Brasileirão Série A

Atlético-MG: Felipão tem coletiva pós-derrota em clássico tão perdida quanto o time dele em campo

Felipão, assim como o time dele em campo, teve atuação perdida na coletiva após derrota para o Cruzeiro

O Atlético-MG fez uma péssima partida na Arena MRV neste domingo (22), que resultou na derrota para o Cruzeiro no primeiro clássico da história do seu estádio próprio. Na coletiva pós-jogo, Felipão, assim como o time dele, teve lapsos de boas respostas, mas na maior parte do tempo, também assim como o time em que dirige, ele demonstrou estar perdido.

Felipão iniciou a coletiva concordando que o Atlético não fez um bom jogo e que o Cruzeiro foi um time superior. Ele assumiu ainda que o time dele, mais uma vez, teve dificuldades na criação, o que resultou em apenas um chute ao gol, mesmo sendo donos da casa. O treinador fez questão de dar os méritos ao rival:

– Foi mérito do Cruzeiro, e muito. Organizaram um time com muita qualidade, principalmente no meio. Eles criaram essa superioridade. Quem merece os parabéns e fez o certo foi o Cruzeiro. Não adianta procurar justificativa, o Cruzeiro foi melhor – disse Felipão, que completou dizendo que a Raposa não deixou o Galo ser dominante.

Mas a coletiva começou a deslizar quando o treinador afirmou que o Cruzeiro não briga contra o rebaixamento, sendo que o time celeste tinha chance de entrar no Z4 em caso de derrota.

– O Cruzeiro não briga contra o rebaixamento. Tem time para jogar. O Cruzeiro tem equipe. Não tem uma equipe no Brasileiro que não tenha bons jogadores, que não seja razoável. O Cruzeiro vinha passando por um momento ruim, mas tem bons jogadores – disse o treinador.

A fala de Felipão é tão fora da realidade que nem os cruzeirenses concordam com ela. Internamente no Cruzeiro, todos sabem que a briga é sim contra o rebaixamento, inclusive foi tema na coletiva anterior a de Felipão, quando Zé Ricardo admitiu alívio pela vitória que distanciou o time da zona da degola.

Resposta fica ainda pior

Contra o Coritiba, então lanterna do Campeonato Brasileiro, Felipão e alguns jogadores do Atlético admitiram falta de postura do time por ser contra um rival teoricamente mais fraco. Contra o Cruzeiro, que briga contra o rebaixamento – diferente do que disse o treinador -, a atitude foi a mesma. Pelo menos foi o que garantiu Hulk na saída de campo.

Questionado pela Trivela sobre como fazer com que os jogadores do Atlético entendam que tem que jogar do mesmo jeito, com a mesma gana, em todos os jogos, Felipão, primeiro, interrompeu a pergunta e disse: “Vocês analisam uma situação que eu não vou analisar nunca. Não analiso quem está abaixo da tabela, quem é inferior. O Cruzeiro não é inferior”. Quando informado que os jogadores dele pensam assim, ele disparou:

– Falem o que quiserem, emitem a opinião que quiserem. Tem 20 times no Brasileiro e é muito difícil vencer o que está em primeiro e o que está em último, tem bons jogadores em todos.

Após a fala, Felipão foi, pela terceira vez, questionado pela Trivela de como fazer com que os jogadores entendam e tenham essa mentalidade. Ele, mesmo sendo o treinador do time responsável por isso, preferiu falar: “Aí tem que perguntar para os jogadores”.

Atlético sempre tropeça na Hora H

Não é a primeira vez que o Atlético tropeça quando tem a grande chance de entrar no G6 ou no G4 do Campeonato Brasileiro. Tem sido constante às vezes que o time não consegue dar o passo seguinte para entrar na zona que sonha. Para Felipão, isso tem a ver com a ansiedade do time nessas horas:

– Nós estamos apressados pelos pontos que estamos atrás. Quando vamos dar o outro passo, que vai nos fortalecer, não conseguimos. O que tem dado errado é que estamos ansiosos demais para dar o passo que precisamos dar. Agora, no momento que precisamos de três pontos para nos consolidar, não conseguimos. Na minha opinião, é ansiedade de vencer a partida em casa. Não é assim, não se vence de qualquer maneira.

Ainda seguindo no assunto, Felipão deu a entender que jogar em casa é o que afeta o time, pois fora há bons desempenhos. Para ele, ter os torcedores pressionando por uma vitória faz com que os jogadores sintam e acabem errando.

– Não vejo tanta dificuldade quando a gente joga fora de casa, pois não temos essa ansiedade toda. Mas aqui, com torcida, 30/40 mil torcedores do Atlético, parece que queremos fazer as coisas mais rápido. Tanto que passei o jogo todo pedindo calma. Essa pressa na jogada cria a dificuldade que não conseguimos criar.

Para corrigir essa questão de problemas psicológicos, Felipão afirmou que vai conversar com os jogadores, com a comissão e com os psicólogos do clube para tentar ver alguma forma de corrigir essa mentalidade.

Felipão admite que o Atlético vai sofrer

Com o objetivo de chegar na Libertadores do próximo ano, o Atlético não tem conseguido entrar na zona que dá vaga para a competição. Por esses tropeços já citados, Felipão admitiu que o time vai sofrer para cumprir essa missão:

– O objetivo é chegar entre os classificados para a Libertadores, mas a gente dá um passo e volta. Vai sofrer para chegar. Todo mundo sabe, se não, estaríamos em uma posição melhor. Colocamos na cabeça dos nossos jogadores que vamos estar entre os seis que vão para a Libertadores ano que vem.

Um dos pontos que vai “ajudar” o Atlético a sofrer para conseguir a vaga é a falta de criatividade do time. Em mais uma partida os comandados de Felipão demonstraram não saber o que estavam fazendo em campo. O treinador voltou a falar sobre falta de jogadores do tipo, mas, mesmo os que ele tem, como Pedrinho, Hulk e Paulinho, não conseguem desempenhar um bom futebol e criarem chances. Isso tudo está atrelado a forma como Scolari coloca o time dele em campo, apesar de os jogadores também estarem deixando a desejar em alguns jogos.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo