Brasileirão Série A

Craque da Copa do Brasil pelo São Paulo, Nestor entra no radar da Seleção sub-23

Após decidir nas finais do título inédito do São Paulo, Nestor ganha reconhecimento merecido pelo São Paulo e pelo mercado

Rodrigo Nestor era só sorrisos no evento que reuniu jogadores, comissão técnica e diretoria na festa do São Paulo em comemoração pelo título inédito da Copa do Brasil, na última terça-feira (3), em uma casa de eventos na Zona Sul da capital paulista. Traje de gala que faz lembrar as suas atuações decisivas nas duas finais contra o Flamengo.

Após soterrar críticas e conquistar a idolatria da torcida, o meia não para de colher os frutos da assistência para Calleri no duelo de ida, no Maracanã, e do gol do título marcado no Morumbi. A onda de reconhecimento começou nas arquibancadas e não parou desde então.

Horas antes da festa desta terça-feira, Nestor foi eleito o craque da Copa do Brasil pela CBF. E ele atrai olhares de outros setores da entidade. O jovem de 23 anos entrou no radar do técnico Ramon Menezes e está entre os cotados para uma convocação para a seleção brasileira sub-23 na Data Fifa de novembro.

Nestor deve ser cobiçado no mercado

O protagonismo e a convocação aumentam o cartaz de Nestor para o mercado do futebol europeu. Na última janela de transferências, no meio do ano, o Zenit, da Rússia, chegou a manifestar interesse no jogador. Mas o São Paulo, fechado para vendas a pedido de Dorival Júnior, sequer abriu negociações com o clube russo.

Até o momento, as conversas não foram retomadas e tampouco surgiram novos interessados no meia – até porque as janelas de transferências estão fechadas. Mas o cenário deve mudar a partir do final do mês, com a proximidade com a reabertura do período de negociações, em janeiro. O estafe do atleta já retomou os trabalhos nos principais mercados do futebol europeu para prospectar possíveis propostas pelo jogador.

São Paulo fará jogo duro em eventual venda

Mas para tirar Nestor – ou qualquer outro jogador – do São Paulo, o clube interessado terá que mexer bastante no bolso e investir pesado. Após equilibrar as receitas com os R$ 88,7 milhões em premiações recebidas da CBF pelo título e com verbas de bilheteria, o clube muda suas diretrizes do clube na hora de negociar jogadores. Hoje, o Tricolor só vende seus atletas pelo preço que quiser. E não pela necessidade/obrigação de fazer dinheiro para fechar as contas.

Por isso, a diretoria pode jogar duro a partir da reabertura da janela de transferências na Europa, em janeiro. A avaliação é de que jogadores como Lucas Beraldo (especialmente), Pablo Maia e Rodrigo Nestor estão ainda mais valorizados após o título e só sairão em caso de propostas irrecusáveis. O investimento necessário para buscar uma reposição no mercado também será levado em conta.

– Esses jogadores não ganharam uma valorização, e com isso ganhamos preço em negociações futuras? Ele vai vender com preço que lhe satisfaz. O São Paulo tem elenco valorizado muito em razão das conquistas que teve. Se for uma venda com valores que extrapolaram e que seria impossível o clube manter, ótimo. Aí, sim. Do contrário, eu sou muito sincero. Temos que segurar o máximo possível nossos atletas. Para se estabilizar, precisamos ter um grande time, um grande elenco. Se estabilizar, o retorno virá por outros caminhos – indagou o técnico Dorival Júnior em entrevista coletiva.

 

Nestor: 23 anos de idade e decisivo

Muito da cobiça por Nestor no mercado se dá por seu poderio decisivo. Aos 23 anos, Nestor já pode ser orgulhar de ter participado em nove gols em jogos de mata-mata pelo São Paulo. O único gol foi o do título da Copa do Brasil e são mais sete assistências. Três delas, em finais.

Na conquista inédita, o garoto made in Cotia fez mais do que isso. Foi a personalidade em pessoa para ditar o ritmo da equipe na decisão. Chamou a responsabilidade, orquestrou as jogadas de ataque enquanto teve fôlego para isso e soterrou algumas das críticas que tanto ouviu da torcida (mais uma vez) com seu poderio decisivo.

Já havia sido assim em outros momentos da temporada. Contra o San Lorenzo, foi dele a assistência para Luciano marcar o gol da vitória por 2 a 0 e da classificação às quartas de final da Sul-Americana. E em anos anteriores, Nestor sempre esteve lá para ser protagonista – ou para deixar os companheiros em condições de decidir em finais.

Sem falar, que ele deu nova assistência para Calleri no último sábado, na vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, no Majestoso, no Morumbi. O prêmio de Craque da Copa do Brasil e a provável convocação para a seleção sub-23 são nada além do que o reconhecimento por tudo o que fez em 2023.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo