Copa América 2024

A Seleção ainda depende de Neymar para jogar bem? Comentaristas respondem

Alexandre Lozetti, Leonardo Bertozzi e Mauricio Noriega respondem se Brasil ainda depende de Neymar

Fora da Copa América devido a uma grave lesão no joelho esquerdo, Neymar fez questão de estar perto da seleção brasileira nos Estados Unidos. O atacante assistiu in loco ao empate em 0 a 0 com a Costa Rica, na última segunda-feira (24), na estreia do Brasil na competição.

Como um verdadeiro torcedor, o camisa 10 sofreu e se frustrou com a atuação ruim (para dizer o mínimo) da equipe na partida. O desempenho, aliás, foi tão abaixo do esperado que suscitou um debate nas redes sociais: Neymar faz falta à Seleção? E a Seleção ainda depende de Neymar para jogar bem?

Nesta sexta-feira (28), às 22h (horário de Brasília), o Brasil enfrenta o Paraguai em Las Vegas pela segunda rodada do Grupo D da Copa América. No aquece para uma partida que já tem contornos decisivos, a Trivela consultou comentaristas para responder a estas duas perguntas.

Neumar se lesiona em jogo contra o Uruguai
Neymar não atua desde a derrota para o Uruguai, em outubro (Foto: IconSport)

A Seleção ainda depende de Neymar?

Noriega: Nenhum jogador se aproxima dele (Neymar)

O Neymar em forma ainda é o jogador que reúne as melhores condições técnicas de longe na seleção brasileira. E não tem nenhum jogador que se aproxime dele em termos de capacidade e até mesmo em alternativas táticas.

Para o colunista da Trivela Mauricio Noriega, a resposta é direta e contundente: Neymar faz, sim, falta à Seleção. E muita. 

Em sua opinião, o camisa 10 pode até não ter as mesmas velocidade e explosão de outros tempos, até por já ter 31 anos de idade. A juventude de Vini Jr. e Rodrygo o supera neste quesito. Mas é o único. Em todos outros fundamentos, Neymar é superior aos atuais jogadores do Brasil.

O Neymar faz falta e faz muita falta à Seleção, que depende dele. Por quê? Se a gente for avaliar os melhores jogadores da Seleção, tecnicamente… Paquetá, Rodrygo e Vini Jr., o Neymar é melhor que todos eles em praticamente todos os fundamentos. O Neymar só perde em juventude e velocidade.

— Vini Jr., por exemplo, o Neymar finaliza as jogadas muito melhor do que o Vini, mas muito melhor. Não estou falando só em finalização, mas em tudo. Rodrygo, a mesma coisa. O Neymar tem a bola parada e o Neymar tem um passe quando ele joga mais recuado que o Paquetá não consegue exercer.

Lozetti: É hora de pensar na equipe sem ele

Qualquer time do mundo que pode ter Neymar e não o tem, sente falta. Não é diferente com a Seleção.

É justamente na questão física de Neymar que entra a ponderação do comentarista do Grupo Globo Alexandre Lozetti. Para o jornalista, é inegável que Neymar faz falta à Seleção — e a qualquer outra equipe que possa contar com ele.

A questão, porém, é que Neymar convive cada vez mais com lesões e com menos minutos em campo. Além disso, as suas aparições públicas mostram que ele parece muito mais interessado na vida fora do futebol.

É hora de pensar numa equipe sem ele. Não por vontade do treinador ou de quem quer que seja, mas pelo que aponta o histórico recente do craque: cada vez menos jogos, menos tempo em campo, menor o nível de competição em que está inserido, mais lesões, um interesse aparentemente menor pela profissão.

— Os últimos anos de Neymar não indicam um tempo ainda longo de seleção brasileira. Isso pode mudar. Tomara que mude, mas é a realidade atual. Mais do que necessário é amadurecer a relação com nossos craques.

— No início, Neymar não podia sair de jeito algum. Depois, o time não podia ser refém dele. Agora, a dúvida é se ele faz falta. Claro que faz. Mas é possível jogar melhor sem ele. E, quando ele estiver de volta, é possível jogar melhor com ele do que vinha acontecendo em suas últimas aparições.

Bertozzi: De qual Neymar a gente está falando?

— O que existe agora é só um grande ponto de interrogação em relação ao futuro. Quando o Neymar voltará? Como o Neymar voltará? Em que condição física ele voltará? Tudo isso.

O comentarista do Grupo Disney Leonardo Bertozzi segue linha de pensamento semelhante. A grande ponderação é sobre quais serão as condições físicas e de competitividade de Neymar quando ele retornar aos gramados.

— Antes de mais nada, é necessário entender de qual Neymar a gente está falando. Se é do Neymar que jogou pela Seleção Brasileira até hoje, é o maior artilheiro da Seleção Brasileira, certamente ajudaria muito ter um jogador dessa importância, desse talento.

— Não dá para passar uma borracha na história do Neymar na seleção brasileira e nem descartá-lo para o futuro. Mas isso independe da Seleção estar bem ou mal. É muito fácil falar que falta o Neymar só porque o último jogo não foi bom. E aí quando joga bem, ‘ah, está vendo? Não precisa do Neymar’.

— A coisa não pode ser tão binária assim. Se ele voltar e voltar bem, tem que ser considerado igual a qualquer jogador e ao que ele pode trazer de diferente. O Neymar é o jogador mais talentoso que o Brasil produziu no mínimo na última década, e isso não pode ser descartado de uma hora para outra, mas depende dele de como ele vai voltar.

Neymar encontra Dorival Júnior na Seleção
Neymar encontra Dorival Júnior na Seleção (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

O que Dorival pensa?

Para muitos, a lembrança imediata da relação entre Neymar e Dorival Júnior é a desavença que os dois tiveram no Santos em 2010 — um atrito que já foi resolvido e faz parte do passado. Prova disso é que o treinador conta (e muito) com o atacante na Seleção.

Dorival considera Neymar um dos três maiores jogadores do mundo na atualidade. Mas também sabe que o Brasil precisa de alternativas de jogo para suprir a ausência do camisa 10.

— O Brasil tem que aprender a jogar sem o Neymar porque agora ele tem uma lesão. Mas nós temos um dos três maiores jogadores do mundo, e depois vamos contar com ele — Dorival Júnior.

Os próximos jogos da Seleção na Copa América

  • Brasil x Paraguai — sexta-feira, 28 de junho, às 22h (horário de Brasília) — Las Vegas
  • Brasil x Colômbia — terça-feira, 2 de julho, às 22h (horário de Brasília) — Santa Clara
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo