Brasil

Novo protesto da torcida no CT é só mais um capítulo da crise do Vasco

Depois de mais uma goleada, torcedores do Vasco protestaram e cobraram o elenco pela segunda vez em pouco mais de um mês no CT Moacyr Barbosa

A crise do Vasco teve mais um capítulo. Na manhã desta quarta-feira (05), três dias depois da goleada histórica sofrida para o Flamengo, um grupo de torcedores protestou e cobrou os jogadores na entrada do CT Moacyr Barbosa. Além dos atletas, o presidente e ídolo Pedrinho, agora controlador da SAF do clube, também foi cobrado pelos vascaínos presentes no local, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Os torcedores levaram faixas contra o elenco e o CEO da SAF, Lúcio Barbosa. Alguns jogadores, como os zagueiros Maicon e Léo, e o volante Galdames, também foram criticados nas faixas. Vídeos divulgados nas redes sociais mostraram atletas como Rayan, Adson, Puma Rodríguez e Paulo Henrique sendo cobrados dentro dos respectivos carros.

O garoto Rayan, de 17 anos, foi um dos jogadores mais criticados pelos torcedores na frente do CT Moacyr Barbosa. Titular contra o Flamengo, o atacante teve o carro parado e abriu a janela para escutar os torcedores.

– Você é o mais frouxo desse elenco. Tem 17 anos, joga desde a base e entra com preguiça – disse um torcedor.

O que diziam as faixas de protesto?

  • “Capitão frouxo – Léo Mole Pele”
  • “Medíocres”
  • “Elenco fraco, frouxo e vagabundo”
  • “Maicon aposentado”
  • “Vergonha”
  • “Fora Lúcio”

Pedrinho chama responsabilidade em protesto

Presidente do clube associativo e, desde maio, em meio a imbróglio judicial, controlador da SAF do Vasco, após conseguir uma liminar na Justiça, Pedrinho também foi alvo dos protestos dos torcedores. O ídolo do clube parou o carro e foi cobrado no CT Moacyr Barbosa.

– Sei que você é um cara educado, mas já deu, tem que cobrar todo mundo. 6 a 1 não dá – disse um torcedor.

De dentro do carro, Pedrinho conversou o grupo de vascaínos e, mesmo recentemente no comando do futebol, chamou a responsabilidade pelo momento do clube. Além disso, também disse que a situação seria resolvida internamente.

– A gente vai conversar internamente. Acho que é um momento difícil para cara***, as decisões são tomadas lá dentro. Se vocês querem falar, eu venho falar com vocês. A gente tem uma sequência de jogos importante. É melhor vocês falaram comigo, cobrar de mim, deixar os jogadores tranquilos. Eu volto aqui e falo com vocês – disse Pedrinho para os torcedores.

Vasco vive crise e protesto não é novidade

Este foi o segundo protesto no CT Moacyr Barbosa em pouco mais de um mês. No fim de abril, após a goleada sofrida para o Criciúma, em São Januário, que culminou com a saída do técnico Ramón Díaz, um grupo de torcedores foi até o CT Moacyr Barbosa e, inclusive, entraram no local para conversas com os jogadores, comissão técnica e a diretoria da SAF.

A histórica goleada sofrida para o Flamengo deixou o Vasco na 13ª colocação do Campeonato Brasileiro, com seis pontos em sete jogos, dois pontos a mais que o Corinthians, primeiro time na zona do rebaixamento. O Vasco volta campo no dia 13 de junho, contra o Palmeiras, no Allianz Parque.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo