Sul-Americana

Corinthians: Luxa gasta o espanhol, peita peruanos e dá puxão de orelha

Treinador pediu desculpas por gesto de Ryan Gustavo antes da confusão no final do jogo

Os sorrisos de Vanderlei Luxemburgo na entrevista coletiva provam que toda a tensão pré-jogo no Peru terminou com a classificação do Corinthians com vitória por 2 a 1 sobre o Universitario e a vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O técnico mostrou seu espanhol e deu um puxão de orelhas ao herói da classificação alvinegra.

O que Luxemburgo disse na entrevista?

  • O técnico pediu desculpas por um gesto de Ryan Gustavo antes da confusão no final do jogo;
  • Reforçou que o caso de racismo é um problema do Universitario “com a Justiça”, não com o Corinthians;
  • Ele se esforçou para responder o máximo de perguntas possível na língua local, o espanhol.

Luxa se desculpa por comemoração de Ryan Gustavo

A transmissão do jogo não esclareceu muito bem o motivo da confusão nos minutos finais do jogo, mas os corintianos admitiram que a causa foi a comemoração de Ryan Gustavo, que fez o gol da classificação. Ele levantou a camisa na direção da torcida adversária, o time peruano não gostou e quis partir para a briga.

“Quero fazer um pedido de desculpas pelo meu atleta, que é muito jovenzinho, tem só 20 anos. É a primeira vez dele em uma viagem internacional, fez um gol importante e fez algo que excedeu o futebol. Peço desculpas aos torcedores, aos jogadores, à comissão técnica, porque não é legal terminar o jogo com confusão. Peço desculpas”, repetiu Luxemburgo logo no começo da entrevista, dando um puxão de orelha público antes mesmo da primeira pergunta.

Róger Guedes também falou sobre o assunto, admitiu que o elenco “estava preocupado com o jogo”, mas que “o futebol tem que ficar dentro de campo. Com as brigas, temos que acabar”.

“O problema do Universitario foi com a Justiça”

Luxemburgo deu resposta dura, ainda que a seu modo, quando questionado sobre uma possível “responsabilidade” do Corinthians no clima hostil que se criou para a partida em Lima.

“Não. Da partida passada, não. Não fizemos nada que deixasse o ambiente tenso”, começou dizendo. Depois repetiu as desculpas pelo gesto de Ryan Gustavo, mas não aliviou sobre a denúncia de racismo ao preparador físico do Universitario, que está preso no Brasil desde a última terça-feira (11).

“Disse antes do jogo: nós temos que respeitar as leis de um país. A lei do Peru é uma e no Brasil é outra. Nós não fizemos nada com eles no nosso campo, o problema [do Universitario] lá foi com a Justiça. Fiquei preocupado porque o Brasil tem uma lei, e o preparador físico fez algo ruim para nós; se fizéssemos algo ruim aqui, seria o mesmo. O que o futebol tem a ver com isso?”, questionou o treinador corintiano.

“É preciso ter muito cuidado para não criar um clima muito tenso para os jogadores. O futebol é jogado em campo, é lá que tem que acontecer”, encerrou.

Descontração com “espanhol terrível”

“Fale um pouco mais devagar, porque meu espanhol é um pouco terrível”, pediu Luxemburgo a um dos jornalistas, durante a entrevista. Ele fez questão de responder o máximo de palavras que conseguiu no idioma local, mas o portunhol não estava tão afiado.

Luxemburgo conheceu de perto o espanhol nos tempos de Real Madrid, em 2005, quando treinou os Galácticos por 45 jogos e acabou demitido após entrar em rota de colisão com alguns jogadores. Durante a carreira o técnico teve outros três trabalhos no exterior: na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes, ambos nos Anos 1980, e mais recentemente no Tianjin Quanjian, da China.

Quem é Ryan Gustavo, herói do Corinthians no Peru

Ele é volante, completou 20 anos no último sábado (15) e no Peru fez apenas a sua segunda partida como profissional do Corinthians. Já tinha jogado alguns minutos contra o Liverpool (URU), há três semanas, ganhou nova chance e decidiu a classificação sobre o Universitario com um gol nos acréscimos.

Ryan já tem mais de dez anos de Corinthians, pois chegou ao clube para a categoria sub-11. Chegou ao sub-17 em 2019, subiu mais um degrau nas categorias de base em 2021 e tem 12 gols em 88 partidas pelo time sub-20.

Foto de Arthur Sandes

Arthur Sandes

Arthur Sandes é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e um dos vencedores do Troféu Aceesp em 2021, na categoria Matéria do Ano. Passou por Gazeta Esportiva, UOL e atualmente está na cobertura diária do Corinthians na Trivela.
Botão Voltar ao topo