Brasileirão Série A

‘Temos que fazer um mea culpa’: São Paulo tenta entender por que perdeu forças com Zubeldía

Sequência de jogos pesa, e Tricolor perder invencibilidade de 13 jogos em derrota para o Cuiabá

Uma vaia tímida ressoou nas arquibancadas do MorumBIS assim que o apito final decretou a derrota por 1 a 0 do São Paulo para o Cuiabá, na última quarta-feira (19), pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

Ainda à beira do campo, Calleri assumiu o papel de líder que conquistou por seus gols e atitudes. Como de costume, o argentino falou pelo elenco e deu uma resposta à torcida para (tentar) explicar a atuação da equipe na pior partida sob o comando de Luis Zubeldía.

— A gente não jogou bem outra vez. Acho que a gente devia fazer um pouco mais dentro de casa. Precisávamos ganhar, porque temos fome e ganas de brigar pelo Brasileirão. Mas hoje foi uma partida muito abaixo de todo mundo. — Temos que falar entre nós. Não tem desculpa. Hoje não foi o que a gente trabalhou. Temos que fazer um mea culpa. A gente vinha de 13 partidas invictas, mas hoje não é a imagem que o torcedor vem vendo nos últimos jogos — Calleri.

A fala forte e sempre sincera do capitão pode até parecer excessiva, após aquela que foi apenas a primeira derrota do treinador no cargo. Mas ela deve ser absorvida dentro de um contexto maior do que o tropeço em si.

A derrota para o Cuiabá é a prova de que a equipe já vinha perdendo força nos últimos jogos.

São Paulo busca soluções para combater oscilação

Até o jogo contra o Cuiabá, o São Paulo se orgulhava de ter a maior invencibilidade do Brasil. Eram 13 jogos sem perder, 12 com Zubeldía. Agora, são três partidas sem vencer. Antes da derrota, a equipe vinha de empates com Corinthians (2 a 2) e Inter (0 a 0) fora de casa.

O Tricolor fez apenas dois pontos de nove disputados, com um aproveitamento de 22,2%. A oscilação fica evidente na comparação com o desempenho anterior da equipe. Pois na vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, o argentino se tornou o técnico com o melhor início de trabalho pelo São Paulo desde Pepe, em 1986. Em dez jogos, eram oito vitórias, dois empates e 86,6% de aproveitamento.

Na derrota para o Cuiabá, a equipe sentiu a falta de Lucas e Rodrigo Nestor, preservados pelo desgaste, assim como Luiz Gustavo. Mas elenco e comissão técnica debaterão internamente a queda de rendimento na partida para evitar que ela se repita na sequência do Brasileirão.

— E me parece que o rendimento de todos foi abaixo, abaixo da nossa capacidade, sem dúvida. É um campeonato muito grande. Imagino que isso pode acontecer, mas não esperávamos que acontecesse hoje. Agora vamos nos preparar para o próximo jogo. Não temos tempo para festejar e dramatizar — Zubeldía.
Alisson recebe o terceiro cartão amarelo e desfalca o São Paulo contra o Vasco (Foto: Leco Viana/Imago)

Sequência pesada cobra o preço

Um dos diagnósticos do clube para a oscilação está na tabela do Campeonato Brasileiro após a última Data Fifa. Luis Zubeldía sempre reitera que o calendário não pode ser uma desculpa para a equipe. Mas o fato é que a sequência pesada cobra seu preço.

Quando enfrentar o Vasco no próximo sábado (22), o Tricolor irá completar uma maratona de quatro jogos no intervalo de dez dias — três deles, fora de casa. Em média, a equipe disputa um jogo a cada 2,5 dias e tem apenas 60 horas de recuperação entre os compromissos.

> Maratona de jogos do São Paulo

  • 13/06 — Internacional 0 x 0 São Paulo
  • 16/06 — Corinthians 2 x 2 São Paulo
  • 19/06 — São Paulo 0 x 1 Cuiabá
  • 22/06 — Vasco x São Paulo
— É um desafio (o calendário). Para todos os times. Tivemos uma sequência de partida a cada três dias. Mas as coisas são assim. Enquanto estávamos invictos, falamos, vimos, e nessa parte do campeonato atingiu a nós — Zubeldía.

> A situação do São Paulo na tabela

O empate com o Cuiabá fez o São Paulo perder uma posição na tabela do Campeonato Brasileiro. A equipe deixou o G6 e agora ocupa a sétima colocação, com 16 pontos. E equipe pode cair mais duas posições com o complemento da rodada nesta quinta-feira (20).

Quais são os próximos jogos do São Paulo?

O São Paulo tem uma longa sequência de jogos pelo Brasileirão até as oitavas de final da Libertadores e da Copa do Brasil.

      • Vasco x São Paulo — Brasileirão — sábado, 22 de junho, às 21h30 (horário de Brasília) — Transmissão: SporTV (TV fechada) e Premiere (TV por assinatura);
      • São Paulo x Criciúma — Brasileirão — quinta-feira, 27 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo DecontoSetorista

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo