Libertadores

Lucas sonhou com Libertadores e estreia no torneio como dono do São Paulo

Números comprovam que São Paulo de Thiago Carpini depende de Lucas para ir bem

Sob a sombra do título inédito da Copa do Brasil conquistado dentro de campo com a camisa do clube do coração em seu retorno após 12 anos, Lucas Moura tirou os últimos dias de 2023 para discutir com a família qual seria a melhor decisão para a sua carreira na temporada seguinte. O contrato com o São Paulo estava por encerrar, e o sonho de disputar pela primeira vez a Libertadores falou mais alto.

Lucas ficou. Renovou o seu vínculo por mais três anos para poder realizar um desejo que só se torna realidade porque ele fez por merecer. O camisa 7 ajudou (e muito) o São Paulo a ser campeão e garantir a vaga na principal competição continental. Agora, ele fará a sua estreia nesta quinta-feira (4), às 21h (horário de Brasília), diante do Talleres, no Estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba (veja onde assistir). Como de costume, o meia-atacante entrará em campo com a missão de comandar o Tricolor como grande referência da equipe de Thiago Carpini.

“O São Paulo tem uma tradição linda na Libertadores, e eles veem isso. O Brasil tem dominado nos últimos anos. Temos que fazer nosso papel, saber da nossa força, jogar e conseguir a classificação”. (Lucas Moura)

Em entrevista ao podcast Santo Papo, produzido pelo departamento de comunicação do São Paulo, Lucas não escondeu a ansiedade de enfim jogar uma Libertadores. O camisa 7 chegou a admitir que não consegue acompanhar tão de perto todos os adversários da chave – além do Talleres, o Grupo B tem Cobresal, do Chile, e Barcelona de Guayaquil, do Equador. Mas disse também que espera um confronto físico e difícil na Argentina.

– É difícil acompanhar cada campeonato. Mas são rivais que vão brigar bastante na parte física. O Talleres vai ser difícil na Argentina. Mas independentemente do adversário, a gente que tem que se preparar da melhor maneira para se classificar – disse Lucas no podcast Santo Papo.

Lucas é o dono do São Paulo em 2024

Os são-paulinos nunca vão se esquecer de como o camisa 7 assumiu o protagonismo para levar a equipe à final da competição. A estrela de Lucas brilhou com o gol da vitória por 2 a 0 sobre o Corinthians no jogo da volta da semifinal, diante de um MorumBIS lotado. Mas a verdade é que desde o seu retorno, o meia-atacante nunca foi tão decisivo para o São Paulo quanto em 2024.

Lucas Moura iniciou a temporada sob um jejum de mais de mil minutos sem gols. Bastou apenas a estreia para ele dissipar a seca ao marcar logo o primeiro gol do ano na vitória por 3 a 1 sobre o Santo André, no MorumBIS, na estreia no Campeonato Paulista. O meia-atacante até sofreu com uma lesão muscular que o tirou de campo na conquista da Supercopa do Brasil sobre o Palmeiras, no Mineirão. Mas o problema médico não foi suficiente para ofuscar o seu papel de protagonista da equipe.

Lucas comanda o Sâo Paulo em 2024 (IconSport)

Não soa como exagero algum dizer que Lucas é o dono do São Paulo em 2024. Os números da temporada estão aí para comprovar esta afirmação. O Tricolor de Thiago Carpini depende de seu camisa 7 para ir bem neste ano. Basta olhar para o desempenho da equipe quando o meia-atacante está em campo e para como o rendimento despenca em sua ausência.

O São Paulo está invicto e soma 71,4% de aproveitamento nos sete jogos em que Lucas atuou neste ano. As estatísticas desabam nas outras sete partidas sem o camisa 7: são apenas duas vitórias, três empates e duas derrotas, com míseros 42,8% de aproveitamento.

São Paulo em 2024

  • Com Lucas Moura:
    7 jogos
    4 vitórias
    3 empates
    71,4% de aproveitamento
  • Sem Lucas Moura:
    7 jogos
    2 vitórias
    3 empates
    2 derrotas
    42,8% de aproveitamento

Outros números também ajudam a comprovar a (óbvia) “Lucasdependência” do São Paulo. Lucas balançou as redes duas vezes e soma ainda quatro assistências em 2024. É com sobras o jogador que mais participa de gols na equipe. Quase 30% dos 21 gols marcados pelo Tricolor passaram por seus pés.

Não é à toa que o desempenho do ataque e muito inferior quando ele não está em campo. O São Paulo marcou 14 gols nos sete jogos com Lucas. A média de dois gols por partida cai pela metade nos sete jogos sem ele – são sete gols marcados.

Agora, o camisa 7 quer levar todos esses números do Campeonato Paulista à principal competição do continente. O São Paulo estreia na Libertadores nesta quinta-feira (4), às 21h (horário de Brasília), quando enfrenta o Talleres no Estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo