Brasil

‘Mostrar que quem manda aqui somos nós’: Atlético-MG precisa de roteiro diferente de último clássico contra o Cruzeiro

No primeiro clássico da Arena MRV, o Atlético foi muito mal e viu o Cruzeiro fazer a festa em sua casa, por isso agora precisa de uma história diferente

No próximo sábado (3), o Atlético-MG vai receber o Cruzeiro pela segunda vez em sua casa, a Arena MRV. No primeiro duelo por lá, o Galo tinha tudo para vencer e afundar o rival no Campeonato Brasileiro, mas teve péssimo desempenho e postura, perdendo o jogo histórico. Agora, na segunda oportunidade, o Alvinegro precisa de um roteiro completamente diferente, e os jogadores sabem disso.

No primeiro clássico da história da Arena MRV, o Atlético nem sonhava em perder, pois era óbvio que o resultado entraria para a história e será lembrado para sempre, já que marcou a estreia do estádio. O Galo estava em boa fase e encarou um Cruzeiro mal técnica e emocionalmente, próximo da zona de rebaixamento e com a sensação de que se afundaria de vez em caso de derrota no clássico.

Mas essa superioridade toda do Atlético fez mal ao grupo de jogadores, que entrou em campo empolgado e achando que “já tava ganho”. O resultado? O Cruzeiro saiu vencedor e fez a festa dentro da casa atleticana. Na época, os próprios jogadores atleticanos admitiram o salto alto na hora de entrar em campo, e Felipão não conseguiu explicar como fazer com que eles pensassem diferente.

Para esse segundo clássico na Arena, os jogadores do Atlético então adotaram o discurso de fazer diferente do que fizeram no primeiro. Pelo menos foi o que garantiu o volante Otávio (que na época do primeiro foi um dos que admitiu salto alto), após a goleada contra o Democrata-GV no último domingo (28).

– Clássico sempre é um jogo importantíssimo de vencer. Principalmente jogando em casa e depois de todo aquele episódio que aconteceu no primeiro clássico da história da Arena. Então, a gente precisa se concentrar a semana inteira para fazer um grande jogo e vencer, que é muito importante — destacou o volante, que evitou falar em tom de “vingança” pelo primeiro revés.

Não podemos entrar como a gente entrou no primeiro clássico da nossa Arena. A gente precisa fazer um grande jogo e vencer. Pra mostrar que quem manda aqui dentro somos nós — disse Otávio

O goleiro Everson também comentou sobre como o clássico “aumenta a responsabilidade”, principalmente pelo Atlético jogar novamente em sua casa e precisar reverter o desastre que foi no primeiro confronto: “Só tivemos duas derrotas aqui, uma delas o clássico. No clássico, você tem que aumentar a responsabilidade, dar o verdadeiro valor a ele”, destacou.

Paulinho busca marcar o primeiro contra o Cruzeiro

Outro jogador do Atlético que comentou sobre o clássico foi o atacante Paulinho. Ele afirmou que o Galo perdeu “no detalhe” em 2023 (um gol contra de Jemerson), mas que isso ficou para trás: “A gente sabe que o nosso time tem todas as condições de sair daqui vitorioso, fazer um belo jogo e ganhar um jogo importante para a nossa sequência”.

Artilheiro do Atlético em 2023 com 31 gols, Paulinho não marcou nenhum desses contra o Cruzeiro nos três jogos que participou. O clube celeste, inclusive, é uma pedra no sapato do camisa 10 atleticano, que nunca marcou contra eles em seis jogos (outros três pelo Vasco). Ele tenta também balançar as redes pela primeira vez na temporada, já que passou em branco nos dois primeiros jogos.

Atlético x Cruzeiro pegado fora de campo

Depois de vários incidentes (dos dois lados) no jogo em 2023, Atlético e Cruzeiro começaram o clássico fora de campo antes da bola rolar. Nesta segunda (29), os clubes emitiram uma nota confirmando um acordo entre eles para torcida única nos duelos de 2024 e 2025. Algo que foi chamado (com razão) de “ridículo” pelo técnico Felipão, do Galo – que tem também sua história na Raposa.

Apesar do acerto entre as diretorias sobre a torcida, a relação entre eles fora de campo não é nada boa, inclusive o presidente do Atlético, Sérgio Coelho, e o CEO do Cruzeiro, Gabriel Lima, trocaram farpas publicamente através da imprensa. Certamente será um jogo marcado por mais discussões e problemas, dentro e fora do campo, antes e depois da bola rolar.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo