Leste Europeu

Shakhtar tem legião brasileira, mas o cara é um armeno

Para quem não acompanha as ligas europeias fora dos grandes centros, parece uma grata surpresa ver um armeno artilheiro de um campeonato nacional que não seja o seu próprio. Não tão longe de casa, um rapaz de 24 anos tem conquistado (e muito bem) o seu espaço na Ucrânia.

Henrikh Mkhitaryan, do Shakhtar, é o artilheiro do Ucranianão, onde soma 18 gols em 21 jogos, sendo também dono de uma média impressionante de 0,85 tentos por partida, além de outras estatísticas assombrosas: marcou em 11 das 18 aparições que fez na temporada, sem falar na façanha de um triplete e três dobletes, compensando as sete vezes em que deixou de ir às redes.

É sim uma boa surpresa ter o meia como principal goleador do Shakhtar na competição, visto que nem sempre ele ocupa o posto de centroavante. Bom armador e passador, deixou o cargo de garçom da equipe e agora é o responsável por concluir as jogadas. Essa pequena mudança não representa um aumento no saldo de gols dos mineiros, e temos de levar em consideração a saída de jogadores como Willian, que saiu para o Anzhi, essencial na armação.

Luiz Adriano, o homem designado para colocar a bola nas redes, está muito abaixo do seu potencial, tendo marcado apenas seis vezes em 14 oportunidades. Apagado lá na frente, o brasileiro perdeu o papel de protagonista para Mkhitaryan, que chega com mais perigo.

Coringa do elenco, o meia armeno ainda tem 24 anos e demonstra ter evoluído bastante em conjunto com o próprio Shakhtar, emergente no cenário europeu. Seus fundamentos melhoraram muito desde que ele chegou à Ucrânia, em 2009, vindo do Pyunik.

Em comparação à última temporada dos Mineiros, o saldo não mudou muito. Foram 30 partidas, 80 gols marcados em 30 rodadas, média de 2,66 e quando Seleznyov foi o matador pela equipe alaranjada. Agora, com mais da metade da tabela cumprida, o Shakhtar também é o líder, mas com 60 tentos em 21 compromissos, numa média de 2,85.

Será que Lucescu pode apostar em Mkhitaryan para a próxima temporada como atacante? Ele mostra que bola tem para ser um elemento diferenciado na Europa. Pelo Ucraniano, já são 15 pontos de vantagem em relação ao Metalist, que nem por uma hecatombe alcançará o líder.

Responsável por 30% do potencial ofensivo do Shakhtar, o armeno tem sua temporada de maior destaque até aqui e certamente é crucial para que a atual campanha dos mineiros seja bem sucedida. Dois anos atrás, quem diria que faria tanto sucesso?

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo