mais, retribuiu o carinho.

Depois, foi a vez dos companheiros e do técnico Fernando Diniz o abraçarem na reclusão do vestiário. O treinador garante que todos o acolheram para iniciar a retomada ali mesmo no Mangueirão, minutos após o fim da partida.

— Todo mundo acolheu, a torcida também acolheu o Richarlison. Ele desperta isso no torcedor brasileiro, esse carinho. A gente vai fazer de tudo para que ele possa manter tranquilidade. Ele é um jogador vitorioso, e a bola vai entrar a qualquer momento – afirmou o técnico Fernando Diniz após a partida.

O momento de Richarlison

Muito questionado no Tottenham, Richarlison até marcou recentemente, Foi no empate em 1 a 1 com o Fulham, em 29 de agosto, pela Copa da Liga Inglesa. O problema é que este foi o único gol dele no intervalo de quatro meses, É verdade que tivemos neste meio tempo o período de férias e depois de pré-temporada.

Mas o último gol oficial dele havia sido marcado no longínquo 30 de abril deste ano. Na ocasião, ele marcou na derrota por 4 derrota por 4 a 3 do Tottenham para o Liverpool. Tanto Tottenham quanto a Seleção sentem falta de seu camisa 9.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo