Brasileirão Série A

Campeonato novo, polêmica antiga: Brasileirão começa marcado por erros de arbitragem

Dentro e fora de campo, jogadores e comissões técnicas ficaram muito insatisfeitos nesta rodada inaugural da competição

O Campeonato Brasileiro começou. Mais uma vez, os resultados do campo ficaram em segundo plano, e os holofotes foram direcionados para as polêmicas decisões de arbitragem, principalmente nos jogos deste domingo (14). Foram seis expulsões, sendo quatro de atletas e duas de treinadores, além de vários questionamentos em lances revisados pelo VAR.

A insatisfação com a arbitragem nesta primeira rodada foi geral. De jogadores a comissões técnicas, de pênaltis não marcados até expulsões em lances capitais, os lances foram tema de notas de repúdio, trazendo de volta a discussão sobre a preparação dos árbitros no Brasil.

A seguir, uma lista dos principais lances reclamados pelos clubes nesta primeira rodada.

Os lances polêmicos da primeira rodada do Campeonato Brasileiro

Atuação de Yuri Elino Ferreira da Cruz em Corinthians 0 x 0 Atlético-MG

Professor de Educação Física, o jovem árbitro Yuri Elino, de 31 anos, teve uma atuação para se esquecer na estreia de Corinthians e Atlético-MG, na NeoQuímica Arena, neste domingo. O árbitro conseguiu deixar os dois times insatisfeitos com a sua atuação em campo, picotando o jogo e distribuindo cartões amarelos. Foram 13 ao total, sendo sete no primeiro tempo e seis na etapa complementar.

A quantidade de advertências acabou culminando na expulsão de Rodrigo Battaglia do Atlético-MG, que recebeu dois cartões amarelos ainda na etapa inicial. Os mineiros ainda reclamaram da não expulsão de Fagner, que ainda no primeiro tempo dividiu de forma dura com Guilherme Arana, e em seguida com Zaracho. O VAR sequer chamou para a revisão do lance.

Pelo lado corintiano, a bronca ficou pela não expulsão de Jemerson. No final do jogo, o zagueiro do Atlético-MG disputou uma bola pelo alto com Matheuzinho, e acabou acertando seu cotovelo na altura do rosto do lateral-direito do time paulista. Mais uma vez, o VAR não foi acionado.

Antônio Oliveira, técnico do time paulista, também foi expulso ao reclamar com Yuri Elino ao final do jogo. O português precisou ser contido por parte dos jogadores corintianos, e a equipe de arbitragem foi escoltada pela polícia ao sair do gramado na Neo Química Arena.

Vitória do Vasco sobre o Grêmio também gerou polêmicas

No confronto entre Vasco da Gama e Grêmio, o árbitro FIFA Flavio Rodrigues de Souza teve muito trabalho em campo. Logo aos 15 minutos, marcou uma penalidade máxima sobre Rossi. Após revisão do VAR, o lance foi anulado e o atacante vascaíno acabou recebendo cartão amarelo por simulação.

O árbitro de vídeo ainda revisou mais duas jogadas, sendo a primeira delas a mais polêmica. Aos 40 minutos da etapa inicial, quando o jogo estava 2 a 0 em favor do Vasco. Após jogada pela esquerda, Lucas Piton tocou na bola com o braço aberto dentro da área. Flavio Rodrigues de Souza analisou o lance no VAR, e definiu que a jogada ocorreu de forma acidental, não marcando a penalidade máxima.

O Grêmio solicitou a CBF o áudio com a análise completa da jogada e a conversa do árbitro com Daiane Muniz, árbitra FIFA responsável pelo VAR. A árbitra solicita a revisão do lance para possível penalidade máxima, mas o juiz interpreta que Lucas Piton faz um movimento repentino com o braço sem intenção.

O Vasco também reclamou de um pênalti não marcado. Já no segundo tempo, Rodrigo Ely dividiu com Galdames dentro da área. O zagueiro gremista acertou o jogador do time carioca, que foi ao chão dentro da área. Daiane Muniz interpretou que a disputa entre os jogadores foi normal, orientando o árbitro a não marcar a penalidade. Os cariocas, assim como os gaúchos, pediram à CBF o áudio com a análise completa da jogada.

A polêmica vitória do Flamengo sobre o Atlético-GO

Uma das atuações mais questionadas foi a do árbitro mineiro André Luiz Skettino, de 29 anos, responsável pela partida entre Atlético-GO e Flamengo. Logo aos 14 minutos do primeiro tempo, o juiz expulsou o técnico do time goiano, Jair Ventura, por xingamentos e palavrões. Felipe Alan Costa, assistente, foi quem relatou ao árbitro a situação.

O técnico Tite, do Flamengo, tentou intervir e reclamou com o quarto árbitro sobre a decisão. Em súmula, o árbitro do jogo relatou o xingamento recebido.

Ainda no primeiro tempo, Alejo, do Atlético-GO, levantou o pé contra o rosto do lateral-esquerdo do Flamengo, Ayrton Lucas. O time carioca reclamou a não expulsão do uruguaio, que recebeu apenas cartão amarelo na jogada.

O jogo estava empatado por 1 a 1, quando no último lance, Maguinho e Bruno Henrique disputaram uma bola pelo alto e dentro da área. O meio-campista do Atlético-GO levantou o braço e atingiu o rosto do atacante. Andre Luiz Skettino marcou penalidade máxima em favor do time carioca, e ainda expulsou o jogador do time goiano. Essa foi a maior polêmica do jogo.

Pedro cobrou o pênalti e deu a vitória ao time do Flamengo pelo placar de 2 a 1. Indignado com a atuação da arbitragem, ainda neste domingo o Atlético-GO publicou uma nota de repúdio contra o juiz, cobrando atitudes da CBF para melhorar a qualidade das decisões em campo.

Confira a nota na íntegra abaixo.

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo