Brasil

Assim que assumir o Corinthians, António Oliveira terá pelo menos três desafios certos pela frente

Diretoria do Corinthians está confiante para chegada do treinador a tempo da partida do próximo domingo (11), diante da Portuguesa

O Corinthians ainda não tem um treinador, pelo menos não de maneira oficial. As tratativas com António Oliveira, que estava no Cuiabá, já estão definidas e o anúncio oficial só não foi concretizado por conta do entrave entre o clube na negociação dos valores a serem pagos pelo Corinthians ao Mano Menezes, que deixou o clube na segunda-feira (5).

A expectativa é que António chegasse já na quinta-feira (08) e reunisse os atletas para uma apresentação aos jogadores e funcionários do clube e também para quem sabe já dar seu primeiro treino dentro do CT. Dr. Joaquim Grava, mas não foi o que aconteceu, e o treinamento foi dado pelo Thiago Kosloski, auxiliar técnico do clube e que comandou o time no clássico diante do Santos.

Thiago Kosloski, treinador interino do Corinthians (Foto: Agência Corinthians)

Segundo apurado pela reportagem da Trivela, a diretoria do clube está otimista para que a chegada do novo comandante ocorra com tempo suficiente para regularização dele no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, e consequentemente inscrevê-lo para já estar na beira do gramado na partida de domingo (11), diante da Portuguesa, na Neo Química Arena.

Assim que chegar ao Corinthians, António Oliveira terá três desafios certos como treinador do Timão: recuperar o elenco no Paulistão, mudar a mentalidade psicológica do time e comandar o restante da reformulação do elenco deixada pela metade por Mano.

Recuperar psicológico do elenco e dos seus principais jogadores

O bom desempenho do time e os resultados favoráveis só acontecem se o elenco estiver bem estruturado nos três pontos-chave: físico, tático e mental. Um elenco ansioso e pressionado erra e falha mais, o que afeta diretamente a trajetória do clube nos campeonatos disputados, e é isso que o Corinthians tem passado desde o ano passado.

A temporada de 2023 foi conturbada de janeiro a dezembro, com o time vivendo um caos generalizado, conseguindo se recuperar no Campeonato Brasileiro, pressionado e sob protestos da torcida. O mesmo acontece agora, com apenas um mês jogando, a situação é a mesma, e António Oliveira precisará de alguma forma recuperar essa confiança dos jogadores antes de ter os resultados efetivos.

Depois da partida diante do Santos, o interino Thiago Kosloski falou sobre a pressão que o time tem passado e sobre a necessidade de achar formas efetivas de proteger o elenco:

— O psicológico dos atletas é complicado, ter a faca no pescoço a todo tempo. O ano mal começou e tivemos cinco derrotas, brigando pelo rebaixamento. A gente trabalha com o ser humano, que sente a pressão também. O maior desafio é blindar os atletas, não esconder nosso sentimento de indignação — disse Kosloski.

Recuperação no Campeonato Paulista

O Corinthians de 2024 tem seu pior começo de temporada dos últimos anos. O time é o lanterna no grupo C, com apenas três pontos somados e um saldo de gols negativo em menos cinco. Todo esse problema é resultado da sequência de derrotas do Timão. São cinco em seis jogos:

  • Ituano 1 x 0 Corinthians – 2ª rodada
  • São Bernardo 1 x Corinthians – 3ª rodada
  • Corinthians 1 x 2 São Paulo – 4ª rodada
  • Corinthians 1 x 3 Novorizontino – 5ª rodada
  • Santos 1 x 0 Corinthians – 6ª rodada

O novo treinador precisará arrumar o time taticamente, evitando os mesmo erros cometidos nas partidas anteriores, e fazer com que os setores do campo se conversem o suficiente para conseguir sair com vitórias. O desafio maior é desenvolver uma melhora na construção de jogadas, fazendo com que a bola chegue da melhor forma possível aos dois atacantes do time.

Se estiver no banco de reservas nos próximos dias, o desafio será o jogo contra a Portuguesa, que a depender do resultado pode ou não colocar o time em uma situação mais desconfortável. O time é vice-lanterna na tabela geral, e tem apenas mais seis partidas para conseguir se reerguer e não cair para a Série A-2 do Paulistão.

Terminar a reformulação prometida para a temporada

António vai encontrar um time com poucas peças e vivendo mudanças em todas as áreas. Além disso, sob um atraso na reformulação do elenco prometida desde o fim do Brasileirão no início de dezembro. Ou seja, mais um desafio para o treinador será comandar junto a diretoria essas novas peças que devem chegar ao elenco, monitorar opções no mercado e ajudar tudo isso dentro do campo.

Além de não ter participado da pré-temporada, António Oliveira ainda terá que lidar com outras questões como jogadores experientes que tem sido muito cobrados pela torcida recentemente, casos de Cássio e Fagner, por exemplo, que estão há mais de dez anos no clube, conquistar a confiança deles e fazer com todo o elenco corra “por ele” pela mudança no padrão do time.

O novo treinador deve chegar praticamente com os dois novos reforços do Timão, o lateral Matheuzinho, comprado do Flamengo, e o meia Igor Conorado, que estava no Al-Ittihad, da Arábia Saudita, e conseguiu sua rescisão de contrato para poder voltar ao Brasil e atuar pelo clube do Parque São Jorge.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo