Brasil

‘Ele se preparou para isso’: Lucca viveu tarde mágica pelo Internacional, e recebeu elogios de Coudet

Autor dos dois gols da vitória do Internacional sobre o Caxias, um deles de bicicleta, o atacante Lucca recebeu elogios do técnico Eduardo Coudet

A tarde do último sábado (3) foi mágica para Lucca. O atacante de 20 anos entrou no intervalo do jogo entre Internacional e Caxias, pela quinta rodada do Campeonato Gaúcho, e marcou os dois gols da vitória colorada por 2 a 0 — o primeiro deles, de bicicleta.

A pintura aconteceu aos sete minutos do segundo tempo. Wanderson, outro de grande atuação, colocou o lado direito da defesa do Caxias para sambar e cruzou. Lucca dominou na coxa e emendou a bicicleta no ângulo direito de Fabian Volpi, que ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

— Não podia ser diferente. Wandeco é meu irmão. Ajudou naquela assistência. Quando foi para cima ali, dominei de coxa, já sabia que era bike — contou Lucca, após a partida, em entrevista às redes sociais do Inter.

O gol de bicicleta foi inédito para Lucca no profissional. Mas, nas categorias de base, já tinha marcado desse jeito. Foi no clássico Gre-Nal válido pela primeira fase da Copa do Brasil Sub-20 do ano passado. A mesma goleira sul do Beira-Rio foi o endereço da bike descolada na meia lua da grande área.

O segundo gol de Lucca contra o Caxias, aos 15 minutos da segunda etapa, não teve tanta plasticidade, mas também foi bonito. Após a defesa grená travar Enner Valencia, a bola sobrou para o jovem atacante, que passou como quis por Alisson e deu um toque sutil, de perna direita, na saída de Fabian Volpi, para ampliar.

— Eu estou muito feliz por esses dois gols. Glória de Deus. Venho trabalhando muito. Ano passado foi um ano de altos e baixos, mas graças a Deus hoje consegui fazer esses dois gols — comemorou Lucca.

Lucca viveu altos e baixos em sua primeira temporada como profissional

Em sua primeira temporada no profissional, em 2023, o jovem atacante começou bem. Marcou seu primeiro gol já no Campeonato Gaúcho, contra o São José, e teve participações importantes, com assistências, nos jogos da fase de grupos da Libertadores. No segundo semestre, entretanto, não conseguiu aproveitar as oportunidades recebidas com o técnico Eduardo Coudet.

Até por isso, e com a chegada de Lucas Alario, Lucca perdeu espaço neste início de 2024. Antes do jogo contra o Caxias, só havia entrado aos 44 minutos do segundo tempo da goleada por 3 a 0 sobre o Ypiranga. Dessa forma, o camisa 45 sabia que o segundo tempo inteiro contra o Caxias era sua oportunidade de ouro, e aproveitou.

Coudet elogia Lucca: ‘ele se preparou para isso'

A atuação, evidentemente, deixou Coudet satisfeito. O treinador elogiou não só a atuação e os gols, mas também o comprometimento de Lucca

— Vou ser repetitivo. Tem que se preparar para jogar 90 ou cinco minutos. A gente se prepara dessa maneira. Que bom que deu certo, e que fez um grande jogo. Mas sinto que ele se preparou para isso. O gol, ainda não voltei a olhar, mas pelo menos de onde eu estava, foi bonito. Entrou em cima. São esses gols que o goleiro faz ser mais bonito, porque se atira para tentar a pegar a bola. Foi um lindo gol — disse Coudet. Ao ter o início de carreira de Lucca comparado ao seu, o treinador deu risada ao relembrar que só marcou dois gols em uma mesma partida quando já tinha 30 anos, e que nunca fez de bicicleta.

Questionado se a postura, a partir de agora, deve ser de dar ainda mais confiança a Lucca, ou de frear eventual euforia, Coudet utilizou ‘educar' como palavra-chave. Mas não só em relação ao jovem atacante, cuja postura foi reiteradamente frisada.

— Eu quero educar na alimentação, como se treina, os cuidados, tudo. Não quero, e falo de cada time em que estou, e sobretudo aqui, na Argentina e no Brasil, que o jogador aprenda a cuidar-se, comer, dar 100% no treinamento, quando sai para a Europa. Eu acho que aqui nós temos que preparar jogadores para que, se tiver que sair, já esteja preparado. Isso é educar. Falando do caso do Lucca, sinto que é um menino muito centrado, com os pés no chão. E não só o Lucca, quem não tem os pés no chão, se tiver que botar no chão novamente, esse é o meu trabalho. Mas não é o caso de Lucca e de nenhum dos jogadores jovens que tenho no grupo — ressaltou Coudet.

Resta ver o quanto os dois gols contra o Caxias vão fazer Lucca crescer na hierarquia do ataque do Inter. É difícil projetá-lo à frente de Alario, e tampouco Borré, que ainda não chegou. Mas com Pedro Henrique e Luiz Adriano contestados, o jovem formado no Celeiro de Ases tem chances de receber mais minutos daqui para frente.

Lucca pelo Internacional

  • 34 jogos (5 como titular)
  • 778 minutos
  • 3 gols
  • 3 assistências
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo