Brasileirão Série A

Carpini ouve gritos de ‘burro’ e dá sinais de que pressão no São Paulo é maior do que nunca

Técnico está mantido no cargo, mas tem trabalho cada vez mais contestado após derrota para o Fortaleza

O apito final sequer havia soado para decretar a derrota do São Paulo por 2 a 1 para o Fortaleza, e Thiago Carpini já ouvia ofensas e gritos de “burro” das arquibancadas do MorumBIS na noite deste sábado (13), na estreia no Campeonato Brasileiro. Os vaias — e os xingamentos — subiram de tom e volume com o fim da partida. Esta foi a trilha sonora que ecoava no estádio, enquanto o treinador deixava o campo cabisbaixo rumo aos vestiários, sob a certeza de que a pressão sobre o seu cargo é maior do que nunca.

O técnico está mantido no comando da equipe pela diretoria, a exemplo do que ocorreu após a vitória sobre o Cobresal, na última quarta-feira (10). Mas as cobranças e a insatisfação externas sobre o trabalho do treinador o fazem balançar no cargo. Carpini adormeceu neste sábado empregado. Mas o seu futuro está em xeque e em debates nos bastidores do clube, conforme apuração da Trivela.

— O futebol tem se profissionalizado mais. O imediatismo acho que não mudou muito. Eu vejo clubes melhores preparados em suas tomadas de decisões. Equipes que buscam esse nível de profissionalismo que é o São Paulo, o nosso nível de profissionalismo não pode estar atrelado apenas ao que eu penso. É o dia a dia, o trabalho, as ideias, o respaldo ao trabalho, e o resultado precisa acontecer, se não a troca é inevitável. Eu estou muito tranquilo quanto a isso. Eu trabalho para evoluir e passar o máximo de informações aos atletas. A minha responsabilidade comigo mesmo é fazer o meu melhor. Eu continuo acreditando que o futebol precisa caminhar para um momento de paciência. Os trabalhos que deram certo têm continuidade, têm longevidade. Você começa a ver que precisa ter um pouco mais de paciência — disse o treinador, em entrevista após a derrota.

Carpini sente pressão e dá sinais de abatimento

E o treinador deixou todo este ambiente transparecer durante a sua entrevista coletiva após a partida. O abatimento transparecia em seu rosto e também nas respostas, concedidas em tom bem ponderado e até um tanto passivo. Bem diferente da postura que ele adotou na última quarta-feira, quando chegou à sala de imprensa na defensiva para rebater críticas com boas doses de agressividade.

— O meu melhor, eu tenho certeza que estou dando. Agora, se meu melhor não for o suficiente, é uma avaliação de todos vocês. A certeza de que sou um profissional competente e que estou só no início da minha caminhada, isso eu não tenho dúvida. Eu estou bem tranquilo. Não era o momento que eu queria estar vivendo. É muito difícil falar de nós mesmos. Eu prefiro que as pessoas avaliem. E avaliar no momento como nós vivemos é muito ruim. A gente vem de uma conquista de um título, eu digo que é fantástico. Não. Sempre tem erros e acertos. Sigo trabalhando e fazendo o meu melhor. É um compromisso comigo mesmo — disse o treinador.

Líderes do elenco mantêm respaldo a Carpini (IconSport)

Elenco mantém defesa a Carpini

Thiago Carpini se manteve no cargo mesmo após a derrota para o Fortaleza. E muito se deve à postura dos jogadores. O respaldo do elenco ao técnico pesou e muito para que a diretoria evitasse tomar uma decisão sobre a saída do treinador neste momento. E o próprio comandante reconheceu isso logo na primeira pergunta da coletiva da última quarta-feira (10).

Os jogadores, aliás, fizeram questão de tornar público este respaldo, muito além das conversas dos líderes do elenco com a diretoria nos bastidores do clube. Após a vitória sobre o Cobresal, os atletas se uniram no mesmo discurso de que estão “fechados” com Carpini, querem sua permanência e confiam na metodologia de trabalho para fazer a equipe evoluir. Neste sábado, após a derrota, Michel Araújo e André Silva concederam entrevistas na zona mista do MorumBIS e mantiveram o mesmo tom de elogios ao trabalho.

— Ele se fortalece também a cada dia. Desde que cheguei vi um grupo muito unido, um grupo com mentalidade de campeão. Não tem frustração dentro do elenco, a gente segue trabalhando e eu tenho certeza que no próximo jogo a gente vai dar uma resposta grande contra um grande adversário —

> Próximos jogos do São Paulo

  • Flamengo x São Paulo — Brasileirão — quarta-feira, 17 de abril, às 21h30 (horário de Brasília) — Transmissão: Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura)
  • Atlético-GO x São Paulo — Brasileirão — domingo, 21 de abril, às 18h30 (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura)
  • Barcelona-EQU x São Paulo — Libertadores — quinta-feira, 25 de abril, às 21h (horário de Brasília) — Tranmissão: ESPN (TV fechada)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo