Leste Europeu

Zagueiro turco se recusa a vestir camiseta pelo fim da guerra na Ucrânia: “Ignoram o Oriente Médio e fazem isso pela Europa”

Aykut Demir cobrou mais coerência para que não se olhe apenas para a Europa, embora ele também receba questionamentos

Diversas manifestações aconteceram nos últimos dias nas ligas nacionais da Europa, pedindo o fim da guerra na Ucrânia. Nem todos os jogadores, porém, se mostram confortáveis em defender a campanha. Na segunda divisão da Turquia, o zagueiro Aykut Demir se recusou a vestir a camisa com a inscrição “no war” antes do compromisso pelo Erzurumspor, do qual é o capitão. O veterano de 33 anos justificou que sua posição não era em prol da Rússia, e sim para apontar a incoerência e a falta de atenção aos conflitos que ocorrem no Oriente Médio.

A cena chamou atenção na partida do Erzurumspor contra o Ankaragücü. Enquanto os demais companheiros vestiam camisetas brancas que pediam o fim da guerra, Demir aparecia apenas com o uniforme celeste de sua equipe e a braçadeira de capitão. Nas horas posteriores, o zagueiro seria bastante criticado por “não apoiar a paz”. Em entrevista ao Futbol Anadolu, o veterano explicou sua posição.

“Milhares de pessoas morrem todos os dias no Oriente Médio. Aqueles que ignoram a perseguição lá e não se manifestam fazem essas coisas quando se trata da Europa. Não me senti confortável usando a camiseta porque não foi feita para outros países no Oriente Médio. Se tivesse acontecido o mesmo, minha consciência estaria confortável. Também estou triste que haja guerra em qualquer lugar do mundo. Compartilho a dor de pessoas inocentes”, afirmou Demir. O questionamento é importante, embora também não exima o veterano de suas próprias incoerências.

A cobrança feita por Demir também pode ser aplicada sobre a postura do governo turco em relação a minorias dentro de seu território, sobretudo pela maneira como o povo curdo é suprimido no país. O zagueiro é conhecido pelo fundamentalismo religioso e pelo ultranacionalismo. Segundo o jornal Fanatik, no início de sua carreira, Demir recebeu o apelido de “Komando” pelo interesse em armas. Em 2014, o jogador foi acusado de agredir um médico e de atirar contra uma universidade.

Nascido na Holanda, mas descendente de turcos, Aykut Demir começou sua careira no NAC Breda e defendeu também o Excelsior Roterdã. Sua mudança para a Turquia aconteceu em 2009/10. Passou por Gençlerbirligi, Trabzonspor, Ankaraspor, Giresunspor e Boluspor. Também acumulou convocações pelas seleções turcas de base e defendeu a equipe principal entre 2012 e 2013, com uma partida disputada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo