Brasil

Gasolina vai do céu ao inferno e Cruzeiro, com dois a menos, empata com Athletic

Em jogo onde teve dois jogadores expulsos, Wesley Gasolina e Neris, o Cruzeiro saiu atrás em cobrança de pênalti de Jonathas, empatou com Gasolina e não conseguiu vencer na Arena do Jacaré

O Cruzeiro não saiu do empate, em 1 a 1, com o Athletic, na tarde deste sábado (27), na Arena do Jacaré, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Mineiro. Após sair perdendo em cobrança de pênalti de Jonathas, revelado pela Raposa e que fez valer a “lei do ex”, o time celeste empatou com Wesley Gasolina. Mas antes que a equipe de Belo Horizonte conseguisse impor uma pressão e busca da virada, o autor do gol foi expulso. Minutos depois, Neris também receberia o cartão vermelho, fazendo com que o time celeste terminasse a partida com dois jogadores a menos.

O resultado fez com que Cruzeiro e Athletic terminassem o dia na liderança de seus respectivos grupos, A e C, no Campeonato Mineiro. Ainda assim, ambos podem perder posições, já que todos os outros jogos da rodada acontecerão neste domingo (28).

Ainda dando seus primeiros passos no Cruzeiro, o treinador argentino Nicolás Larcamón mudou peças do time em relação àquele que venceu o Vila Nova na estreia da temporada. Zé Ivaldo reestreou pela Raposa, enquanto Ian Luccas ganhou a posição de Japa. A Raposa iniciou a partida assim;. Rafael Cabral; William, Zé Ivaldo, Neris e Marlon; Ian Luccas e Lucas Silva; Matheus Pereira, Robert e Arthur Gomes; Juan Dinenno.

Já o Athletic, que vem fazendo boas temporadas no Campeonato Mineiro e vivendo ascensão no cenário nacional, foi escalado pelo treinador Rodrigo Santana da seguinte forma: Jefferson; Ynaiã, Danilo Cardoso, Edson Miranda e Yuri; Diego Fumaça e Wallisson; Welinton Torrão, David Braga e Douglas Pelé; Jonathas.

Cruzeiro joga melhor, mas Athletic também assusta

Atuando como mandante, mas longe de Belo Horizonte, o Cruzeiro tomou a iniciativa de propor jogo, mantendo a posse de bola e chegando em jogadas construídas principalmente pelo meia Matheus Pereira. E a primeira boa chance do jogo não demorou a sair. Logo aos 6 minutos, após boa troca de passes, Dinenno, livre, tentou completar cruzamento baixo na área mas acabou furando, desperdiçando grande chance.

Dois minutos depois, o juiz marcou uma falta para o Cruzeiro na entrada da área, em posição ideal para Matheus Pereira bater. O camisa 10 da Raposa ajeitou e, na hora de cobrar, tentou mandar por baixo da barreira para surpreender o goleiro Jefferson. Feita a batida, a bola desviou e ganhou altura e a direção do ângulo do gol do Athletic, obrigando o arqueiro da equipe alvinegra a defender, mandando para escanteio.

O Athletic chegou pela primeira vez com perigo aos 11, em cobrança de falta de longe de Yuri, que passou muito perto da meta defendida por Rafael Cabral. Depois desse lance, nenhuma das equipes conseguiu se aproximar muito do gol. O Cruzeiro tentava manter a posse de bola e utilizar os lados do campo para atacar. Já a equipe de São João del-Rei buscava os contra-ataques em velocidade após erros da Raposa.

Athletic equilibra partida

Conforme o tempo foi passando, a partida ficou mais truncada, muito pegada no meio de campo e as chances diminuíram. Somente aos 24 que o Athletic viria a chegar com bastante perigo. Após cruzamento na área, o ex-cruzeirense Welinton Torrão subiu sozinho e cabeceou, mas a bola antes de tomar o rumo do gol bateu em Neris, que se recuperava na marcação, e saiu em escanteio.

Ex-Cruzeiro, Wallisson, volante do Athletic, enfrentou a equipe que defendeu durante boa parte de 2023
Ex-Cruzeiro, Wallisson, volante do Athletic, enfrentou a equipe que defendeu durante boa parte de 2023 – Foto: Staff Images/Cruzeiro

Logo depois, aos 30 e 31, Matheus Pereira teve duas chances de bater pro gol de dentro da área, mas errou os chutes, pegando mal na bola. Três minutos depois foi a vez de Robert ganhar em velocidade da defesa do Athletic após linda jogada e lançamento açucarado de Zé Ivaldo, invadir a área e perder uma ótima oportunidade ao bater cruzado para fora.

Welinton Torrão, sempre ele, voltou a ter grande chance aos 37, mas Rafael Cabral impediu o Athletic de abrir o placar fazendo uma grande defesa.

O Cruzeiro ainda teria duas chances de marcar, aos 38 e 47, com Arthur Gomes e Matheus Pereira, respectivamente. O primeiro bateu colocado, da entrada da área, para fora. Já o segundo bateu falta do lado direito com muito veneno, buscando o ângulo de Jefferson, que espalmou para escanteio. Sem nenhum dos times conseguir mexer no placar, a dupla foi para o intervalo com dois zeros no placar.

Rafael Cabral opera milagres mas Athletic abre o placar

Na volta para o segundo tempo o Athletic voltou modificado, com Robert Santos no lugar de Welinton e Luiz Henrique na vaga de David Braga, e as mudanças pareceram ter surtido efeito. Logo nos seis primeiros minutos a equipe de São João del-Rei, Rafael Cabral operou dois milagres. O primeiro deles, frente a Jonathas, foi sensacional, uma defesa à queima roupa, cara a cara, mas o lance foi invalidado por impedimento.

No lance seguinte, mais uma grande defesa do camisa 1 do Cruzeiro, que parou uma bomba de perna esquerda de Yuri. Logo depois, mais uma oportunidade para o alvinegro, quando Douglas Pelé fez boa jogada individual e bateu de fora. A bola desviou e Cabral assustou a torcida ao deixar a bola, fácil, escapar, defendendo em dois tempos.

O Cruzeiro já saia em contra-ataque após Rafael fazer a reposição quando a arbitragem parou o lance e marcou um pênalti, visto que o desvio no chute de Douglas Pelé foi no braço de Dinenno, dentro da área. Na cobrança, o centroavante Jonathas, revelado pela Raposa, bateu alto, no ângulo, sem chances de defesa para Cabral.

Aos 12, após jogada de Arthur Gomes, Dinenno chegou dividindo com a zaga e conseguiu tocar na bola, mandando no meio do gol, mas Jefferson, bem colocado, segurou.

Perdendo, Nicolás Larcamón mexeu no Cruzeiro aos 17, sacando Robert e colocando Rafa Silva. O Athletic respondeu rapidamente, sacando o machucado Diego Fumaça e o autor do gol Jonathas para colocar Luciano e Daniel Amorim. Sem novas chances de gol mesmo com as mudanças, Nico mexeu novamente aos 25, mandando Wesley Gasolina e João Pedro a campo, substituindo William e Dinenno.

Wesley Gasolina coloca fogo no jogo e empata

Após ficar onze meses sem entrar em campo por ter sofrido uma grave lesão, Wesley Gasolina voltou em ritmo acelerado. Após dar a assistência para o gol da vitória de quarta-feira (24) sobre o Villa Nova, o camisa 2 voltou a ser decisivo neste sábado. Aos 29 minutos, o ala dominou virada de jogo levou para dentro, ajeitou o corpo e bateu rasteiro, no cantinho, para empatar o jogo e fazer a torcida do Cruzeiro explodir na Arena do Jacaré.

Animado com o gol, o Cruzeiro foi para cima e esteve perto de virar o jogo com Lucas Silva, que bateu forte de fora da área, assustando Jefferson, quando eram decorridos 31 minutos. Logo depois, aos 34, Wallisson, muito cansado, deixou o campo para a entrada de Rafael da Conceição.

Quatro minutos depois, Rafa Silva ganhou no corpo da defesa do Athletic e bateu de fora com muito perigo, tirando um “uh” da torcida celeste.

Gasolina é expulso

Wesley Gasolina foi de herói a vilão em poucos minutos. Aos 42, o lateral-direito arrancou em velocidade, mas deixou a bola escapar e na hora de dividir com Luciano, chegou atrasado, por cima da bola, acertando a perna do adversário com as travas de sua chuteira. Num primeiro momento, o árbitro Vinícius Gomes do Amaral deu apenas cartão amarelo, mas o VAR o chamou para rever o lance no monitor. Após análise, a decisão foi alterada e o camisa 2 expulso, ficando suspenso para o clássico contra o Atlético-MG.

Nico Larcamón reforçou o time defensivamente, colocando Japa no lugar de Arthur Gomes. Com um a mais, o Athletic tentou fazer valer sua superioridade numérica e obrigou Rafael Cabral a trabalhar quando eram decorridos 49 minutos, após jogada individual e finalização forte, que o camisa 1 da Raposa defendeu.

Neris também é expulso

Se as coisas já estavam difíceis para o Cruzeiro, tudo piorou aos 51, quando Neris fez uma falta e recebeu o segundo amarelo na partida, sendo expulso e se tornando mais um desfalque para o clássico contra o Atlético-MG. Ainda restavam cinco minutos, visto que a arbitragem deu 11 de acréscimos, para a Raposa segurar o resultado.

Foto de Maic Costa

Maic CostaSetorista

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo