Brasileirão Série A

As coincidências e (grandes) diferenças entre as SAFs de Vasco e Botafogo

Em momentos distintos dentro e fora de campo, Vasco e Botafogo se enfrentam neste sábado, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro

O clássico deste sábado (28), entre Vasco e Botafogo, às 18h30, em São Januário, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, vai colocar frente a frente dois clubes que se encontram em momentos muito diferentes dentro de fora de campo.

Rivais, os dois viraram SAFs e foram vendidos para grupos estrangeiros em 2022 — o Glorioso, no começo do ano, e o Cruz-Maltino, em agosto. No entanto, hoje está claro que, ao menos por enquanto, um já se saiu muito melhor do que o outro nesta venda.

Em 2022, o futebol do Botafogo passou para as mãos de John Textor e o seu Eagle Group. Já o Vasco, que, naquela época estava na Série B, passou a ser controlado pela 777 Partners.

Desde então, muita coisa mudou nos dois clubes. E, enquanto o Glorioso passou a sonhar alto, o Cruz-Maltino ainda se vê em meio a brigas jurídicas e já nem sequer está mais sob o controle do grupo americano.

O primeiro semestre de 2023 exemplifica bem a distância entre as duas SAFs de Botafogo e Vasco. Ao menos, nas questões esportivas.

Enquanto o Glorioso, que veio pavimentando a construção de um elenco forte nos últimos anos, voltou a Copa Libertadores depois de sete anos e já está, inclusive, nas oitavas de final da competição, além de estar na briga pela liderança do Brasileiro, o Cruz-Maltino luta, mais uma vez, para se afastar da zona de rebaixamento do Brasileirão.

Fora de campo, enquanto o Botafogo segue firme sob o comando de John Textor, o Vasco passou por uma mudança importante em maio. Pedrinho, presidente da Associação, conseguiu uma liminar na Justiça para afastar a 777 Partners do comando da SAF.

De acordo com o ídolo do clube, a empresa americana não cumpriu partes do acordo e também havia um receio do colapso financeiro da empresa. Em recente entrevista, Pedrinho chegou a dizer que a SAF vascaína estava quebrada.

Investimentos parecidos na última janela

Apesar de muito distantes em alguns aspectos, Botafogo e Vasco fizeram investimentos parecidos na última janela de transferências, no começo de 2023. O Glorioso investiu cerca de R$ 131 milhões em contratações, enquanto o Vasco gastou R$ 120 milhões em reforços. Os dois clubes estão entre os cinco que mais investiram na janela. O Botafogo, em segundo, e o Vasco, em quinto.

É claro que o estágio que cada clube se encontrava antes da janela faz diferença no resultado destes investimentos. O Botafogo, por exemplo, investiu R$ 106 milhões em apenas um jogador: o atacante Luiz Herique, que virou a contratação mais cara da história do clube e uma das mais caras do futebol brasileiro. Além disso, também chegaram nomes como Savarino, Lucas Halter e John.

O Vasco, mesmo sem um elenco forte, também optou por investir em nomes de jovens jogadores, como Adson, João Victor e Sforza. Além disso, também comprou o atacante Clayton por cerca de R$ 16 milhões. Assim, com um grupo que não condiz com o valor investido, o clube tem sofrido neste primeiro semestre de 2023.

Atualmente, o Vasco é o 16º colocado do Campeonato Brasileiro, com os mesmos 10 pontos do Atlético-GO, primeiro time na zona de rebaixamento. Já o Botafogo é o terceiro colocado, com 23 pontos, um a menos que o líder Flamengo.

Clássico sem diretor de futebol

As SAFs de Vasco e Botafogo têm outro ponto em comum no clássico deste sábado. Os dois clubes estão sem diretor de futebol. O Glorioso, desde março, quando André Mazzuco deixou o clube para acertar com o Athletico-PR. Já o Cruz-Maltino, desde a última semana, quando Pedro Martins deixou o Vasco menos de três meses depois da sua chegada.

Para piorar a situação do Vasco, a SAF também está sem CEO e diretor financeiro. Lúcio Barbosa e Kátia dos Santos deixaram os respectivos cargos no começo de junho, após Pedrinho assumir o comando da SAF.

O Cruz-Maltino também está sem treinador efetivado. Após a demissão de Álvaro Pacheco, Rafael Paiva, técnico do sub-20, passou a comandar a equipe. O Vasco, só vai atrás de um treinador após definir o seu novo diretor de futebol.

Como estão as finanças das SAFs de Vasco e Botafogo?

Apesar das muitas diferenças dentro de campo e nos resultados esportivos, tanta a SAF do Botafogo como a do Vasco ainda tentam avançar na parte financeira. Com dívidas altas, os dois clubes viram o aumento do custo com o elenco aumentar na transformação em SAF. Mas também conseguiram aumentar as respectivas receitas.

Confira os números dos balanços de 2023 das duas SAFs, obtidos em levantamento do Relatório Convocados.

Vasco x Botafogo

  • Receita Total Líquida: 318 x 322
  • Custos e despesas: 289,7 x 443,9
  • Direitos de transmissão: 118,5 x 153,6
  • Negociação de atletas: 97,8 x 49,8
  • Bilheteria/Sócio-torcedor: 57,3 x 61,9
  • Comercial: 57,6 x 44
  • Dívida: 696 x 1,032

Valores em milhões de R$

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo