Brasil

O Fluminense já começou sua preparação para a vida sem André e as soluções são caseiras

Alexsander e Martinelli jogam juntos pela primeira vez como titulares contra o São Paulo, em jogo que o Fluminense projetou seu meio campo para 2024, sem André

O resultado da partida contra o São Paulo no Maracanã era o menos importante para o Fluminense. De olho no Mundial de Clubes e em 2024, o campeão da Libertadores aproveitou a partida para se preparar para a vida sem André, que deve deixar o clube na janela de transferências.

Na primeira vez em que formaram a dupla titular, Alexsander e Martinelli tiveram boa atuação — em diferentes funções no jogo — na vitória por 1 a 0. Os dois provavelmente serão titulares da versão 2024 do Tricolor.

O treinador admitiu por duas vezes na coletiva que André, destaque do Fluminense em 2023, dificilmente estará em seu elenco em 2024.

— Gostei muito dos dois. De fato a saída do André é iminente, são dois jogadores formados no Fluminense, tanto um quanto o outro tiveram momentos bons e voltaram a viver. Tem outras possibilidades, tem dois jogadores que conto bastante para o ano que vem — opinou.

Martinelli teve grande atuação contra o São Paulo e mostrou que o Fluminense está bem servido para a vida sem André - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Martinelli teve grande atuação contra o São Paulo e mostrou que o Fluminense está bem servido para a vida sem André – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

A Trivela apurou que internamente, Martinelli é visto como o substituto ideal de André. Na vaga que se abriria no meio-campo, por outro lado, o Fluminense espera mais um salto de qualidade de Alexsander. Após começar como lateral-esquerdo nos profissionais, o “Levado” passou por oscilações em 2023, mas segue muito valorizado pelo clube.

Martinelli cresce e substitui André até na zaga do Fluminense

André jogou poucos minutos menos de 24 horas depois de atuar a partida inteira pela Seleção contra a Argentina nas Eliminatórias. Mas seu substituto foi muito bem.

Martinelli teve grande atuação durante todo o jogo. O camisa 8 entrou na vaga de seu companheiro desde a base como primeiro volante, na primeira etapa, e atuou até como zagueiro após o intervalo.

Em crescente na temporada, Martinelli ganhou a titularidade do Fluminense na reta final e esteve no onze inicial que conquistou a Libertadores pela primeira vez na história do clube. O jogador de 22 anos se mostra pronto para a missão de substituir de seu companheiro de base, profissional e vida.

O jogador acumulou mais uma grande atuação contra o São Paulo. No CT Carlos Castilho, o camisa 8 empolga comissão técnica e diretoria pela versatilidade. Desde que subiu aos profissionais em 2020, ele oscilou um pouco, mas volta a ter grande fase em 2023 — de novo à frente da zaga.

Para grande parte da cúpula de futebol, Martinelli tem avaliação melhor como primeiro homem do meio de campo do que como segundo volante, sua posição de origem.

Adiantado, Alexsander volta a jogar bem pelo Fluminense

Quem também foi bem na vitória, principalmente no primeiro tempo, foi Alexsander. Após perder espaço no time titular, o camisa 5 voltou à equipe e teve grande atuação. O encaixe ao lado do seu possível parceiro de meio-campo em 2024 foi uma ótima notícia na partida.

Alexsander voltou a ser titular e a jogar bem pelo Fluminense contra o São Paulo - Foto: Icon sport
Alexsander voltou a ser titular e a jogar bem pelo Fluminense contra o São Paulo – Foto: Icon sport

Mais adiantado, o jovem de 20 anos rendeu bem jogando de área a área. Não à toa, foi o melhor marcador da equipe nos primeiros 45 minutos, e também esteve bem na construção. Mesmo como volante, ele viu as melhores jogadas do time passarem pelos seus pés.

O jogo era festivo, mas o Fluminense teve a comemorar também que a vida sem André pode não ser tão ruim quanto parece. A equipe atuou bem, e Martinelli e Alexsander mostraram que podem substituir o camisa 7 à altura. A ver em 2024.

Apenas cumprindo tabela no Campeonato Brasileiro, o Fluminense chegou aos 50 pontos e mantém a 8ª posição, agora com os mesmos 34 jogos da maior parte da tabela após vencer o São Paulo em partida adiada. A cabeça do time, entretanto, está na Arábia Saudita, onde o Flu disputa o Mundial de Clubes a partir de 18/12 (segunda-feira), às 15h, no King Abdullah Stadium.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo