Leste Europeu

Estrela Vermelha parodiou ‘Round 6’ para anunciar Hwang In-beom, da seleção coreana

O Estrela Vermelha ganha um bom reforço para o seu meio-campo, no negócio mais caro da história do clube

A série Round 6 ficou um tanto quanto batida como referência sobre a Coreia do Sul. Ainda assim, o Estrela Vermelha apresentou seu novo reforço fazendo uma paródia da produção sul-coreana. O “batatinha frita 1, 2, 3” tinha a presença do mascote dos alvirrubros em pleno Marakana. Já o protagonista em campo era o meio-campista Hwang In-beom, um dos principais talentos de sua seleção. O jogador de 26 anos topou a brincadeira e se promete um excelente acréscimo para a equipe da Sérvia, especialmente pela oportunidade de disputar a Champions League. Estará no mesmo grupo de Manchester City, RB Leipzig e Young Boys.

Hwang se transforma na contratação mais cara da história do Estrela Vermelha. Os alvirrubros pagaram €5,5 milhões para tirar o meio-campista do Olympiacos, clube com o qual os sérvios têm ótimas relações. Será um novo termômetro para auxiliar na construção da equipe e também para melhorar as perspectivas na Champions. Mesmo que corra por fora em seu grupo, o Estrela Vermelha ganhará um bom dinheiro pela participação e ainda pode pegar um atalho aos mata-matas da Liga Europa.

A carreira de Hwang

Hwang In-beom possui uma carreira bastante curiosa. O meio-campista surgiu no Campeonato Sul-Coreano, mas sempre atuou na segunda divisão local. Passou por Daejeon Hana Citizen e Asan Mugunghwa – este, o clube da polícia local, pelo qual atuava para cumprir o serviço militar obrigatório. Mesmo assim, o jovem conseguiu se projetar à seleção da Coreia do Sul e ganhou suas primeiras convocações no segundo semestre de 2018. Primeiro conquistou os Jogos Asiáticos com o time sub-23, depois foi uma das revelações da equipe durante a Copa da Ásia de 2019 e conseguiu uma transferência para o exterior, antes mesmo de chegar à primeira divisão local. O Vancouver Whitecaps levou o jovem para a Major League Soccer.

Hwang faria uma boa temporada de estreia no Canadá em 2019. Tanto é que conseguiu mais uma transferência, agora para o Rubin Kazan. Seria companheiro de Khvicha Kvaratskhelia no clube e permaneceu por duas temporadas com os grenás. Sua saída acabou acelerada pela Guerra da Ucrânia, rumando antes do fim do contrato ao FC Seoul. Entretanto, pouco atuou na K-League. Em 2022/23, o meio-campista logo assinou com o Olympiacos e seria destaque do time no Campeonato Grego. Disputou também a Liga Europa.

Hwang se manteve como um nome permanente da Coreia do Sul durante o último ciclo. O meio-campista seria titular da equipe na Copa do Mundo de 2022. Esteve entre os destaques da fase de grupos, pela capacidade técnica que conferia ao meio-campo. Entretanto, não teria muito o que fazer diante da goleada sofrida contra o Brasil. Mesmo com a eliminação nas quartas de final, ao menos conseguiu certo reconhecimento, que abre as portas para disputar a Champions pela primeira vez.

Bons negócios do Estrela Vermelha

Não deixa de ser curioso ver um jogador asiático no Estrela Vermelha. Hwang será o primeiro atleta da Coreia do Sul a defender o clube mais vitorioso da Sérvia. No entanto, os alvirrubros possuem um olhar diversificado para pinçar seus ídolos nas últimas temporadas. O sucesso recente dos Crveni foi construído a partir de atletas de Canadá, Austrália, Comores e outros cantos do mundo. Há uma combinação importante sobretudo entre africanos e sérvios nas conquistas recentes. A bandeira significa pouco na hora de construir a identidade em campo, ainda mais por aquilo que Hwang poderá agregar.

O Estrela Vermelha gastou €12,4 milhões na atual janela de transferências, um valor alto para os padrões do clube. Entre os principais reforços estão o centroavante senegalês Cherif Ndiaye e o goleiro israelense Omri Glazer. O clube também trouxe de volta o zagueiro australiano Milos Degenek, enquanto conseguiu duas pechinchas no Leste Europeu: o volante ganês Edmund Addo, que foi um dos heróis do Sheriff Tiraspol em sua empreitada na Champions, e o atacante nigeriano Peter Olayinka, multicampeão pelo Slavia Praga. Não é um time de tantos medalhões, mas buscou bons nomes.

A janela de transferências ainda marcou a saída de figuras de destaque recente do Estrela Vermelha, como o goleiro Milan Borjan (Slovan Bratislava) e o centroavante Aleksandar Pesic (Ferencváros). Há uma renovação em curso a partir da chegada do técnico israelense Barak Bakhar e o clube indica certo desapego sobre uma base que conquistou o hexacampeonato nacional. Um grande objetivo é buscar o hepta, inédito no Campeonato Sérvio, enquanto a Champions League também garante novas possibilidades. Depois de bater na trave algumas vezes em busca da fase de grupos, os Crveni estão de volta e tentam encontrar seus caminhos.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo