Ligue 1
Tendência

PSG gasta €60 milhões em Ugarte, aposta alta para resolver necessidades no meio-campo

Cortejado também pelo Chelsea, Ugarte teve sua cláusula de rescisão paga pelo PSG e adiciona mais pegada ao meio-campo

O Paris Saint-Germain iniciou uma série de anúncios nesta semana, a partir da confirmação de Luis Enrique como seu novo treinador. Marco Asensio e Milan Skriniar se tornaram os primeiros reforços de peso, ao chegarem no fim de seus contratos com os antigos clubes. Já nesta sexta-feira, os parisienses confirmaram a compra de Manuel Ugarte. O uruguaio de 22 anos pode não ter o renome de outros companheiros, mas estourou no Sporting durante as últimas duas temporadas. Por seu preço, chega como potencial titular do PSG: os catarianos desembolsaram €60 milhões pelo volante – o equivalente à sua cláusula de rescisão.

Ugarte assina com o PSG por cinco temporadas, até junho de 2028. A maneira como o meio-campista atraiu atenções no mercado certamente elevou seu preço, com interesse do Chelsea. Segundo o L'Équipe, os Blues teriam discutido inclusive se tornarem acionistas minoritários do Sporting durante as tratativas pelo jogador. Tal postura incomodou o PSG, que enviou uma carta ao departamento legal dos sportinguistas e alertou sobre possíveis consequências jurídicas da negociação paralela. Os londrinos ainda teriam realizado uma oferta salarial maior que os parisienses ao meio-campista. Mesmo assim, o jogador agenciado por Jorge Mendes escolheu o Parc des Princes.

Acima da disputa ao redor de seu nome, Ugarte se mostra uma adição valiosa pelas características que adiciona ao elenco do PSG. É um volante de boa pegada defensiva, que vai garantir muitos desarmes e interceptações. Além disso, costuma cobrir uma grande faixa do campo com seu estilo incansável e de subidas mais diretas para o ataque. Possui bom passe, assim como consegue quebrar as linhas em progressão, com movimentação e drible. Será um cabeça de área mais intenso, o que por vezes faltou aos franceses. Danilo Pereira virou bem mais um zagueiro, enquanto Leandro Paredes parece fora dos planos.

Ascensão muito rápida a partir do Uruguai

Nascido em Montevidéu, Ugarte é cria das categorias de base do Fênix. Atacante no início da carreira, o garoto seria readaptado no meio-campo com o passar do tempo. Virou um protagonista dos violetas a partir de 2019, com destaque no Campeonato Uruguaio. Também se projetou nas seleções de base, a partir do time sub-20 do Uruguai. O volante esteve presente inclusive no Pré-Olímpico da Conmebol em 2020, num momento em que começava a chamar atenção da Europa.

De início, Ugarte abriu as portas do Famalicão. O clube português pagou €3 milhões pelo uruguaio, que se juntou à equipe em janeiro de 2021. Seis meses foram suficientes para mostrar seu potencial no Campeonato Português, entre as revelações da segunda metade da temporada. Como consequência, ganhou uma oportunidade ainda maior no Sporting. Os leoninos pagaram €6,5 milhões pelo volante rumo à temporada de 2021/22. O novato juntava-se ao então campeão nacional, para servir como uma alternativa à azeitada dupla composta por João Palhinha e Matheus Nunes.

De início, Manuel Ugarte ainda permaneceu como terceira opção entre os volantes do Sporting. Mesmo assim, ganhou minutos na equipe e estreou na Champions League. Até ganhou a posição de João Palhinha diante da lesão do lusitano. Já na temporada passada, os sportinguistas lucraram com as vendas de Palhinha e Matheus Nunes. Não tiveram problemas na transição porque Ugarte havia se firmado como o digno herdeiro, ao lado de Hidemasa Morita. Mesmo que o 2022/23 dos leoninos não tenha sido tão bom, o uruguaio se colocou entre os grandes destaques do time. Virou um dos volantes mais cobiçados da Europa e abriu novos horizontes para si.

Também auxiliou a ascensão de Ugarte na seleção do Uruguai. O meio-campista fez sua estreia em março de 2021 e participou das Eliminatórias como reserva. Ganhou espaço mais vezes em campo ao longo de 2022 e esteve no banco durante a Copa do Mundo. A partir de então, se colocou como um potencial titular da Celeste na mudança de ciclo. Tende a ser uma figura útil sob as ordens de Marcelo Bielsa, no processo de transição dos charruas, mesmo que não tenha participado da convocação na última Data Fifa. É mais um jovem para liderar o processo na equipe uruguaia.

PSG precisará repensar a montagem de seu meio-campo

O PSG amplia a visibilidade de Ugarte. Até pela afirmação relativamente recente, o volante não é um jogador que chega com tanto cartaz ao Parc des Princes. Entretanto, as cifras aumentam o interesse sobre o seu futebol. O uruguaio se torna a segunda venda mais cara da história do Sporting, atrás apenas de Bruno Fernandes rumo ao Manchester United. Já do lado do PSG, é a sexta compra mais cara. Só fica abaixo de figurões: Neymar, Kylian Mbappé, Achraf Hakimi, Edinson Cavani e Ángel Di María.

A maneira como o PSG vai montar seu meio-campo para a próxima temporada chama atenção. O setor muitas vezes foi deixado em segundo plano, dentro de equipes desequilibradas que visavam o ataque. O elenco está inchado. A lista de opções inclui jogadores que participaram da última temporada (Marco Verratti, Fabián Ruiz, Carlos Soler, Vitinha, Renato Sanches), figuras renomadas que voltam de empréstimo (Leandro Paredes, Georginio Wijnaldum) e garotos que buscam seu espaço (Warren Zaïre-Emery, Edouard Michut). Não há qualquer esboço de identidade. Mas, apesar da limpa que deve ocorrer, Ugarte ascende como um potencial protagonista desta nova era.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo