Futebol femininoMundo

Esta pintura de Christine Sinclair ajudou a colocar o Canadá nas Olimpíadas do Rio

A seleção canadense feminina estará nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro neste ano e tem muito a agradecer à sua capitã e maior símbolo, Christine Sinclair. A veterana foi autora dos dois primeiros gols da vitória por 3 a 1 sobre a Costa Rica nas semifinais das eliminatórias para as Olimpíadas do Rio, que garantiu a presença do time canadense na competição. O segundo deles, em especial, foi uma pintura, que ganha ainda mais status com a importância que teve para a conquista da vaga.

VEJA TAMBÉM: Nos Emirados Árabes, comemoração de gol virou homenagem a Wesley Safadão

Aos seis minutos do segundo tempo, o Canadá vencia por 1 a 0, com gol marcado por Sinclair, quando a atacante apareceu mais uma vez na área costarriquenha, pegando sobra de uma bola mal afastada pela defesa adversária e ajeitando a bola enquanto girava o corpo, sem deixar a redonda cair, e acertando uma bela finalização que, caprichosamente, ainda tocou no travessão antes de entrar, sem dar chances para a goleira da Costa Rica.

Aos 32 anos, Christine Sinclair tem 161 gols pela seleção canadense e é a segunda maior artilheira do futebol feminino de seleções, tendo recentemente ultrapassado Miam Hamm, ex-jogadora dos Estados Unidos, e atrás apenas de Abby Wambach, que se aposentou em dezembro, aos 35 anos, e acumulou 184 gols pela seleção em sua carreira.

A pintura de Sinclair talvez não mereça indicação ao Puskás, mas certamente entrará para a galeria de grandes golaços do futebol feminino em 2016, sobretudo por sua relevância e pelo fato de a atacante ser um ícone da categoria.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo