Copa do Brasil

Mesmo reserva, São Paulo fez o que se espera do campeão em estreia na Copa do Brasil

Tricolor sai atrás, mas vira e vence o Águia por 3 a 1 em partida com expulsão polêmica no Mangueirão

O São Paulo estreou na Copa do Brasil com a postura esperada de quem é o atual campeão da competição. Mesmo com uma escalação totalmente reserva — ainda que turbinada pela presença de Rodrigo Nestor, o herói do título em 2023 —, o Tricolor mandou no jogo do início ao fim e venceu o Águia de Marabá por 3 a 1 nesta quinta-feira (2), no Mangueirão, pelo duelo de ida da terceira fase.

A equipe de Luis Zubeldía cumpriu o roteiro de superioridade esperado contra um rival da Série D do Campeonato Brasileiro, mas a vitória fora de casa só veio de virada. O Águia abriu o placar mesmo após a expulsão de Wander, com um golaço do lateral-esquerdo Wender. Juan marcou duas vezes de cabeça ainda no primeiro tempo para virar a partida. Na segunda etapa, Luiz Gustavo deixou o seu para ampliar a vantagem e encaminhar a vaga do São Paulo nas oitavas de final.

O que aconteceu de melhor no jogo:

  • Time reserva do São Paulo se impôs e dominou o jogo;
  • Escalado como segundo volante, Galoppo comandou a equipe
  • Wander foi expulso em decisão polêmica da arbitragem;
  • o Águia abriu o placar com um golaço de Wander;
  • a reação do São Paulo foi imediata, com dois gols de Juan;

Todo reserva, São Paulo se impõe desde o início

Luis Zubeldía escalou equipe reserva para preservar seus titulares e observar novas opções em seu elenco para a sequência da temporada. E a estratégia deu (muito) certo. Mesmo com uma escalação descaracterizada, o São Paulo fez o que dele se esperava diante de uma equipe da Série D: se impôs tanto na partida, que a primeira etapa mais pareceu um jogo de um time só.

O ponto alto do São Paulo foi Galoppo. Escalado como segundo volante, o argentino ditou o ritmo e fez a equipe jogar para encurralar o Águia em seu campo de defesa. O Tricolor teve mais de 70% de posse de bola e empilhou nove finalizações nos 45 minutos iniciais. Muito, porque soube explorar as viradas de jogo e a amplitude para colocar seus laterais e extremas em superioridade para levar perigo no um contra um. Especialmente pela direita, onde Moreira se destacou como opção ofensiva. Antes de marcar duas vezes, Juan chegou a perder um gol inacreditável ao chutar na trave já sem goleiro, após rebote de Luiz Gustavo.

Primeiro tempo maluco tem expulsão, golaço e reação imediata

Mas os quatro lances capitais que mudaram a história do jogo ocorreram no intervalo de apenas 13 minutos. Aos 27, Wander foi expulso em uma decisão polêmica da arbitragem após acertar Patryck no rosto em uma disputa de bola. O árbitro foi chamado para rever o lance na cabine do VAR e optou pelo vermelho. Por ironia, o Águia abriu o placar mesmo com um a menos. Aos 34, o lateral-esquerdo aproveitou rebote de cobrança de falta e emendou um sem-pulo de primeira para acertar o ângulo e fazer um golaço no Mangueirão.

Uma pintura que saiu pela culatra. Pois o São Paulo reagiu e marcou duas vezes em quatro minutos para virar a partida em dois lances bastante semelhantes. Aos 36, Galoppo dominou pela direita e cruzou na cabeça de Juan para se redimir e empatar a partida. Aos 40, foi a vez de Moreira colocar a bola na medida para o centroavante subir e cabecear para as redes.

Nestor foi titular pela primeira vez em 2024 (Foto: IconSport)

Gol de Luiz Gustavo encaminha a classificação

Com um a mais e em vantagem no placar, o São Paulo se permitiu reduzir a intensidade na segunda etapa para administrar o resultado. Mas sem perder a superioridade, nem a vocação ofensiva. O Tricolor não correu riscos defensivos e seguiu no controle absoluto da partida, sempre com a equipe postada no campo de ataque e nas cercanias da área.

Não à toa, Luiz Gustavo corou seu retorno aos gramados após uma lesão de tendão de aquiles com um gol. Aos 17, o São Paulo fez uma bela jogada ensaiada em cobrança de escanteio. Moreira cruzou para a área, e a bola sobrou para o volante chutar forte, sem chances para o goleiro Axel. A partir daí, Zubeldía seguiu à risca o seu plano de dar oportunidades a atletas que pouco atuaram. Rodriguinho e o estreante Sabino foram a campo no segundo tempo.

Do que o São Paulo precisa para se classificar

Com a vitória no Mangueirão, o São Paulo pode até perder por um gol de diferença no duelo da volta, que ainda assim garante a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. O Águia precisa vencer por três gols para se classificar, ou por dois para levar a decisão aos pênaltis — lembrando que não há critério do gol qualificado na competição. As duas equipes voltam a se enfrentar para definir quem avança à próxima fase no dia 22 de maio, às 21h (horário de Brasília), no MorumBIS.

Os próximos três jogos do São Paulo

  • Vitória x São Paulo — Brasileirão — domingo, 5 de maio, às 16h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura)
  • Cobresal-CHI x São Paulo — Libertadores — quarta-feira, 8 de maio, às 21h30 (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Paramount + (streaming)
  • São Paulo x Fluminense — Brasileirão — segunda-feira, 13 de maio, às 19h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo