Ásia/Oceania
Tendência

Benzema cita religião e possível “impacto global” do futebol saudita como motivos que o levaram ao Al Ittihad

O francês de 35 anos foi apresentado nesta quinta-feira diante de milhares de torcedores do clube saudita

Ser muçulmano teve um papel na decisão de Karim Benzema em aceitar a proposta indecorosa do Al Ittihad para passar os próximos três anos da sua carreira na Arábia Saudita, afirmou o atual detentor da Bola de Ouro nesta quinta-feira, dia da sua apresentação oficial à torcida. Ele também citou o possível impacto global que o futebol saudita pode ter. Além disso, agora uma opinião minha, € 200 milhões por temporada também devem ter ajudado bastante.

Benzema foi recebido com luzes e fogos por um estádio aparentemente lotado nesta quinta-feira para a sua apresentação oficial. Aproveitou para levar a Bola de Ouro que recebeu da revista France Football, caso alguém tenha esquecido que ele é um dos melhores jogadores do mundo. Enfrentará outro craque no futebol local, frente a frente com Cristiano Ronaldo, atacante do Al Nassr.

“Sou muçulmano e sempre quis viver aqui. Já estive na Arábia Saudita e me sinto bem lá. Quando falei com minha família sobre a minha transferência, todos ficaram muito felizes e aqui estou, é onde quero estar”, afirmou o jogador de 35 anos que ainda tinha uma temporada de contrato com o Real Madrid, do qual se despediu como uma grande lenda.

Ronaldo chegou a dizer que o Campeonato Saudita pode se tornar um dos cinco maiores do mundo. Benzema foi mais comedido, mas ainda citou o potencial da liga, cujo controle de seus quatro principais clubes recentemente passou para as mãos do Fundo Público de Investimentos, o fundo soberano da Arábia Saudita – que também controla o Newcastle.

“É muito importante mostrar que o futebol saudita pode ter um impacto global porque não é apenas sobre jogar bem aqui. Eu tenho que trazer o sucesso que consegui atingir na Europa e jogar do mesmo jeito que jogava no Real Madrid”, disse. “Ganhei muitas coisas na Europa. Vim para cá com muita ambição e vontade de trazer minha experiência, esperando ganhar muitos títulos e com vontade de elevar este clube, que já está bem alto”.

Ele também destacou a importância de ter outras figuras no futebol saudita, como seu ex-colega de clube. “É meu amigo. É importante que ele esteja na Arábia Saudita porque é um jogador muito importante. Também ele representa a nova era do futebol neste país e o progresso que está acontecendo aqui. Ele contribui muito para o futebol deste país e isso elevará ainda mais o nível de jogo”, completou.

O Al Ittihad conquistou o último título do Campeonato Saudita, sob o comando de Nuno Espírito Santo, e conta com vários brasileiros, como Romarinho, Marcelo Grohe e Bruno Henrique.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo