O completou a segunda Dobradinha da sua história, neste sábado, ao derrotar o , clube da segunda divisão que buscava o primeiro título importante de sua história no ano em que garantiu o retorno à elite do futebol russo. Mas precisou suar pela vitória por 1 a 0, gol de pênalti marcado por Dzyuba, graças a uma atuação magnífica do goleiro adversário Ilya Lantratov.

A temporada doméstica do Zenit termina impecável. Além do quinto título da copa nacional, o clube também se sagrou campeão russo pela segunda vez consecutiva, com 15 pontos de vantagem para o Lokomotiv Moscou. Na segunda divisão, o Khimki subiu porque era segundo colocado quando a liga foi cancelada por causa da pandemia.

Um dos destaques do Zenit desde que retornou de lesão em fevereiro, exigiu a primeira boa defesa de Lantratov, aos 25 minutos do primeiro tempo, com uma batida colocada de fora da área, mas o goleirão começou a brilhar de verdade depois do intervalo.

Primeiro, defendeu uma cabeçada de Dzyuba e, no rebote, barrou o chute à queima-roupa de Yaroslav Rakitskiy. Depois, Dzyuba recebeu de Douglas Santos dentro da área, deu o corte em Egor Danilkin e bateu firme. Outra grande defesa de Lantratov.

Quando o goleiro espalmou a cabeçada cruzada quase perfeita de Sardar Azmoun, após bom cruzamento de Douglas Santos, o Zenit deve ter achado que seria impossível superá-lo naquela noite, mas Evgeniy Gapon deu uma mãozinha.

Aos 37 minutos do segundo tempo, derrubou Malcom um carrinho perto da linha de fundo, pela direita da grande área, e o arbitro marcou pênalti. Dzyua cobrou com categoria e marcou o único gol do jogo.

Único porque o Khimki ficou a centímetros de empatar aos 50 minutos da etapa final. Mohamed Konaté escorou a bola para a entrada da pequena área, e Danilkin chegou cabeceando com tudo. Direto na trave.

Alívio para o Zenit, talvez um pouco de alívio demais, porque na hora de comemorar, deixaram a taça cair no chão – e ela quebrou.

.

.

.