Brasil

Lucas Romero tem reestreia animadora e é esperança para ano do Cruzeiro

Volante argentino de 29 anos, Lucas Romero retornou ao Cruzeiro após quatro anos e meio e cartão de visitas foi vitória em clássico

Ídolo da torcida do Cruzeiro, o volante argentino Lucas Romero, de 29 anos, reestreou pelo clube celeste, que havia defendido entre 2016 e 2019, no clássico de sábado (3), vencido pelo time estrelado por 2 a 0, em plena Arena MRV, com gols de Zé Ivaldo e João Pedro. Uma das principais contratações da Raposa para a temporada, o camisa 29 deu um belo cartão de visitas e fez uma grande partida.

Sempre exaltado por sua raça e entrega em campo, Lucas Romero mostrou a mesma disposição de sempre, lutando muito, orientando, cobrando da arbitragem e incomodando os adversários. A postura foi de capitão, mesmo Lucas Silva e Zé Ivaldo sendo quem usou a braçadeira.

Lucas Romero não entrava em campo desde o dia 15 de dezembro, quando foi eliminado do Mundial de Clubes da Fifa com o León, do México, sob o comando do treinador argentino Nicolás Larcamón, que reencontrou “El Perro” no Cruzeiro. Depois de voltar ao clube celeste, o volante ainda fez alguns dias de trabalhos específicos antes de ser relacionado para os jogos, visto que encerrou a temporada de 2023 depois dos outros jogadores da Raposa.

Por isso, Romero ficou de fora dos dois primeiros jogos do Cruzeiro no ano, a vitória contra o Villa Nova e o empate contra o Athletic. Mas o trabalho físico feito com o camisa 29 parece ter sido de excelência e ele atuou durante toda a partida contra o Atlético, fazendo ótimo jogo.

Lucas Romero se destaca em Atlético-MG x Cruzeiro

Durante o jogo, Lucas Romero executou 45 ações com a bola, acertando 30 dos 34 passes que tentou, um índice de 88% de precisão, assumindo papel importante na saída de bola do Cruzeiro. Além da boa capacidade técnica, a agilidade e velocidade do volante foram importantes para escapar da forte marcação pressão imposta pelo Atlético em alguns momentos do jogo. Ele ainda arriscou um chute para o gol, mas mandou mal.

Lucas Romero ainda travou 14 duelos pelo chão, ganhando cinco deles. Pelo alto foram três, tendo o volante ganhado um. Romero cometeu três faltas e sofreu quatro. “El Perro” ainda interceptou duas bolas e sofreu dois dribles.

Mas a boa atuação do volante argentino vai para além dos números. Ficou evidente a evolução de Romero como jogador nos últimos anos. O camisa 29 pareceu sempre saber o que fazer com a bola e o momento certo de apertar a marcação ou fazer faltas, tudo isso sem se arriscar a levar cartões, um problema que ele tinha em sua primeira passagem pela Raposa.

Conforme o ritmo de jogo e entrosamento do volante com o restante do time for aumentando, a tendência é que “El Perro” se torne peça chave para a temporada do Cruzeiro.

Velho conhecido de Lucas Romero, Nico Larcamón elogiou a atuação de Romero na coletiva pós-jogo, sem deixar de ressaltar que o trabalho de equipe possibilitou bom rendimento individual de algumas peças.

— Hoje foi uma vitória que conquistamos em equipe. Uma humildade que, volto a falar, é um grande atributo de um time que precisa ter entrega, esforço e luta do início ao fim. Também ter caráter para jogar, não viemos com intenção de fazer um jogo especulativo ou defensivo. Fomos ao campo com a intenção de ser protagonistas e isso responde ao grande desempenho de Romero e Zé Ivaldo, mas também de muitos companheiros que fizeram um grande jogo e isso me deixa muito contente — disse o treinador do Cruzeiro.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo