FrançaLigue 1
Tendência

Luis Enrique chega ao PSG e dá a Neymar motivos para sorrir

Parceria do treinador com brasileiro rendeu a Neymar sua melhor temporada na Europa até agora, no lendário trio MSN do Barça

Luis Enrique será o novo técnico do PSG. O espanhol foi anunciado oficialmente como treinador da equipe parisiense e será mais um a comandar o time em direção ao seu maior sonho: ganhar a Champions League. Com passagens destacadas por Barcelona e Seleção da Espanha, o técnico pode ser um importante aliado de Neymar ao longo da próxima temporada.

Afinal, foi sob o comando de Luís Enrique que, no Barcelona, Neymar viveu sua melhor fase. Foi a época em que Neymar fazia gols, dava passes e decidia jogos a rodo ao lado de Lionel Messi e Luís Suárez no lendário trio MSN que dominou o futebol europeu. A perspectiva de poder repetir a dobradinha vencedora com o técnico é um alento para um Neymar que vive talvez o pior momento de sua carreira.

O que Luis Enrique traz ao PSG?

Ninguém melhor que o próprio Luis Enrique para dizer qual seu estilo como treinador. Na última Copa ele ficou famoso por abrir lives na internet para comentar o desempenho da Espanha, seleção pela qual era responsável. Em uma delas, afirmou:

“A primeira coisa que devem ensinar aos treinadores no curso de treinadores é que isto é um show, um espetáculo”

Logo podemos ver que o espanhol gosta de um futebol atraente, de um jogo bem jogado. Se importa, claro, com resultados — e tem vários positivos ao longo da carreira –, mas se preocupa mais como seu time está jogando. Dadas as muitas e necessárias proporções, é um jeito de ver o futebol muito parecido com o de Fernando Diniz, técnico do Fluminense e novo interino da Seleção Brasileira — o espanhol chegou a ser cogitado para a Canarinho, mas à época disse não ter esse perfil.

Luis Enrique prioriza a montagem tática de seu time acima dos jogadores que tem. Monta o esquema com posse de bola, mantida prioritariamente no meio-campo, para então encaixar seus atletas. Foi, inclusive, um dos motivos pelos quais ele foi bastante criticado pela mídia espanhola na última Copa. O treinador deixou fora de sua lista experientes como Sergio Ramos, Thiago ou Iago Aspas. Além de jovens, ele gosta de trabalhar com atletas que se encaixam em seu estilo.

No PSG, ele terá um árduo trabalho pela frente. Chega em um momento conturbado, com a relação entre time e torcida no seu pior momento desde que o time foi comprado e passou a dar as cartas no mercado do futebol. Além disso, terá que lidar com o ego de vários jogadores, o que vem sendo problema para todos os treinadores recentes do Paris. Mas alguns jogadores deverão se dar bem com ele, pelo estilo de posse de bola e de tentar a vitória a todo momento.

Destaco os atletas de meio-campo, área em que o PSG tem sofrido demais nos últimos anos e talvez a preferida de Luis Enrique em seus esquemas táticos. Seus times tocam muito bem a bola, mantendo-a quase sempre na região do meio-campo em busca de brechas para que os atacantes saiam mais livres. Sem Messi, a criação seria a área mais afetada e o esquema do novo treinador pode suprir isso.

Para Neymar, o melhor treinador possível

Direcionando a chegada diretamente a Neymar, a vinda de Luis Enrique é bastante positiva. Responsável por colocar em prática o trio MSN no Barcelona, o espanhol fez o craque brasileiro viver o auge de sua carreira, quando foi artilheiro e campeão da Champions em 2014/15. Os atacantes que ele usa costumam ser cruciais em seus esquemas, recebendo bolas no último quarto do campo em tabelas que buscam sempre os deixar livres.

Neymar sabe como o treinador gosta de jogar e rende bem nesse esquema. Sem Messi, caberá a ele ser uma liderança técnica e fora do campo para o PSG. E se fez Neymar jogar bem ao lado de Suárez e Messi, encaixá-lo ao lado de Kyllian Mbappé não parece ser uma tarefa tão complicada para Luis Enrique. Restará a ele lidar com o que de pior Paris pode oferecer: os infinitos duelos de ego dentro do elenco.

Mbappé, na última temporada, demonstrou diversos incômodos por não ser a estrela principal e solitária do time. Anunciou recentemente que não ativará a renovação automática de seu contrato e é dado como quase certo no Real Madrid, se não ainda nesta temporada, ao se tornar agente livre. Luis Enrique não costuma poupar palavras quando acha que tem de falar e isso pode criar uma rota de colisão com o craque. Melhor para Neymar.

Já conhecido do técnico e, ao que parece, de um grupo diferente do de Mbappé dentro do elenco, o craque brasileiro terá mais uma chance de redenção. Nos resta saber o quanto ele está disposto a aproveitar.

Foto de Leonardo Sacco

Leonardo Sacco

Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero, fez categorias de base na TV Gazeta, Olheiros e Impedimento. Se profissionalizou no Yahoo e desde junho de 2023 é coordenador de conteúdos editoriais da Trivela.
Botão Voltar ao topo