Brasil

Jejum em clássicos complica Fluminense no Carioca, e Flamengo será adversário da semifinal

Fluminense se complica no Carioca com derrotas em clássicos, aumenta jejum contra rivais para 11 jogos e terá o Flamengo como adversário na semifinal

O Fluminense perdeu para o Botafogo por 4 a 2, caiu para a quarta colocação do Campeonato Carioca e deixou de evitar um clássico nas semifinais. Mais do que isso: terá pela frente o líder Flamengo, adversário do Tricolor nas últimas duas finais, quando teve, em ambas, a vantagem pelo título da Taça Guanabara.

Mais do que deixar de repetir o que deu certo na caminhada do bicampeonato do Carioca em 2022 e 2023, o Flu voltou a jogar mal em clássicos. O jejum do Tricolor contra seus rivais chegou a 11 partidas, e incomoda o torcedor, embora o técnico Fernando Diniz afirme que isso “não impacta” a ele e ao dia a dia do elenco. 

Um pouco mais preocupado com a sequência esteve Renato Augusto, que começou o jogo como capitão do Fluminense e falou com jornalistas na zona mista após a partida.

— Chegou a hora de ganhar. Não tem para onde correr. Para ser campeão vai ter que ganhar clássico, os jogos decisivos. Temos que focar 100% no Carioca para poder chegar ao tricampeonato — opinou o meia.

Renato Augusto mostrou preocupação com momento ruim do Fluminense em clássicos - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Renato Augusto mostrou preocupação com momento ruim do Fluminense em clássicos – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Com as semifinais do Campeonato Carioca definidas, o Flu precisa mesmo voltar a vencer clássicos. A vantagem do empate nesta fase é do Flamengo, e se passar, o Tricolor enfrenta o vencedor do confronto entre Vasco e Nova Iguaçu.

O Botafogo, mesmo com a vitória, foi eliminado na primeira fase novamente e disputará a Taça Rio, torneio de consolação em que enfrentará o Sampaio Corrêa-RJ nas semifinais. O outro lado da competição terá Portuguesa x Boavista.

Fluminense não vence rivais há 11 jogos, desde abril de 2023

Já são 11 jogos sem vencer seus três maiores rivais: Flamengo, Vasco e Botafogo. São seis derrotas e cinco empates enfrentando os outros grandes clubes do Rio de Janeiro. Um retorno a momentos que incomodavam o clube e sua torcida. A última vitória do Flu sobre um rival foi o 4 a 1 sobre o Fla no segundo jogo da final do Campeonato Carioca de 2023, em 9 de abril. Quase um ano atrás.

Fluminense de Fernando Diniz viu jejum em clássicos aumentar para 11 jogos com derrota para o Botafogo, que complica campanha no Carioca - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Fluminense de Fernando Diniz viu jejum em clássicos aumentar para 11 jogos com derrota para o Botafogo, que complica campanha no Carioca – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

O técnico Fernando Diniz não tem bom retrospecto em clássicos em suas duas passagens pelo Fluminense. O rival mais vencido pelo treinador é o Flamengo. São quatro vitórias em 15 jogos, e ainda assim, Diniz perdeu mais do que venceu. Cinco empates e seis derrotas completam as estatísticas. O aproveitamento é de apenas 37,8%.

Já Vasco e Botafogo costumam complicar ainda mais o Fluminense sob o comando do ex-técnico interino da Seleção. Foram menos jogos contra os dois, já que ambos sofreram rebaixamentos durante passagens de Diniz no clube e não disputaram todas as edições da Série A do Brasileirão no período.

— [O jejum em clássicos] Para mim não impacta. Minha vontade sempre foi de ganhar todos os jogos. Temos que continuar trabalhando para melhorar para que no próximo clássico a gente vença. Temos que trabalhar e procurar fazer o nosso melhor em todas as partidas. Melhorar o que aconteceu no jogo de hoje e que não conseguimos vencer — opinou Fernando Diniz.

Aproveitamento de Diniz contra rivais do Fluminense

  • Flamengo — 15 jogos (4 vitórias, 5 empates, 6 derrotas) — 37,8% de aproveitamento
  • Vasco — 7 jogos (1 vitória, 2 empates, 4 derrotas) — 23,8% de aproveitamento
  • Botafogo — 8 jogos (1 vitória, 2 empates, 5 derrotas) — 20,8% de aproveitamento

Fluminense ainda não teve grande atuação contra adversários fortes em 2024

O Fluminense já tem até título em 2024, e logo um internacional e inédito, a Recopa Sul-Americana, conquistada sobre a LDU em um confronto inesquecível para os tricolores. Mas não por grandes atuações da equipe de Fernando Diniz. Nesta temporada, o Flu não teve uma performance boa contra os rivais de melhor nível.

Nos três clássicos que fez neste ano, o Flu teve time misto contra Flamengo e Botafogo, e perdeu os dois jogos. Contra o Vasco, com titulares, o empate por 0 a 0 teve uma atuação ruim do Tricolor. O Cruz-Maltino foi ligeiramente melhor em campo, embora tampouco tenha feito grande jogo.

Além disso, nos dois embates com a LDU, na altitude de Quito e no Maracanã, o Fluminense repetiu erros que cometeu contra os times pequenos. Se não fosse o nível técnico inferior dos equatorianos, o Tricolor poderia ter sido mais castigado.

Fluminense mantém otimismo pelo tricampeonato carioca

Para piorar, o Flu é o time com menos tempo de preparação entre os grandes do Carioca. Por ter disputado o Mundial de Clubes, o Tricolor viu seus titulares e reservas mais utilizados voltarem apenas no fim de janeiro aos treinos. Os rivais já estão desde o início do ano treinando juntos, ou seja, física e taticamente, estão em melhores condições.

Nada que tire o otimismo do Fluminense. Em evento de inauguração do novo Museu do clube, na sede social de Laranjeiras, o presidente Mário Bittencourt recebeu Rubens Lopes, presidente da Ferj, com uma brincadeira em tom de provocação aos rivais.

— Em 2022, eu disse para ele não tirar a bandeira (da sede da Ferj) que seríamos bi em 2023. Agora, repito: presidente, não tira a bandeira, que a gente vai ser tri — afirmou o presidente.

O Fluminense não é tricampeão carioca há 39 anos. A última vez foi em 1985.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo