Brasil

Credores batem na porta de um Corinthians com caixa cheio (na teoria) e essa é só a ponta do iceberg

Com contas bloqueadas pela justiça, Corinthians pode perder quase quatro meses de valores do novo patrocinador

Se dentro do campo a vida do Corinthians está complicada, fora dele as coisas não tem sido diferentes, e ao que tudo indica levará algum tempo para que e o furacão de problemas deixe o Parque São Jorge. Isso porque nesta quinta-feira (01), o Timão teve suas contas bloqueadas pela Justiça de São Paulo por conta de processo movido pela Pixbet, antiga patrocinadora do clube.

Além dos valores a serem pagos à casa de aposta, o UOL noticiou que o alvinegro também tem uma dívida de mais R$ 200 milhões com empresários, sendo as maiores delas com Carlos Leite — que chegam no valor de R$ 62,5 milhões — e com Will Dantas, essas passando dos R$ 30 milhões.

Apesar da montante de cobranças serem do período das gestões comandadas pelo Renovação e Transparência, chapa que ficou por 16 anos ocupando a presidência do clube com dirigentes alternados, agora o problema caiu todo no colo de Augusto Melo, que assumiu o clube há menos de um mês, e terá que resolver dentro do possível todas essas questões.

Entenda o processo da ex-patrocinadora do Corinthians

Já estava na conta da diretoria do Corinthians o desembolso do valor da multa pela quebra de contrato com a ex-patrocinadora PixBet, no valor de R$ 20 milhões, por anunciar o novo parceiro do mesmo ramo, a Vai de Bet, o que era vetado por contrato. Inicialmente Augusto Melo declarou que o valor da multa a ser pago para a antiga parceira seria feito pelo recém-chegado patrocinador — o que foi desmentido.

Quase 15 dias depois, o presidente alvinegro declarou que havia se confundido e que seria o clube o responsável pelo pagamento. Como se isso não fosse problema suficiente, a Pixbet informou que não queria apenas o valor da multa, mas também a devolução dos valores adiantados de 2024 em luvas para o clube, que também somam R$ 20 milhões. Ou seja, o Corinthians tem que pagar R$ 40 milhões à antiga patrocinadora por conta do rompimento do contrato e anúncio de outra casa de apostas.

A ideia do clube foi tentar um parcelamento de todo o montante, porém a casa de apostas não aceitou e foi à Justiça pedir o bloqueio das contas do Corinthians para poder receber os valores. E o pedido foi aceito.

Segundo a determinação judicial, a nova patrocinadora, a Vai de Bet, terá que depositar os valores que seriam destinados ao Timão diretamente à PixBet. Assim, pelos próximos quatro meses o Corinthians não deve ver cair na sua conta nenhum tipo valor referente ao seu novo contrato, que até agora foi o grande anúncio da nova gestão.

Principal anuncio do Corinthians em 2024, nova patrocinadora pode ter que depositar valores à concorrente

Dívida de mais de dez anos com empresários

Além do problema entre as patrocinadoras, outra dívida foi acionada na justiça, sendo ainda mais surpreendente do que anteriores: mais de R$ 200 milhões a serem pagos aos empresários de atletas que já passaram pelo clube nos últimos anos ou que até mesmo ainda fazem parte do elenco.

Deste valor, cerca de R$ 62,5 milhões são apenas para as empresas do agente Carlos Leite, que entre outros, já esteve ou ainda está ligado à carreira do goleiro Cássio e até mesmo do treinador Mano Menezes. Segundo os documentos obtidos pela reportagem do GE, os valores são de acordos feitos entre as duas partes em 2014, sejam por contratações, renovações e direitos de imagem de atleta.

Ainda na reportagem do Uol, consta que antes da troca da presidência, Duílio Monteiro Alves teria assinado um documento de confissão de dívida, o que basicamente seria o clube assumindo que tem os débitos, não podendo questionar qualquer cobrança feita.

O ex-presidente corintiano se pronunciou e disse que esse contrato não existe e que dentro do possível ele regularizou as contas do clube, e que tudo isso será mostrado no balanço do clube. Além disso, Duílio afirmou que Augusto tem usado esses problemas como uma cortina de fumaça para os erros do começo de seu mandato e da sequência de derrotas do time no Campeonato Paulista.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo