Brasileirão Série A

Diniz terá mais um quebra-cabeça para montar Fluminense sem André

Sem André, que sofrue ruptura no ligamento colateral medial do joelho direito, Fernando Diniz terá que reorganizar o Fluminense

O Fluminense se preparou para um ano sem Nino e André, jogadores com mais chances de serem negociados após destaque no histórico 2023. O zagueiro foi para o Zenit e o Tricolor ainda não encontrou um substituto. Já o volante, agora, perderá tempo com contusão no joelho, e o técnico Fernando Diniz precisará de um plano B.

André saiu contundido ainda no primeiro tempo do empate por 0 a 0 com o Cerro Porteño, na quinta (25) pela Libertadores. O volante sofreu lesão do ligamento colateral medial do joelho direito, confirmada após exame de imagem.

A solução para a ausência de André parecia óbvia. Isso porque a ideia inicial era que Alexsander fosse o substituto natural do camisa 7. O volante subiu como um furacão aos profissionais e se destacou tanto em sua posição quanto na lateral-esquerda, e o clube esperava ainda mais evolução nesta temporada. Porém, acontecimentos recentes impedirão que ele seja utilizado prontamente.

Diniz tem quebra-cabeça para montar Fluminense

Afastado por indisciplina, entretanto, ele não estará disponível para ajudar o Flu de imediato. A chance que Alexsander tanto esperava agora lhe escorre pelas mãos, e quem terá que montar quebra-cabeça é Fernando Diniz.

Se a curto prazo o substituto de André já está definido, o treinador precisará modificar bastante coisa para substituir um jogador que considera chave para o sistema de jogo.

Lima será substituto, mas não é solução no Fluminense

Diniz deve escolher a mesma alternativa que no jogo contra o Cerro Porteño, quando André foi substituído aos prantos, para enfrentar o Corinthians, no domingo (27), às 16h (de Brasília) na NeoQuímica Arena. O polivalente Lima, jogador de linha mais utilizado em 2023, será titular ao lado de Martinelli, que recua para jogar como primeiro homem no meio-campo.

A formação fica um pouco mais ofensiva, mas atuar nessa posição não chega a ser novidade para Lima. O meia de 27 anos é o homem de confiança de Fernando Diniz e consegue realizar várias funções em campo.

Lima será o substituto de André no Fluminense - Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC
Lima será o substituto de André no Fluminense – Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC

Lima, entretanto, não é visto como uma solução a longo prazo. A depender da gravidade da contusão de André, o Flu irá ao mercado encorpar a posição.

Alexsander perde oportunidade no Fluminense por indisciplina

Ninguém além de André deve ter lamentado tanto a situação como Alexsander. Fernando Diniz tinha voltado a utilizar o camisa 5, que seria o substituto natural na posição. Agora, afastado por indisciplina, pagará caro pelo episódio.

Alexsander sofreu queda de rendimento e perdeu espaço no Fluminense - Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
Alexsander sofreu queda de rendimento e perdeu espaço no Fluminense – Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Enquanto o Fluminense viajava de Assunção para São Paulo, o volante treinou com os jogadores não relacionados. Alexsander tem tido presença normal como John Kennedy, Kauã Elias e Arthur. O jovem sentiu bastante o afastamento e recebeu também cobranças de sua família e de seu estafe.

O jovem de 20 anos espera que seu afastamento dure pouco, e conta com o perdão de diretoria, comissão técnica e companheiros para isso. Como a posição agora exige atenção, ele pode ser o primeiro a retornar entre os afastados. Diniz já deixou claro que analisará caso a caso no dia a dia.

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Corinthians x Fluminense — Campeonato Brasileiro — domingo, 28 de abril — 16h (horário de Brasília);
  • Sampaio Corrêa x Fluminense — Copa do Brasil — quarta-feira, 1º de maio — 16h (horário Brasília);
  • Fluminense x Atlético-MG — Campeonato Brasileiro — sábado, 4 de maio — 16h (horário de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo