Brasil

Vasco anuncia demissão do técnico Álvaro Pacheco e surpreende com outra saída

O Vasco chegou a um acordo pela rescisão do contrato, e confirmou a saída de Álvaro Pacheco 31 dias após a sua contratação

Agora é oficial: o Vasco anunciou a demissão do técnico Álvaro Pacheco. Após decidir pela saída do treinado logo depois da derrota por 2 a 0 para o Juventude, na última quarta-feira (19), no Alfredo Jaconi, pelo Campeonato Brasileiro, o clube oficializou a demissão do português por volta das 18h40 desta quinta-feira (20).

Apesar da decisão ter sido tomada ainda durante a última noite, o Vasco esperou a chegada da delegação no Rio de Janeiro para anunciar a decisão da saída do técnico.

Antes do anúncio, feito nas redes sociais do clube, Pedrinho, presidente da associação e sócio majoritário da SAF vascaína, se encontrou com Álvaro Pacheco para fazer o comunicado da demissão. Pedrinho não estava com o elenco em Caxias do Sul e preferiu conversar com o português de forma presencial.

Além da conversa “olho no olho” entre Pedrinho e o treinador, o Vasco também precisava acertar os detalhes da rescisão de Álvaro Pachedo.

De acordo com o canal Atenção, Vascaínos, a multa rescisória do português é de 100% do seu contrato. Ou seja, o clube deve pagar todos os salários do treinador até o fim de 2024, quando se encerrava o vínculo.

Executivo de futebol também foi demitido

Além de Álvaro Pacheco, quem também deixou o Vasco foi Pedro Martins, diretor executivo de futebol. O dirigente foi contratado no começo de maio e ficou menos de dois meses no cargo. Assim como o técnico, Martins também foi contratado quando a SAF do Vasco era comandada pela 777 Partners.

Após Pedrinho e a Associação retomarem o controle da SAF, no meio de maio, através de uma liminar judicial, Pedro Martins perdeu força no clube, principalmente depois da saída de Lúcio Barbosa, ex-CEO do clube que era o homem de confiança da 777 no clube.

Quatro jogos e menos de um mês no cargo

Álvaro Pacheco ficou, no total, menos de um mês no comando do Vasco. O português foi anunciado como técnico no clube no dia 21 de maio, após a saída de Ramón Díaz e quatro jogos sob o comando do interino Rafael Paiva. O português só passou a comandar os treinos do clube três dias depois

Apesar do tempo curto de trabalho, Álvaro Pacheco teve um tempo considerável de treinos. Favorecido pelo adiamento de duas rodadas do Campeonato Brasileiro devido a tragédia das enchentes no Rio Grande do Sul, o português teve nove dias para trabalhar com o elenco antes da estreia contra o Flamengo.

A goleada histórica sofrida por 6 a 1 para o maior rival, no Maracanã, já havia levantado dúvidas sobre o treinador.

Depois, Álvaro Pacheco teve mais dez dias de treinos e perdeu para o Palmeiras, no Allianz Parque, com uma atuação ruim, e empatou com o Cruzeiro, em São Januário. Na última quarta-feira, no seu último jogo, o Cruz-Maltino perdeu para o Juventude, no Alfredo Jaconi.

Além dos resultados, a falta de evolução no desempenho do time pesou contra Álvaro Pacheco. O Vasco teve atuações abaixo do esperado nos últimos quatro jogos. Neste curto período, o português pouco conseguiu fazer pelo time.

Álvaro Pacheco deixa o time do Vasco na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, com sete pontos em dez jogos, mesma pontuação do Corinthians, primeiro time na zona de rebaixamento. O Cruz-Maltino leva vantagem no número de vitórias.

Números de Álvaro Pacheco pelo Vasco

  • Jogos: 4
  • Vitórias: 0
  • Empates: 1
  • Derrotas: 3
  • Gols marcados: 1
  • Gols sofridos: 10
  • Aproveitamento: 8,3%

Quem vai comandar o Vasco?

Sem Álvaro Pacheco, o Vasco já volta a campo no próximo sábado (22), às 21h30 (horário de Brasília), contra o São Paulo, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro.

Como provavelmente o clube ainda não terá um novo treinador, o time será comandado por Rafael Paiva, que comandou o clube em quatro partidas antes da chegada de Álvaro Pacheco, ou por Felipe, novo diretor-técnico do clube.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo