Libertadores

Zubeldía estreia com vitória e já coloca novo São Paulo em ação; veja o que deu certo

São Paulo se impõe fora de casa e vence o Barcelona-EQU por 2 a 0 no primeiro jogo com seu novo técnico

Minutos após ser apresentado oficialmente como técnico do São Paulo, Luis Zubeldía disse se sentir predestinado a ocupar este cargo. Palavras que soaram proféticas na noite desta quinta-feira (25) em Guayaquil. No Equador que aprendeu a chamar de casa, o técnico fez a sua estreia no comando do Tricolor. Mas parecia até que ele comandava a equipe há longas temporadas, tamanha a superioridade e autoridade são-paulinas na vitória por 2 a 0 sobre o Barcelona-EQU, pela Libertadores.

O argentino que assumiu o São Paulo para mudar os rumos da temporada tem um longo caminho pela frente para cumprir sua missão. Mas a estreia com a melhor atuação da equipe em 2024 mostra que o rumo, ao menos, está correto.

Os pontos altos da estreia de Zubeldía

  • Novo esquema funcionou;
  • time conseguiu colocar ideias em prática, especialmente em fase ofensiva;
  • as inversões de jogada foram a grande arma da equipe;
  • defesa foi perfeita no primeiro tempo, mas sofreu na segunda etapa;
  • vitória indica caminhos para brigar por títulos em 2024

Novo esquema funciona, mas com doses de sofrimento

Envolto em trâmites burocráticos para resolver a sua documentação a tempo da estreia, Luis Zubeldía teve tempo de comandar apenas um treino com todos os jogadores no gramado, já em solo equatoriano. E mesmo com minutos tão escassos de trabalho, o técnico já conseguiu dar uma nova cara ao São Paulo, a começar pelo esquema tático.

O argentino desmanchou o sistema com três zagueiros e armou o Tricolor no 4-2-3-1, com Ferreira e André Silva como extremas, e Luciano centralizado como meia. Na defesa, Alan Franco foi o escolhido para melhorar a saída de bola pela esquerda. A nova formação tática permitiu à equipe uma atuação fiel aos conceitos que o próprio treinador elencou durante a sua entrevista coletiva de apresentação.

Soberana no primeiro tempo, defesa sabe sofrer no segundo

A prioridade era a organização tática sem a bola. O argentino queria que sua equipe tivesse noção das alturas do campo para aplicar pressão ao adversário nos momentos mais apropriados. Funcionou muito bem no primeiro tempo: o São Paulo pressionou apenas quando estava organizado para não correr riscos. As coberturas foram quase perfeitas, e os jogadores mais adiantados tinham tranquilidade para obedecer os gatilhos de pressão e subir a marcação para incomodar a defesa rival. Rafael sequer trabalhou antes do intervalo

No segundo tempo, porém, vieram boas doses de sofrimento. O Barcelona-EQU ficou mais com a bola e empurrou o São Paulo para trás para ocupar o campo de ataque. Os equatorianos encontraram caminhos pelas beiradas, com cruzamentos e infiltrações, para levar muito perigo, a ponto de obrigar Rafael a fazer dois milagres.

Ataque funciona à feição de Zubeldía

Uma vitória por 2 a 0 fora de casa indica que tudo funcionou bem para o São Paulo em Guayaquil. Mas a verdade é que essa frase só pode ser aplicada sem ressalvas às movimentações ofensivas da equipe. O Tricolor foi praticamente perfeito sempre que teve a posse de bola. Tanto, que pareceu até que Zubeldía estava no comando há anos, e não apenas pela primeira vez.

O Tricolor gosta de equipes com dois extremas bem abertos para dar amplitude e explorar a velocidade no um contra um em momentos de superioridade numérica — marca registrada de seu trabalho vitorioso pela LDU. Foi algo que ele afirmou ter aprendido ao longo de seus 16 anos de carreira. Antes, Zubeldía queria que seus times construíssem o jogo de forma direta. Hoje ele já prioriza a cadência, para ser agressivo apenas em situações vantajosas.

E o São Paulo soube fazer isso do início ao fim. Com André Silva aberto pela direita e Ferreira como extrema pela esquerda, a equipe abriu o campo e criou as vantagens para ser agressiva de forma organizada. A construção nem sempre foi direta, mesmo que Calleri fosse uma opção constante para fazer jogadas no pivô. Por muitas vezes, o Tricolor controlou mais o jogo, a ponto de ter mais de 60% de posse, mesmo fora de casa.

Gol que abriu o placar é exemplo a ser seguido

Mas a maior prova de que o São Paulo já joga sob a cartilha de Zubeldía foi a jogada do gol que abriu o placar. Como tem sempre dois jogadores praticamente colados na linha lateral, o treinador gosta de avançar pelos lados do campo e usar as viradas de jogo para encontrar seus pontas ou laterais em condição de igualdade ou superioridade numérica. Assim, eles podem partir partir para a definição da jogada, enquanto meio-campistas se juntam ao centroavante para ocupar a área.

O primeiro gol nasceu desta movimentação. Em uma jogada que começou na defesa, André Silva dominou pela direita e fez a inversão para Ferreira. O atacante dominou e foi para cima do marcador para tentar um cruzamento certeiro: na cabeça de Calleri para abrir o placar.

O gol que definiu a vitória também veio de uma característica pedida por Zubeldía. O treinador orienta suas equipes a ter muitos jogadores na área em situações de ataque e também nas bolas paradas. Foi assim que o volante Alisson aproveitou um rebote de cobrança de escanteio para limpar a defesa e chutar sem chances para o goleiro rival.

A situação do São Paulo na Libertadores

Com a vitória, o São Paulo garante uma posição confortável no Grupo B da Libertadores. O Tricolor ocupa a segunda colocação da chave com seis pontos – quatro a mais que o Barcelona-EQU, terceiro colocado, com dois. O líder é o Talleres-ARG, com sete pontos. A próxima partida será contra o lanterna Cobresal-CHI no dia 8 de maio, no Estádio Municipal de Calama, no Chile.

> Os próximos jogos do São Paulo

  • São Paulo x Palmeiras — Brasileirão — segunda-feira, 29 de abril, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura)
  • Águia x São Paulo — Copa do Brasil — quinta-feira, 2 de maio, às 19h30 (horário de Brasília) — Transmissão: Amazon Prime (streaming)
  • Vitória x São Paulo — Brasileirão — domingo, 5 de maio, às 16h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo