Brasil

Enchentes afetam clubes gaúchos, que se mobilizam para ajudar vítimas

Estádios da segunda divisão do Rio Grande do Sul sofrem com alagamentos, e clubes promovem ações para auxiliar vítimas dos temporais no estado

O Rio Grande do Sul sofre com uma tragédia climática. Desde segunda-feira (29), os temporais que assolam o estado já deixaram pelo menos 29 mortos e 60 desaparecidos. 147 cidades registraram transtornos, e estima-se que 67,8 mil pessoas foram afetadas pelos efeitos do mau tempo.

Obviamente, o futebol não passou ileso. Nas redes sociais, circulam imagens do Estádio Presidente Vargas, do Internacional de Santa Maria, e do Monumental do Cristo Rei, do Aimoré, em São Leopoldo, completamente alagados. Com a água do Guaíba próxima de invadir os gramados, o Internacional decidiu fechar o CT Parque Gigante, em Porto Alegre.

A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) adiou a quinta e a sexta rodada do Campeonato Gaúcho Série A-2 — Divisão de Acesso. As partidas que aconteceriam no meio desta semana foram adiadas para o meio da próxima semana, enquanto os jogos agendados para o final de semana ainda não têm novas datas para serem realizados.

Na mesma batida, e por solicitação do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adiou a partida entre Internacional e Juventude, pela Copa do Brasil, e todos os jogos de equipes gaúchas que ocorreriam até segunda-feira (6). Ao todo, 11 duelos serão remarcados.

Jogos de times gaúchos adiados pela CBF

  • Internacional x Juventude — 01/05 (qua) — 21h30min — Copa do Brasil
  • Cruzeiro x Internacional — 04/05 (sáb) — 21h — Série A
  • Grêmio x Criciúma — 05/05 (dom) — 16h — Série A
  • Juventude x Atlético-GO — 06/05 (seg) — 20h — Série A
  • Náutico x Ypiranga — 04/05 (sáb) — 17h — Série C
  • São José x Volta Redonda — 04/05 (sáb) — 19h30min – Série C
  • Sampaio Corrêa x Caxias — 05/05 (dom) — 19h — Série C
  • Novo Hamburgo x Concórdia — 04/05 (sáb) — 16h — Série D
  • Hercilio Luz x Avenida — 04/05 (sáb) — 17h30min — Série D
  • Brasil-Pel x Barra — 05/05 (dom) — 16h — Série D
  • Internacional x Ferroviária — 05/05 (dom) — 18h — Feminino Série A-1

Clubes se solidarizam com vítimas e promovem campanhas de arrecadação

Enquanto isso, os clubes gaúchos se somam às diversas ações de solidariedade às vítimas no Rio Grande do Sul. O técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, já se manifestou na abertura de sua entrevista coletiva após o empate por 0 a 0 com o Operário, na última terça-feira (30), pela Copa do Brasil. Ele também colocou o clube à disposição do Governo do Estado do Rio Grande do Sul para colaborar com o que for possível.

— Me solidarizar ao povo gaúcho pelas vítimas, pela chuva. Falar para o nosso governador, Eduardo Leite, que o que ele precisar lá, da parte do Grêmio, a gente está acessível para podermos, de uma forma ou de outra, ajudar nosso povo. Infelizmente, mais uma vez, algumas vítimas — lamentou Renato.

O Grêmio disponibilizou quatro pontos de coleta de roupas, alimentos não perecíveis, materiais de limpeza e higinieze. Eles estão localizados no portão 6 da Arena do Grêmio, no CT Cristal e no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, e no CTF Hélio Dourado, em Eldorado do Sul, de segunda a sexta-feira. Já o Internacional promove arrecadação de donativos de quinta-feira (2) até sexta-feira da próxima semana (11), no portão 1 do Gigantinho.

O Juventude colocou o ginásio de seu Centro de Treinamento, o CFAC, à disposição da Prefeitura de Caxias do Sul para que as entidades da cidade o utilizem como julgarem necessários. Outros clubes do interior, como Caxias e Ypiranga, colocaram seus estádios como pontos de coleta para doações.

Clubes de outros estados também se solidarizaram da maneira que é possível. O RB Bragantino lançou uma thread, no X, compartilhando as ações de Grêmio, Internacional e Juventude. Já o Criciúma abriu um local de coleta na secretaria do Heriberto Hülse.

Temporais são recorrentes no Rio Grande do Sul

A crise climática do momento é a terceira que assola o Rio Grande do Sul em apenas oito meses. Em setembro do ano passado, na mais grave delas, 46 pessoas morreram, 46 desapareceram, 924 ficaram feridas e 340 mil pessoas foram afetadas de alguma forma. Na ocasião, a Trivela mostrou que clubes gaúchos se mobilizaram em corrente solidária. Em novembro, mesmo com chuvas mais esparsas, cinco pessoas morreram.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo