Brasileirão Série A

‘À la 2023’, Cruzeiro tem atuação constrangedora e perde primeira na Arena MRV

Com dez remanescentes de 2023 no time titular, Cruzeiro fez primeiro tempo horrível, levando três gols da Atlético-MG

O Cruzeiro teve uma noite de pesadelo neste sábado (20), na Arena MRV, e foi derrotado por 3 a 0 pelo maior rival, Atlético-MG, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Os três gols atleticanos, marcados por Zaracho, Paulinho e Scarpa, saíram no primeiro tempo. Esta foi a primeira vitória atleticana no Brasileirão 2024 e a primeira derrota cruzeirense.

Curiosamente, o Cruzeiro começou o jogo com dez jogadores remanescentes de 2023, quando a equipe lutou contra o rebaixamento no Brasileirão. Apenas Rafa Silva, que fez parte do elenco que venceu a Série B em 2022, não estava no clube na temporada passada. A situação gerou críticas ao treinador Fernando Seabra.

Machado ganha a vaga de Romero

O treinador Fernando Seabra decidiu manter a base do time que vem jogando e o Cruzeiro começou apenas com uma mudança em relação ao último jogo: Filipe Machado foi escolhido como o substituto do suspenso Lucas Romero, expulso na partida contra o Fortaleza. A equipe celeste foi escalada da seguinte forma: Anderson; William, Neris, João Marcelo e Marlon; Filipe Machado, Ramiro e Lucas Silva; Matheus Pereira, Arthur Gomes e Rafa Silva.

O Atlético-MG, por sua vez, foi escalado de forma ousada pelo técnico argentino Gabriel Milito, com apenas um zagueiro de origem. A equipe alvinegra começou o jogo assim: Eversio; Saravia, Jemerson e Battaglia; Gustavo Scarpa, Otávio, Alan Franco, Matías Zaracho e Guilherme Arana; Paulinho e Hulk.

O que de melhor aconteceu para o Cruzeiro no jogo

  • Cruzeiro não apresentou aspectos positivos na partida

O que de pior aconteceu para o Cruzeiro no jogo

  • Mais um gol sofrido na bola aérea;
  • Fragilidade pelas laterais do campo;
  • Defesa e meio de campo expostos e atuação muito ruim dos volantes;
  • Falha de Anderson

Cruzeiro é massacrado no primeiro tempo

O Cruzeiro começou bem no jogo, com trocas de passe que resultaram em faltas perigosas, mas não sustentou o bom momento por muito tempo e o Atlético-MG passou ganhar terreno, se aproveitando da fragilidade da marcação no meio de campo celeste. Foi assim, aos 13 minutos, numa jogada de ultrapassagem, que o time alvinegro conseguiu passar pelos volantes celestes e Guilherme Arana se infiltrou para mandar uma bomba, que Anderson espalmou para escanteio.

O Atlético seguiu melhor na partida e não demorou a abrir o placar, se aproveitando de grandes fragilidades do Cruzeiro. Pouca combatividade no meio, espaço nas alas e muita dificuldade em se defender de infiltrações e bola aérea. Foi assim que, aos 25, Gustavo Scarpa recebeu pela direita e cruzou para Matías Zaracho, que surgiu livre no meio da área e, de voleio, mandou no cantinho de Anderson, abrindo o placar.

Assim que sofreu o gol, o Cruzeiro tentou atacar, mas o chute de Matheus Pereira ficou com Everson. O Atlético voltou a assustar no lance seguinte, também pelo alto, mas não conseguiu finalizar.

E o segundo gol atleticano demorou menos de 10 minutos para sair. Aos 34, após nova jogada pelas alas, o Atlético fez uma blitz na defesa cruzeirense e após algumas tentativas, Hulk bateu forte e Paulinho apareceu sozinho para desviar para o gol, fazendo o 2 a 0.

O Cruzeiro voltou a assustar novamente aos 43, em jogada de Matheus Pereira, que ajeitou para Lucas Silva, que chuto, a bola desviou e sobrou para Rafa Silva, que dominou e finalizou, mas Saravia salvou antes da bola cruzar a linha do gol.

Mas ainda havia tempo para mais no primeiro tempo. Arana recebeu livre, mais uma vez, na esquerda, e bateu forte. O goleiro Anderson aceitou, levando um frangaço, que colocou o terceiro gol atleticano no placar, contra zero do Cruzeiro.

Segundo tempo

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com duas mudanças, Álvaro Barreal e Zé Ivaldo entraram nos lugares de Arthur Gomes e Filipe Machado. O Atlético também mexeu, com Igor Gomes na vaga de Zaracho. Na etapa final, o time alvinegro adotou uma postura mais defensiva, entregando a bola ao time celeste e saindo nos contra-ataques. Nesse panorama, a Raposa passou a ficar mais no campo de ataque, mas sem criar grandes chances. Depois dos 15 minutos, Seabra mexeu novamente, colocando Gabriel Veron e Rafael Elias Papagaio nas vagas de Neris e Rafa Silva.

Mesmo com o Atlético se poupando, o Cruzeiro não conseguia finalizar e passou muitos minutos sem incomodar o Atlético. Assim, aos 31, Seabra mexeu novamente, Mateus Vital no lugar de Lucas Silva. Milito respondeu, sacando Paulinho e Gustavo Scarpa, para as entradas de Eduardo Vargas e Alisson.

O Cruzeiro ainda conseguiu balançar a rede atleticana com Rafael Papagaio, em jogada de escanteio, mas a arbitragem marcou impedimento, confirmado pelo VAR. Aos 44, Barreal ainda teve uma bela chance de marcar, e chutou fraquinho nas mãos de Everson.

Próximos desafios da Atlético-MG e Cruzeiro

O Cruzeiro terá que se recuperar na temporada em partida importante pela terceira rodada do grupo B da Copa Sul-Americana. O time celeste enfrenta o Unión La Calera, do Chile, fora de casa, na próxima terça-feira (23), às 19h. O Atlético-MG, por sua vez, chega embalado para receber o Peñarol, do Uruguai, também na terça, mas às 21h, pela terceira rodada do grupo G da Copa Libertadores.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo