Portugal

Mercado de recordes: Gyökeres é o reforço mais caro da história do Sporting

Gyökeres dominou as estatísticas na Championship com o Coventry e chega a peso de ouro ao Sporting

Viktor Gyökeres terminou a última Championship entre os grandes destaques da temporada. O atacante sueco foi o vice-artilheiro e o líder de assistências na segunda divisão do Campeonato Inglês, enquanto protagonizou a campanha do Coventry City até as finais dos playoffs de acesso. A promoção para a Premier League não se concretizou, com a derrota para o Luton Town em Wembley, mas o jovem de 25 anos projetou o seu nome para clubes maiores. Gyökeres se transforma na grande aposta do Sporting para se reerguer depois de uma temporada morna no Campeonato Português. O negócio de €20 milhões (R$107,7 milhões) é o mais caro já feito pelos leoninos na história do clube, com possíveis €4 milhões (R$21,5 milhões) a mais em bônus.

Gyökeres estava bem cotado no mercado de transferências. Até parecia mais provável que o sueco permanecesse na Inglaterra, com o interesse de clubes da Premier League – West Ham, Wolverhampton e Brentford chegaram a sondá-lo. Entretanto, o Sporting surgiu mais forte na disputa. Os alviverdes oferecem uma projeção maior para o atacante dentro do cenário continental, assim como a oportunidade de conquistar títulos. O novo reforço assinou com o clube por cinco temporadas, até junho de 2028. Sua cláusula de rescisão será de €100 milhões (R$538,4 milhões).

“Vários grandes jogadores passaram por aqui e o Sporting produz muitos jogadores bons. O clube tem muita história e, quando soube do interesse, foi uma escolha fácil. Tive outras opções, mas senti que o Sporting era a equipe que estava mais interessada em mim. Quando alguém te quer, isso significa que te querem muito e vão cuidar de ti. Esta era a melhor opção”, declarou Gyökeres, em sua chegada.

Sporting e também Benfica quebram recordes

A contratação de Gyökeres quebra o recorde de reforço mais caro da história do Sporting. Os alviverdes nunca tinham investido mais do que €16 milhões em um jogador. O recordista anterior era o centroavante Paulinho. Um detalhe interessante é que, ao longo de sua história, apenas oito vezes o clube de Lisboa pagou €10 milhões ou mais numa transferência. Cinco destes oito atletas compõem o elenco atual do técnico Rúben Amorim – além de Gyökeres e Paulinho, também Pedro Gonçalves, Jerry St. Juste e Rúben Vinagre.

É um mercado de transferências aquecido em Portugal. O Benfica também quebrou seu recorde de transferência mais cara há poucas semanas, quando pagou €25 milhões (R$134,6 milhões) para tirar Orkun Kökçü do Feyenoord. Os encarnados também pagaram €14 milhões (R$75,4 milhões) pelo lateral David Jurasek, do Slavia Praga, e trouxeram Ángel Di María ao final do contrato com a Juventus. De certa maneira, a chegada de Gyökeres é uma resposta do Sporting aos rivais. Até o momento, os leoninos só tinham assegurado a compra em definitivo de Trincão, por €7 milhões (R$37,7 milhões).

Sensação na última Championship e titular da Suécia

Gyökeres possui uma carreira bastante rodada, apesar da pouca idade. O atacante se destacou no Campeonato Sueco com a camisa do Brommapojkarna. Em 2018, o Brighton gastou €1 milhão para contratar o garoto. Gyökeres nunca atuou pela Premier League com as Gaivotas. Rodou por empréstimos ao St. Pauli e ao Swansea, com um pouco mais de destaque na segundona alemã. Sua verdadeira afirmação aconteceu a partir do empréstimo ao Coventry, em janeiro de 2021. Agradou tanto que, seis meses depois, o clube pagou €1,2 milhão para comprá-lo em definitivo.

Gyökeres esteve entre os melhores jogadores da Championship em 2021/22. O atacante anotou 17 gols pelo Coventry e terminou como artilheiro do time na segundona. De qualquer maneira, sua consolidação como protagonista aconteceu em 2022/23. O sueco terminou a Championship com 21 gols e 12 assistências. Foi eleito o Jogador do Mês em novembro e em março, enquanto compôs também a seleção do campeonato. Seu desempenho auxiliou o Coventry a alcançar as finais dos playoffs de acesso, mas a derrota nos pênaltis para o Luton Town manteve os celestes na segunda divisão.

Paralelamente, Gyökeres também desponta na seleção da Suécia. Nome frequente nas equipes de base, o atacante ganhou sua primeira convocação para o time principal em 2019. Ficou um tempo fora do grupo e não disputou a Euro 2020, nem a repescagem para a Copa de 2022. Entretanto, ao longo dos últimos meses, o atacante ganhou moral dentro do time titular. Virou uma das opções principais como centroavante, mesmo que o momento dos escandinavos não anime, após o rebaixamento à terceira divisão da Liga das Nações. São três gols em 14 aparições com a camisa auriazul.

Velocidade, força e faro de gol: como joga Gyökeres

Embora possa atuar como ponta, Gyökeres chegou ao seu auge como centroavante. O atacante possui um bom porte físico, mas é um rompedor que aproveita sua aceleração e a boa mobilidade. Seus gols nascem de maneira mais frequente em arrancadas do que em lances de oportunismo na área, graças aos dribles em velocidade e ao bom chute de média distância. Por seu estilo de jogo, o sueco deve se casar bem na ideia proposta por Rúben Amorim, com uma mentalidade mais direta e vertical. Os leoninos sentiram falta de um centroavante mais confiável nos últimos meses. Paulinho não deslanchou no Alvalade, com problemas de lesão. Já Marcus Edwards fez boas partidas na posição durante a última Champions League, mas deve ser mais aproveitado na ponta direita.

O Sporting terminou a última edição do Campeonato Português na quarta colocação. Assim, o clube não disputará a próxima Champions, limitado à Liga Europa. A chegada de Gyökeres é uma maneira de conferir mais competitividade ao técnico Rúben Amorim, com o treinador constantemente especulado em outras ligas. Os leoninos terão dinheiro para gastar neste mercado: venderam Manuel Ugarte por €60 milhões (R$323 milhões), no segundo maior negócio da história do clube. Pedro Porro ainda rendeu €40 milhões com a ida definitiva ao Tottenham, enquanto a venda de Tiago Tomás ao Wolfsburg valeu outros €8 milhões.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo