Libertadores

Palmeiras é assustador, para o mal e para o bem, em virada incrível sobre o Del Valle

Abel Ferreira conseguiu transformar o Palmeiras, que perdia por 2 a 1 no intervalo após primeiro tempo dominado pelo adversário

O Palmeiras foi assustador nesta quarta-feira (24), para o bem e para o mal.

Em Quito, o Alviverde inexistiu no 1º tempo, como nunca antes na Era Abel Ferreira. Até o apito inicial, os 29% de posse contra o Chelsea, na final do Mundial de Clubes de 2021, eram o pior índice. Pois diante do Independiente del Valle, o Verdão deixou o campo, na saída para o intervalo, com 22% e um 2 a 1 nas costas.

Mas o Palmeiras chega a ser chato de tão forte. E Abel Ferreira, que era xingado por quase todos os palmeirenses nas redes sociais, mostrou, mais uma vez, que sabe o que está fazendo.

Com gols de Endrick, Lázaro e Luis Guilherme, seu primeiro como profissional, o Palmeiras fez 3 a 2 aos 51 do 2º tempo, e conquistou uma vitória importantíssima.

Com o resultado, o Palmeiras chega a sete pontos e segue líder invicto do Grupo F da Copa Libertadores.

Começo péssimo

No começo, o time não pegou na bola. Em mais de uma oportunidade, ficou períodos de um minuto vendo os equatorianos trocarem passes. Marcando bem atrás da linha do meio-campo, Endrick quase não aparecia. O Palmeiras sempre tinha menos jogadores que o Del Valle, em todos os setores.

O time da casa era muito melhor e tinha bem mais a bola quando abriu o placar, aos 12, em um chute de Páez, um golaço de fora da área. Aos 37, Piquerez afasto mal, e a bola sobra para Paez, que cruza no primeiro pau. Hoyos se antecipa e faz o segundo. Um 2 a 0 com justiça.

A metamorfose

Até os 40, o Verdão tinha 73 passes trocados com 68% de acerto, contra 289 do Del Valle e 81% de acerto. E então, um estalo. E o Palmeiras entrou no jogo.

Em três minutos, o time fez o que não havia feito ainda e trocou mais de 20 passes. Na primeira trama de ataque, aos 43, com inversões de lado a lado, a bola terminou na esquerda. Piquerez, de primeira, acionou Rony.

O cruzamento saiu perfeito para Endrick se antecipar e descontar. Foi a primeira finalização do Palmeiras no jogo e primeira finalização certa de Endrick desde 26 de março, contra a Ponte Preta, nas quartas de final do Paulista.

Palmeiras melhor

Sem qualquer substituição de início, o Palmeiras já voltou outro time na segunda etapa. Bastou fazer o básico e competir. Não demorou para o Palmeiras igualar o jogo e, logo, se tornar o melhor time em campo.

Abel colocou Estêvão e Luis Guilherme nos lugares de Veiga e Mayke. O time cresceu mais um pouco. E ainda mais quando Lázaro, Flaco e Vanderlan entraram nas vagas de Rony, Luan e Endrick.

Aos 36, em seus primeiros toques na bola, Flaco recebeu no meio e enfiou por elevação para Lázaro chegar pela esquerda e bater na saída do goleiro para empatar. E, de repente, dominava completamente as ações.

O Del Valle, sua torcida, a torcida do Palmeiras em Quito e no mundo todo, vendo pela TV, ficou meio que esperando a virada do Palmeiras por mais de dez minutos. Estava na cara que iria acontecer. E o Palmeiras cumpriu a profecia.

Aos 51, Luis Guilherme recebeu de Flaco na intermediária ofensiva, pelo corredor central do campo. Ele então dominou, avançou e, de esquerda, fez o golaço que deu a virada ao Palmeiras.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo