Brasileirão Série A

Sem convite para o circo, António Oliveira está cada vez mais na corda bamba pelo Corinthians

Treinador corre risco de demissão e mostra que não há senso de urgência com o time na zona do rebaixamento

Para António Oliveira, a pressão sobre o seu futuro no comando do Corinthians é um circo em que ele não quer ser convidado. E enquanto o torcedor corintiano é cada vez mais feito de palhaço, com apenas uma vitória em 13 jogos do time no Brasileirão, o treinador está na corda bamba e pode não chegar até o próximo jogo do Timão, na quinta-feira (4), contra o Vitória. 

— Digo mais uma vez: não me convidem para esse circo. Percebo que é o que vende, que querem sangue. Não sou administrador, sou treinador de futebol — destacou o técnico corintiano após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras nesta segunda-feira (1º).

Para piorar, o português deixou claro que não há senso de urgência, mesmo com o clube alvinegro na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. 

— De 13 para 38 (jogos) ainda faltam muitos pontos. Vocês estão a olhar para outros objetivos. Impacta muito o Corinthians na zona do rebaixamento. Somos pessoas responsáveis e sabemos a responsabilidade de gerir uma equipe como o Corinthians.

António deixa recado para a torcida do Corinthians

Nas últimas semanas, o Timão foi alvo de uma série de protestos e até mesmo invasões, tanto ao CT Joaquim Grava, quanto ao Parque São Jorge, sede social do clube alvinegro.

António não condenou essas atitudes tomadas por torcedores uniformizados e ainda deixou claro que os profissionais que estão no clube são as pessoas ideias para que seja dada a volta por cima. 

— Compreendo e respeito a insatisfação do torcedor. É normal, queremos constantemente ganhar. A equipe não tem conseguido o objetivo por uma razão ou outra. Na expectativa, sempre vou estar ao lado do torcedor, sinto esse sentimento e partilho desse sentimento.

— Nós, que estamos dentro do CT, somos responsáveis, profissionais, competentes e somos as pessoas certas para voltar dar as glórias para o clube — destacou António. 

Quais as chances de António Oliveira ser demitido do Corinthians?

O treinador está muito pressionado e o único motivo que ainda o segura no comando corintiano é a ausência de um profissional no mercado capaz de assumir o clube imediatamente

Diversos nomes já foram sondados e são avaliados há, pelo menos, duas semanas pela diretoria corintiana. Porém, existem diversos entraves para que eles sejam contratados. 

Fábio Carille é o favorito no momento, mas a vitória do Santos sobre a Chapecoense dará sobrevida ao treinador na Vila Belmiro. 

No mercado, após ser demitido do Fluminense, Fernando Diniz é agenciado por Giuliano Bertolucci, que é o mesmo empresário de António, e não aceita abrir conversas enquanto António estiver no comando do clube alvinegro. Além disso, o ex-Flu pensa em tirar um período sabático, pelo menos, até o fim do ano. 

Cuca é outro profissional desempregado e é avaliado no Corinthians, porém a instabilidade dele coloca em xeque a possibilidade dele ser o escolhido. O presidente Augusto Melo é um grande defensor de uma possível contratação do técnico. 

Nomes estrangeiros também são cogitados internamente, mas vistos com mais dificuldade principalmente por conta da situação financeira complicada do Timão. 

Foto de Fábio Lázaro

Fábio LázaroSetorista

Nascido em Santos, criado em São Vicente e entregue à São Paulo. Na Trivela desde junho de 2024, como setorista do Corinthians. Passagem pelo Lance! entre fevereiro de 2020 e maio de 2024, onde cobriu Santos e Corinthians. Por lá, também coordenou pautas e estratégias digitais. Atualmente, também é repórter na rádio 9 de Julho, comentarista no programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília, e narrador freelancer.
Botão Voltar ao topo