Brasil

O Corinthians e seu presidente precisam acordar para a realidade que bate à porta no Paulistão

Augusto Melo diz que nunca prometeu nada (será?) mas que precisa de tempo e calma para reestruturar o clube

A temporada de 2024 não tem sido fácil para o Corinthians, e isso já era esperado, principalmente pela quantidade de mudanças anunciadas envolvendo a nova gestão e a montagem de um elenco praticamente do zero. Mas, passados os primeiros jogos do Paulistão, a verdade é que com apenas cinco jogos disputados, a situação está pior do que os mais pessimistas esperavam.

Os problemas se acumulam em cima de uma presidência que, ao menos inicialmente, não se cercou de pessoas gabaritadas o suficiente para comandar áreas fundamentais do clube, e cometeu erros crassos. A única opção era recalcular a rota.

E é bem verdade que grande parte das dificuldades são produto de um acúmulo de negociações e contratos mal feitos das gestões anteriores, que agora, saem debaixo do tapete ao mesmo tempo, para que Augusto Melo resolva. 

Já é hora da diretoria encarar a lamentável realidade do Corinthians, e encerrar insinuações “fim de farra”

Rubão parecia tão eufórico e empolgado quanto Augusto Melo após a eleição. O novo diretor de futebol escolhido pelo presidente recém-eleito concedeu várias entrevistas, e em uma delas – a mais lembrada – citou os rivais Palmeiras e Flamengo, que nos últimos anos engataram uma sequência de títulos baseada na organização financeira.

— Acabou a farra de Palmeiras e Flamengo. Nós vamos brigar de igual para igual, pode ter certeza – disse à Rádio Bandeirantes.

A declaração logo ganhou as redes sociais, e até mesmo o torcedor mais apaixonado, que tem minimamente os pés no chão, tinha consciência de que as coisas não seriam tão fáceis assim. A síndrome de Alice no País das Maravilhavas não condizia com a realidade.

Depois do Corinthians receber bombardeios financeiros de todos os lados, e dentro de campo protagonizar partidas vexatórias, a ponto de perder quatro jogos seguidos e estar a beira de entrar na zona de rebaixamento do Paulistão, o discurso surrealista se mantém.

— A piada estava no passado. Agora o Corinthians não vai ser mais piada, a gente ta trabalhando muito para tirar o Corinthians dessa situação, não é fácil. Lá, sim, (anos anteriores) poderia ser motivo riso, sei que a situação é complicada, mas estamos trabalhando para isso – disse Augusto Melo em entrevista após a derrota para o Novorizontino.

Enquanto o presidente corintiano declarava o fim das piadas, São Paulo e Palmeiras disputavam o primeiro título de 2024, conquistado pelo Tricolor na mesma semana em que quebrou o tabu de dez anos sem vencer em Itaquera. Augusto reconhece a dificuldade que tem encontrado ao ocupar a cadeira mais importante do clube, mas discurso caminha mais uma vez para a ilusão e entra em conflito um time apático, perdido e desorganizado – não somente quando a bola rola.

Augusto Melo diz que não prometeu nada, mas torcedor não tem memória curta

Na terça-feira (30), logo depois da derrota sofrida para o São Paulo, a torcida do Corinthians se manifestou na Neo Química Arena. As cobranças foram direcionadas tanto ao elenco e comissão como também ao presidente alvinegro. Da arquibancada norte, setor onde ficam as torcidas organizadas, era possível ouvir que as promessas feitas pelo por Augusto Melo tinham virado obrigação.

Promessas foi o que mais fizeram. Fim da “farra dos rivais”; um time forte para brigar por títulos; reforços para cada posição (e alguns de peso); além de uma estrutura que faria o Corinthians voltar a ser campeão. O torcedor corintiano se lembra – e cobra – mesmo diante das negativas do presidente alvinegro.

— Eu nunca prometi nada, vocês nunca viram eu chegar e prometer nada. Às vezes sai aí: ‘você prometeu o Gabigol”, eu nunca prometi o Gabigol, o que eu disse é que ele tinha nossas características e tinha o sonho, fizemos um esforço enorme. Então nunca teve uma promessa que até agora eu não pudesse cumprir, gostaria que me apresentasse. Nunca prometi nada. Vocês não tem ideia de como pegamos o clube e como estamos transformando o Corinthians, então tudo que falei, e que prometi em campanha estamos colocando no clube. – afirmou.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância, paixão que se tornou profissão. Além do futebol me mantenho por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhei como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo