Leste Europeu

Sem comentários

Um empate, 11 derrotas, 11 gols marcados e 33 sofridos. Este é o resultado da vexaminosa participação de CSKA Moscou e Dynamo Kiev na Liga dos Campeões desta temporada. Somadas, as duas equipes não conseguiram uma mísera vitória. No caso dos ucranianos, nem um ponto sequer, o que deixou na condição de pior do torneio.

Como explicar isso? Basicamente por um planejamento mal feito e elencos bem mais fracos do que os adversários. Vamos por partes.

No caso do CSKA Moscou, o time não é ruim, mas padeceu, demais, da falta de dois jogadores que, no começo da LC, estavam contundidos: Daniel Carvalho e Igor Akinfeev. Sem o brasileiro, o técnico Valery Gazzaev insistiu ao longo do torneio na escalação de três ou quatro volantes no meio-campo, o que minou totalmente as chances da equipe em buscar uma vitória. Jô e Vágner Love ficavam isolados na frente.

Fora isso, o goleiro reserva Mandriykin deu uma boa colaborada aos atacantes rivais. Falhou em diversas oportunidades e foi decisivo na má campanha do CSKA. Sem contar que Akinfeev é o grande nome e líder do time moscovita, que também padece da sua juventude.

Aliado à uma campanha mediana na Premier Liga russa e uma eliminação precoce na Copa da Rússia, o ano do CSKA Moscou termina decepcionante. A falta de dinheiro de um patrocinador grande, como têm os rivais Spartak Moscou e Zenit St. Petersburg, já começa a ser sentida. Para piorar, no ano que vem o time se classificou apenas para a Copa Uefa, o que significa menos milhões de dólares entrando no caixa do clube.

Já o Dynamo Kiev é um caso à parte. O clube tem dinheiro. Muito. Mas insiste e contratações equivocadas. Ao invés de buscar jogadores já com experiência e categoria comprovada, torra milhões em brasileiros e africanos apenas razoáveis. Claro que uma contratação ou outra dá resultados, casos do atacante Ismael Bangoura e do zagueiro Rodrigo. Mas, via de regra, são jogadores medianos, enquanto o Dynamo é um clube enorme, com muita tradição e história.

Na parte prática, a equipe se mostrou muito fraca. Não conseguiu, em jogo algum, ameaçar o adversário e foi goleado mais de uma vez com enorme facilidade. As trocas de treinadores foi outro ponto crucial na má campanha. Na temporada já passaram pelo clube Anatoliy Demyanenko, József Szabó, Oleg Luzhny (interino) e na semana passada foi anunciado Yuri Semin, ex-técnico da Rússia ara o cargo.

Ou seja, não há muito do que reclamar pelos lados do Lobanovsky Stadium. E para a próxima temporada, a equipe pode, pela primeira vez nos últimos anos ficar de fora da Liga dos Campeões, já que vai muito mal no Campeonato Ucraniano.

CURTAS

RÚSSIA
– Notícias da semana: Igor Semshov renovou seu contrato com o Dynamo Moscou; o Shinnik acertou a contratação do volante Andrei Bochkov, ex-Rostov.

– Especulações: Jiri Jarosik, ex-CSKA Moscou e atualmente no Celtic-ESC, pode retornar à Rússia. Ele recebeu uma proposta do Krylya Sovetov; Jonathan Legear, volante do Anderlecht-BEL, interessa ao Dynamo Moscou; já de olho na disputa da próxima LC, o Zenit quer contratar o goleiro Dmitry Borodin (Torpedo Moscou) e o atacante Mateja Kezman (Fenerbahçe-TUR).

UCRÂNIA
– Confira os resultados das quartas-de-final da Copa da Ucrânia:
Metalurh Donetsk 1×0 Naftovyk-Ukrnafta (3×2)
Dynamo Kiev 3×0 Tavria (0x2)
Shakhtar Donetsk 1×1 Vorskla (3×0)
Illichivets 2×1 Chornomorets (sábado o jogo de volta)

– Metalurg, Dynamo e Shakhtar aguardam a definição do último classificado. Os confrontos das semifinais ainda não foram definidos. Enquanto isso, a Vyscha Liga dá um tempo e só volta primeiro de março.

– O Reading-ING deve fazer nos próximos dias uma proposta de cerca de 2 milhões de libras pelo lateral-esquerdo do Dynamo Kiev, Badr El-Kaddouri.

Mais deste colunista em seu blog.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo