Copa da Ásia

Quando vai ser disputada a Copa da Ásia de 2024?

Maior competição de seleções da Ásia começa no dia 12 de janeiro com confronto entre Catar e Líbano

A Copa da Ásia, termômetro para as seleções da região antes da sequência da disputa das Eliminatórias do continente para a Copa do Mundo, terá seu início no dia 12 de janeiro (sexta-feira) no Catar, com a estreia dos donos da casa diante da seleção do Líbano. O jogo de abertura da competição acontece no Lusail Iconic Stadium, que recebeu jogos da última Copa do Mundo em 2022, às 13h (horário de Brasília). A competição estava marcada anteriormente para acontecer em 2023 na China, mas foi adiada para janeiro.

A última edição da competição aconteceu em 2019 e foi vencida pelo Catar, que bateu o Japão pelo placar de 3 x 1. Jogando em casa, após ter tido a experiência de ter sediado a última Copa do Mundo, a seleção anfitriã chega forte para defender seu título e tentar conquistar a sua 2ª conquista continental. O páreo será duro, já que outras seleções tradicionais do cenário como a Coreia do Sul, a Austrália e o próprio time japonês estão de olho no título da competição.

Japão é o maior campeão asiático e busca encerrar jejum de 13 anos

Campeão em 1992, 2000, 2004 e 2011, os Samurais Azuis estão há 12 anos na fila sem saber o que é ganhar a Copa da Ásia. Incomodados com esta situação, o time treinado por Hajime Moriyasu tem dado show de bola nos últimos amistosos, com direito a goleada em cima da Alemanha por 4 x 1 e é uma das maiores favoritas a vencer o torneio. Com a final diante do Catar em 2019 ainda atravessada na garganta, o time japonês vai em busca de mais um título continental  e está no Grupo D, ao lado de Indonésia, Iraque e Vietnã.

Outra tradicional seleção asiática que faz um bom tempo que não conquista o continente é o Irã, tri-campeã da Copa da Ásia (1968, 1972 e 1976) e vai buscar quebrar este jejum. O time iraniano está no Grupo C, ao lado dos Emirados Árabes, Hong Kong e Palestina. A Arábia Saudita, também tri-campeã da competição em 1984, 1988 e 1996, está no Grupo F junto a Tailândia, Quirguistão e Omã. O time árabe, pode chegar longe, pois conta com uma geração talentosa e também por conta do alto investimento do país no futebol.

Treinada por Jurgen Klinsmann, a Coreia do Sul faturou a Copa da Ásia em duas oportunidades (1956 e 1960). O grande expoente técnico do time é Heung-min Son, astro do Tottenham da Inglaterra e está no Grupo E, dividindo a chave ao lado da Malásia, Jordânia e Bahrein. Sobre a expectativa de jogar a competição, o treinador alemão afirmou que todos os jogadores da seleção coreana estão motivados a fazer uma grande campanha e mais do que isso, estão prontos para quebrar o jejum, que vai completar 64 anos em 2024.

“Falei com muitos dos meus jogadores, eles estão por toda Europa, eles jogam na K-League, na China, no Japão e estão todos muito empolgados. Somos um time forte. Nos olhamos no espelho e dizemos que iremos ao Catar para vencer o torneio”, afirmou Klinsmann.

A Austrália é mais uma forte candidata ao título da Copa da Ásia. Os Socceroos estão no Grupo B junto do Uzbequistão, Síria e Índia e tentam repetir o feito de 2015, quando sediou e venceu o torneio. Com tantos candidatos ao título, a competição em 2024 promete muitos jogos de alto nível e intensa disputa pelo caneco.

Por que a Copa da Ásia mudou de sede?

A Copa da Ásia seria disputada na China, inicialmente no ano de 2023, entre os meses de junho e julho, respeitando o período de quatro anos entre uma competição e outra. Entretanto, após complicações nos casos de Covid-19 no país e da política de tolerância zero a disseminação da doença, foi necessário que o torneio fosse adiado e a sede também fosse alterada.

Sendo assim, o Catar manifestou o seu interesse em sediar a competição, um ano após ter recebido a Copa do Mundo. A AFC acatou o interesse dos catarianos e mudou a data de abertura da competição para o dia 12 de janeiro e seu encerramento para 10 de fevereiro.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de SouzaRedator

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo