Alemanha

Sonha com Xabi Alonso e acorda com Rangnick? A corrida do Bayern por um novo técnico

Bayern acumula negativas no mercado e apela para Ralf Rangnick, que comanda a Seleção Austríaca e se prepara para Eurocopa

Julian Nagelsmann foi mandado embora em um movimento um tanto quanto estranho e questionável. Thomas Tuchel chegou e, apesar do título da Bundesliga 2022/23, não conseguiu a regularidade necessária para permanecer no cargo. Dito isso, o Bayern de Munique está a procura de um novo técnico. A temporada ainda não acabou, e o Gigante da Baviera disputa uma semifinal de Champions League. Porém, a diretoria bávara se antecipou e comunicou, em fevereiro, que Tuchel não permanece para 2024/25. A pergunta que fica é: quem assumirá o comando do maior clube da Alemanha?

Levando em conta a grandeza e tradição da instituição, ser treinador do Bayern de Munique é considerado um emprego dos sonhos para praticamente qualquer profissional da área. Ainda assim, não está nada fácil encontrar um nome a altura do cargo. Alguns técnicos já foram sondados pela alta cúpula bávara, no entanto, o número de negativas cresce a cada semana. Em partes, relatamos a corrida do Gigante da Baviera na busca por um novo comandante.

Tuchel não correspondeu às expectativas

Julian Nagelsmann triunfou no Bayern. Porém, os três títulos conquistados (Bundesliga 2021/22 e Supercopa da Alemanha de 2021 e 2022) não foram suficientes para o segurar no cargo por muito tempo. Veio a primeira turbulência, e o jovem treinador acabou substituído por alguém mais experiente: Thomas Tuchel. Livre no mercado, o ex-Chelsea e PSG não titubeou e aceitou prontamente o convite do clube da Baviera.

Tuchel cumpriu seu objetivo nos primeiros meses de Bayern. Aos trancos e barrancos, o time bávaro contou com tropeço do Borussia Dortmund na última rodada e se sagrou campeão da Bundesliga pela 11ª vez consecutiva. Na Champions League, entretanto, as coisas não deram muito certo, e o Gigante da Baviera foi massacrado pelo Manchester City na fase de quartas de final. Mas quem poderia culpá-los? Pep Guardiola liderava, de longe, o melhor time da Europa, que mais tarde se tornaria vencedor do torneio continental pela primeira vez.

Veio 2023/24, e a torcida do Bayern vivia a expectativa por uma temporada mais vencedora. Tuchel foi mantido no cargo e ganhou um reforço de peso. Harry Kane chegou e assumiu o comando de ataque bávaro. Tudo levava a crer que o clube da Baviera dominaria o cenário nacional e brigaria cabeça a cabeça com Real Madrid e Manchester City na Champions League. Todavia, não foi o que aconteceu. Pelo contrário. O Bayern sucumbiu na Alemanha: sequer faturou a copa local e viu o Leverkusen vencer a Bundesliga com cinco rodadas de antecedência.

Na base da camisa e tradição, o Bayern chegou à semifinal da Champions. No jogo de ida, empatou por 2 a 2 com o Real Madrid, e agora decidirá a vaga no Santiago Bernabéu. Porém, nem mesmo a boa campanha na principal competição europeia conseguiu sustentar Tuchel. Em comum acordo com a diretoria, o técnico alemão anunciou que não fica para 2024/25.

De fato, as coisas não aconteceram como planejado. Tuchel, diretoria e torcida: ninguém esperava tamanho insucesso do Bayern no futebol alemão em 2023/24. Kane pode ter correspondido o investimento e marcado gols a rodo, mas os diversos problemas, dentro e fora de campo, minaram a temporada do clube. No geral, as performances da equipe bávara foram bem decepcionantes. Acúmulo de lesões, erros técnicos individuais, escolhas equivocadas de Tuchel. Tudo isso, além de outros fatores, culminaram na perda de todos os títulos domésticos e na saída do treinador.

Opções já tentadas pela diretoria do Bayern

Xabi Alonso

Sonho de consumo do Bayern de Munique e de outros gigantes do futebol europeu, Xabi Alonso não mudará de ares em 2023/24. À frente do Bayer Leverkusen, o ex-volante faz história na atual temporada. Campeão da Bundesliga com cinco rodadas de antecedência, finalista da Copa da Alemanha e semifinalista da Liga Europa, o jovem e promissor técnico de 42 anos rejeitou propostas (inclusive do Bayern) e decidiu permanecer onde está.

— Tive uma boa conversa com o Bayer Leverkusen e comuniquei a eles que continuarei no clube. Depois de muita conversa sobre meu futuro, aproveitei o intervalo para refletir e tomar minha decisão. Para mim, este é o lugar para estar — pontuou Xabi Alonso no final de março.

Nagelsmann

A partir do momento que Xabi Alonso anunciou a permanência no Bayer Leverkusen, o Bayern de Munique voltou as atenções para um velho conhecido. Julian Nagelsmann, que treinou a equipe bávara de julho de 2021 a março de 2023, se tornou o grande favorito para assumir o comando do Gigante da Baviera. Florian Plettenberg, jornalista da Sky Sports, chegou a afirmar que as partes caminhavam bem rumo a um desfecho positivo. No entanto, tudo ruiu no final de abril. O treinador de 36 anos não só negou o Bayern, bem como estendeu seu acordo com a Seleção Alemã até 2026, ano da próxima Copa do Mundo.

— Tomei esta decisão com o coração. É uma grande honra poder treinar a seleção e trabalhar com os melhores jogadores do país. Temos a chance de inspirar uma nação inteira. Sentimos o gostinho disso nas duas vitórias contra a França e a Holanda, em março, onde o entusiasmo dos torcedores realmente me tocou. Queremos realizar juntos uma Eurocopa de sucesso em casa e estamos todos ansiosos por isso. Depois disso, estou ansioso para enfrentar o desafio de uma Copa do Mundo — disse Nagelsmann.

Unai Emery

Terceiro nome da lista do Bayern, Unai Emery foi outro a frustrar os planos bávaros e virar carta fora do baralho, já que renovou seu contrato com o Aston Villa até 2027. Através das redes sociais, o clube de Birmingham confirmou que estendeu o vínculo do técnico espanhol por mais três temporadas, em virtude do desempenho acima da média da equipe em 2023/24.

Com o ótimo trabalho, que faz o Villa disputar uma vaga na próxima edição da Champions, além do título da Conference League, Unai Emery passou a ser assediado por grandes clubes europeus no mercado, como o Bayern de Munique. Contudo, o espanhol optou pela continuidade à frente do time inglês.

*De Zerbi (Brighton), Rúben Amorim (Sporting) e Hansi Flick (sem clube) também foram cogitados internamente, mas logo descartados

Realidade é Ralf Rangnick?

Ralf Rangnick passou a ser o nome da vez no Bayern de Munique. Em entrevista concedida recentemente, o atual comandante da Áustria confirmou o contato do clube da Baviera e, porém, se disse focado na seleção, que está prestes a disputar uma Eurocopa.

— O Bayern de Munique entrou em contato comigo e eu informei a OFB (Federação Austríaca de Futebol). Temos uma relação de muita confiança. Minha atenção está voltada para a seleção austríaca. Estamos totalmente focados na Eurocopa. Estou muito confortável aqui. Agora, não há razão para pensar nisso de forma intensa e concreta — afirmou Rangnick em entrevista ao portal austríaco 90Minuten.

Para quem sonhou com Xabi Alonso, acordar com Rangnick é, no mínimo, frustrante. Ainda que goze de prestígio no cenário alemão, sobretudo por seus trabalhos à frente de Schalke 04 e RB Leipzig, o técnico de 65 anos não é nem de perto o treinador dos sonhos do torcedor bávaro.

Indo na contramão da opinião pública, Herbert Hainer, presidente do Bayern de Munique, enxerga Rangnick como o homem certo para fazer o clube voltar ao caminho do sucesso. Em entrevista a Sky Sports, o mandatário revelou negociações avançadas com o experiente treinador e rasgou elogios ao profissional.

— Estamos em negociações avançadas com o Ralf Rangnick, mas agora temos que esperar mais alguns dias. Se ele viesse, seria uma opção muito boa para nós. Esperemos que não demore muito. Teremos que ver quando daremos o sinal verde final, mas não vai demorar muito para sabermos em que direção as coisas irão — disse Hainer, antes de concluir:

— Ele é um excelente especialista no cenário do futebol. Tem uma enorme capacidade de desenvolver jogadores e equipes. Tudo o que ouço das pessoas da Seleção Austríaca é muito, muito positivo.

*Na manhã desta quinta-feira (2), Rangnick reforçou seu compromisso com a Seleção Austríaca e recusou a proposta do Bayern de Munique, que terá de ir atrás de outro nome no mercado de treinadores

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo