Leste Europeu

Zenit, antes do esperado

Pela segunda vez na história, um clube russo se tornou campeão de um torneio europeu. Coube ao Zenit St. Petersburg igualar o feito do CSKA Moscou, que na temporada 2004/05 conquistou a Copa Uefa. Neste ano, com muito merecimento e um belo futebol apresentado, a taça foi para São Petersburgo.

Nas últimas semanas, esta coluna tentou mostrar aos leitores os segredos e os motivos do sucesso desta equipe. De modo que ficasse bem claro que, apesar de ser uma surpresa, o Zenit não foi zebra. Mas outro aspecto é possível ressaltar: a conquista de um torneio continental veio bem antes do previsto.

Atual campeão russo, o Zenit possui um dos maiores orçamentos da Europa, graças ao dinheiro investido pela Gazprom. Com Dick Advocaat, a grana passou a ser bem utilizada e investida em contratações certeiras. Mas o Zenit havia participado ao longo de seus 83 anos de pouquíssimos torneios europeus, e sempre sem qualquer sucesso.

Nacionalmente o time nunca esteve no mesmo nível dos grandes de Moscou, mas sempre foi uma das principais equipes do país, até mesmo por ser o time referência de São Petersburgo. Segunda maior cidade da Rússia, antiga capital do império e centro cultural de todo mundo, onde viveram e se inspiraram alguns dos maiores escritores de todos os tempos, casos de Gogol, Pushkin e Dostoievski.

Mas a campanha na Copa Uefa foi quase irrepreensível. Poucos se lembram, mas o time quase caiu prematuramente na fase de grupos. Pelo grupo A, o time ficou atrás de Everton-ING e Nuremberg-ALE, tendo se classificado graças à uma derrota do AZ-HOL, em casa, para o Everton. A campanha foi sofrível: uma vitória, dois empates, uma derrota, seis gols marcados e outros seis sofridos.

A partir dos mata-matas, porém, o Zenit se agigantou. Contra o favorito Villarreal-ESP, vice-campeão espanhol desta temporada, venceu o primeiro jogo na Rússia por 1 a 0 e perdeu a volta por 2 a 1. Passou pelo gol marcado fora de casa.

Depois, pegou o Olympique de Marselha-FRA e foi derrotado fora de casa por 3 a 1. Para a maioria, acabara ali a aventura do Zenit na Uefa. Pois a equipe, na Rússia, fez 2 a 0 e mais uma vez fez valer o regulamento. Já nas quartas-de-final, começou a mostrar, definitivamente, que era um dos favoritos ao título: contra o Bayer Leverkusen, vitória por 4 a 1 na Alemanha e uma cômoda derrota por 1 a 0 no estádio Petrovsky.

As semifinais ficarão para sempre marcadas na história do clube. Após um heróico empate em 1 a 1 com o todo poderoso Bayer de Munique, em sólo alemão, a partida de volta mostrou a força dos comandados de Dick Advocaat. Um 4 a 0 para lavar a alma e levar o time à inédita decisão.

A vitória sobre o ultra defensivo Glasgow Rangers, por 2 a 0, era carta marcada muito antes do jogo começar. Pela empolgação, futebol eficiente e excelente fase de seus jogadores, ninguém duvidava sobre quem sairia campeão.

Vale lembrar os principais destaques individuais do time.

No gol, Malafeev foi fenomenal. Falhou pouquíssimas vezes ao longo da Copa Uefa e, se não fosse por Igor Akinfeev, seria certamente o titular da Rússia na Euro.A defesa também teve a segurança na marcação e força ofensiva do lateral Anyukov, e a tranquilidade do zagueiro croata Krizanac.

No meio-campo, a dupla de volante Zyrianov-Tymoschuk foi fundamental. Ela é peça-chave no esquema montado por Advocaat, que prioriza o ataque. Os dois jogadores são os responsáveis pela marcação, mas também garantem eficiência nos passes.

Na frente, os europeus puderam conhecer o talento de dois jogadores russos que ainda serão muito mais falados nos próximos anos: Andrei Arshavin e Pavel Pogrebnyak. O primeiro, de 26 anos, esbanjou categoria nas partidas do Zenit, enquanto o segundo, de 24 anos, provou seu oportunismo e foi, ao lado de Luca Toni, o artilheiro do torneio, com dez gols.

Para a próxima temporada, o Zenit St, Petersburg já tem vaga garantida na fase de grupos da Liga dos Campeões. Mais contratações, sem dúvida, serão feitas. O que possibilita aos torcedores do Zenit sonharem alto.

Rússia na Euro

O técnico Guus Hiddink divulgou nesta semana a lista provisória de convocados para defender a seleção russa na próxima Eurocopa. Entre os 25 nomes, dos quais dois ainda serão cortados, algumas surpresas e ausências.

A grande novidade foi a presença de Sergei Semak, 32 anos. O veterano meia, destaque do Rubin Kazan na temporada, não era chamado desde maio de 2006. No entanto, o ótimo momento que ele vive, aliado à sua experiência internacional, certamente pesaram na decisão de Hiddink.

Três outros nomes também despertaram interesse: o defensor Renat Yanbayev e os meias Oleg Ivanov e Alexander Pavlenko foram chamados pela primeira vez para a seleção. Estes, no entanto, foram lembrados apenas para adquirir experiência, como o próprio treinador holandês já adiantou.

Agora, o maior desfalque e principal assunto dessa lista foi a ausência de Alexandr Kerzhakov. O atacante do Dynamo Moscou, que estava no Sevilla-ESP na temporada passada, há poucos meses era considerado o principal jogador russo em atividade. Ele, porém, nunca caiu nas graças de Hiddink, que insistentemente o deixava de fora da lista nos últimos tempos e, mesmo na boa fase vivida no clube espanhol, dificilmente era titular da Rússia.

De qualquer modo, deixá-lo de fora dá margens à interpretação de implicância do holandês com Kerzhakov. Sem dúvida, o jogador é um dos melhores do país e, apesar de seu momento não ser dos melhores atualmente no Dynamo, seu talento certamente poderia ajudar a equipe. Ainda mais considerando que, entre os chamados para a frente, estão Adamov, Saenko…

A equipe está no grupo D, ao lado de Grécia, Espanha e Suécia. Antes da estréia na Euro, os russos farão três amistosos: Cazaquistão (23 de maio), Sérvia (28 de maio) e Lituânia (4 de junho). Confira abaixo a lista completa dos convocados:

Goleiros: Igor Akinfeev (CSKA Moscou), Vyacheslav Malafeyev (Zenit St Petersburg) e Vladimir Gabulov (Amkar Perm);

Defensores: Sergei Ignashevich (CSKA Moscou), Alexei Berezutsky (CSKA Moscou), Vasily Berezutsky (CSKA Moscou), Alexander Anyukov (Zenit St Petersburg), Denis Kolodin (Dynamo Moscou) e Renat Yanbaev (Lokomotiv Moscou);

Meio-campistas: Diniyar Bilyaletdinov (Lokomotiv Moscou), Yuri Zhirkov (CSKA Moscou), Igor Semshov (Dynamo Moscou), Dmitry Torbinsky (Lokomotiv Moscou), Vladimir Bystrov (Spartak Moscou), Konstantin Zyryanov (Zenit St Petersburg), Roman Shirokov (Zenit St Petersburg), Sergei Semak (Rubin), Alexander Pavlenko (Spartak Moscou) e Oleg Ivanov (Krylya Sovetov);

Atacantes: Andrei Arshavin (Zenit St Petersburg), Pavel Pogrebnyak (Zenit St Petersburg), Roman Pavlyuchenko (Spartak Moscou), Dmitry Sychev (Lokomotiv Moscou), Roman Adamov (Moscou) e Ivan Saenko (Nuremberg/ALE).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo