Copa do Brasil

Abel Ferreira dá indícios de que Raphael Veiga deve perder lugar no Palmeiras

Técnico do Palmeiras não tem mais como evitar a saída do jogador da equipe, ao menos temporariamente

Abel Ferreira é muito grato aos jogadores que levaram o seu Palmeiras ao patamar de clube mais vencedor e respeitado dentro de campo no Brasil. Ao mesmo tempo, dá muito valor também à hierarquia existente no elenco, que por vezes o impede de sacar alguns jogadores do time.

Mas o português não é cego. É por mais que Raphael Veiga seja um dos jogadores mais importantes desse Palmeiras ganhador de dez campeonatos sob seu comando, o treinador está percebendo que chegou a hora de o seu meia de confiança ir para o banco.

Ao menos foi isso que seu discurso deu a entender, na entrevista coletiva concedida após a vitória por 2 a 1, sobre o Botafogo-SP, na estreia da equipe alviverde na Copa do Brasil.

— O Veiga também é bom. Vocês sabem o quanto admiro os jogadores. Pensei se tiraria ele ou não, mas quis deixá-lo jogar mais 45 minutos. Se calhar, não devia ter colocado ele, mas ele está sempre disponível. Sabemos que, a qualquer momento, ele resolve um jogo. Não vou entrar nessa. Vocês sempre querem achar coisinhas. Falem do Rômulo — disse o técnico, quando questionado sobre a atuação do camisa 23.

A julgar pelos próximos compromissos do Palmeiras, é quase possível afirmar que o jogador não estará na delegação que viaja para o Mato Grosso no sábado para enfrentar o Cuiabá, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

Não é só cansaço

A situação de Raphael Veiga no time titular é um problema que Abel vem tratando de modo velado já há algum tempo. A declaração da quinta-feira (2) não foi a primeira afirmando que o meia talvez não tivesse que ter entrado em campo.

Após o confronto com o Flamengo, no último dia 21, no qual o meia foi apagado, o treinador afirmou que Veiga estava mal fisicamente. E chamou para si a culpa pela atuação abaixo da expectativa.

— A culpa é minha porque eu já deveria ter tirado há dois, três jogos e estou sempre colocando ele. A responsabilidade é minha. Nós sabemos que o Veiga a qualquer momento pode nos dar coisas, decide jogos, fez três assistências (contra o Liverpool). Mas o problema é o treinador que insiste em colocar. Ele precisa descansar — disse ele na ocasião.

— Há dois dias, o Veiga não iria jogar. Eu achava que ele não iria jogar, em função da análise que fizemos. Mas a vontade dele é tanta, e sabemos que é um jogador diferenciado. Uma equipe como a nossa, tenho o Veiga e estamos à procura de um bom substituto à altura. O Flamengo tem Arrascaeta e De La Cruz. E eu estou forçando o Veiga — completou.

— Veiga não está na melhor forma e o responsável sou eu. Deveria ter poupado mais no Paulista, não deveria ter jogado contra o Vitória. Eu coloquei hoje para jogar. Tiro ou não tiro no intervalo? Muitas vezes a má forma dos jogadores é minha responsabilidade. Já devia ter descansado há mais tempo — seguiu.

Dedicação não falta

Após o empate com o São Paulo, no último dia 29, o jogador voltou a ser assunto.

— O Veiga, igual a todos nós, não é uma máquina. É um homem, um ser humano, que tem emoções, tem sentimentos, que procura sempre estar na melhor forma, um profissional de mão cheia, em dias de folga ele vai recuperar, vai às vezes a noite ao CT fazer recuperação. Só que as expectativas em cima dele são tantas, não da minha parte, mas de vocês, que ele tem que jogar sempre bem, fazer dez gols — disse.

— Vocês viram o que aconteceu com o Haaland, não vou mais longe. Ano passado bateu todos recordes, a imprensa não é agressiva só no Brasil, e esse ano querem torná-lo um jogador ruim, em alguns momentos que estão filmando no treino ainda zoam com ele. Eu respeito muito o Veiga, ele sabe o quanto nós acreditamos nele, o quanto a equipe precisa dele, mas se tiver que ficar de fora vai ficar — complementou.

Números de Veiga contra o Botafogo-SP (Foto: Reprodução)

Contudo, o cerco parece mesmo estar se fechando para o jogador. Contra o Botafogo-SP, ele jogou apenas meio-tempo. E, circunstâncias do jogo à parte, o fato é que o Palmeiras melhorou sem ele. Com 6.7 de nota, Veiga foi considerado o pior palmeirense em campo pela plataforma SofaScore.

A sorte de Abel é que o Palmeiras parece poder contar mais com dois jogadores que atuam pela meia. Luis Guilherme foi brilhante contra o Independiente del Valle, atuando como meia centralizado. E Rômulo simplesmente fez a jogada que originou o gol da vitória contra os botafoguenses de Ribeirão Preto.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo