Leste Europeu

Prejuízo gigantesco

Uma equipe com o poderio financeiro do Zenit São Petersburgo não poderia ficar jamais fora da fase de grupos. O clube tem estrutura, grandes jogadores no elenco, uma comissão técnica famosa e, ainda por cima, encarou um adversário totalmente “batível” na última fase eliminatória. Pois bem, após a magra vitória por 1 a 0 na Rússia e a derrota por 2 a 0 na França, cabe ao Zenit aplaudir o Auxerre, recolher os cacos e voltar quietinho para casa.

Muita coisa precisa ser revista. As atuações do time ficaram abaixo da média. O Zenit era amplo favorito, e talvez se deixou levar por essa empáfia. E o pior de tudo é que foi eliminado com justiça – deveria ter perdido, também, a primeira partida.

Por mais que o suporte financeiro provido pela Gazprom seja enorme, o fato de não disputar a LC vai causar um aperto grande no caixa do clube – principalmente para um que gasta mais de € 22 milhões no Bruno Alves, apenas um bom zagueiro e com 28 anos.

O Zenit vai deixar de receber cerca de € 7,1 milhões por não estar na fase de grupos da Liga dos Campeões. E isso é apenas a distribuição normal do dinheiro que a Uefa destina aos clubes. Além disso, ainda são garantidos € 800 mil euros por vitória e outros € 400 mil caso a partida termine empatada.

E o sinal já estava amarelo para a equipe há algum tempo. Apesar da ampla vantagem na Premier Liga russa – lidera com 40 pontos, após 18 rodadas, quatro a mais que o vice-líder Rubin Kazan, mas com dois jogos a menos – o Zenit vinha fazendo alguns jogos ruins, que culminaram nessa trágica eliminação. Agora a equipe terá que colocar a cabeça no lugar e se concentrar novamente no Campeonato Russo, onde o título está nas mãos do clube.

Sim, também há a Liga Europa pela frente agora, e a responsabilidade do time é tão grande quanto o é no torneio nacional.

Vários jogadores da seleção russa estão no time, como o goleiro Malafeev, o lateral-direito Anyukov, os meias Semak, Denisov, Zyryanov e os atacantes Kerzhakov e Bukharov. Fora os defensores portugueses Bruno Alves e Fernando Meira, o compatriota meia Danny, os meias Huszti e Rosina e o avante sérvio Lazovic. Todos sob o comando do renomado Luciano Spalletti.

Definitivamente, não podia ter sido eliminado pelo Auxerre. Mas, como diria Muricy, a bola pune. Dinheiro não é tudo, honorável Zenit.

Liga dos Campeões

Enquanto isso, alguns representantes soviéticos já estavam garantidos. Afinal, além do Zenit, o Dynamo Kiev também ficou pelo caminho, mas teve pela frente o tradicional Ajax, e por isso a eliminação era, até certo ponto, esperada – principalmente com o atual time que o Dynamo tem.

O Spartak Moscou caiu no Grupo F, ao lado de Chelsea, Olympique de Marseille e Zilina. A equipe da capital vem melhorando a cada semana, depois do péssimo início no Campeonato Russo, mas é difícil imaginar que o time tenha condições de desbancar os ingleses ou os franceses. Tem a obrigação de passar por cima dos eslovacos.

Na semana passada entrevistei o Alex, e ele mesmo confessou que a expectativa do clube é fazer um bom papel, mas não dá para sonhar com muita coisa (leiam a entrevista aqui).

Por outro lado, o Rubin Kazan deu sorte. No Grupo D o primeiro lugar será do Barcelona, mas o time do Tartaristão surge como a segunda força da chave, à frente de Panathinaikos e Kobenhavn. Terá, porém, que confirmar esse favoritismo em campo – e tem reforçado a tese com boas contratações, como o meia-atacante brasileiro Carlos Eduardo.

Por fim, o Shakhtar Donetsk terá outra grande oportunidade para não amarelar na Liga dos Campeões. A história é conhecida: mesmo com um time milionário, o Shakhtar flopa e cai prematuramente. Desta vez o elenco é mais modesto do que em edições anteriores, mas superior a Braga e Partizan. Contra o Arsenal o maior destaque será o reencontro de Eduardo da Silva com os Gunners.

Liga Europa

Na segunda divisão das copas europeias, as equipes russas e ucranianas mais decepcionaram do que foram bem. A começar por quem triunfou.

O CSKA Moscou, um dos favoritos ao título da Liga Europa, passou com tranquilidade pelos cipriotas do Anorthosis Famagusta. Venceu em casa por 4 a 0 e depois fez 2 a 1 no Chipre. Também está em ascensão no Campeonato Russo.

Já o Metalist Kharkiv sofreu um pouco para despachar um time cipriota, no caso o Omonia Nicosia. Venceu fora por 1 a 0, mas depois levou um susto ao ficar no 2 a 2 na Ucrânia. Mas a grande surpresa mesmo foi a classificação do Karpaty Lviv sobre o tradicional Galatasaray. O empate em 2 a 2 na Turquia foi fundamental para o triunfo, já que na volta, em Lviv, outro empate, desta vez em 1 a 1, classificou os ucranianos.

Agora a vez de quem flopou.

E comecemos, logo, pelo maior vexame. O grande Lokomotiv Moscou teve a capacidade de ser eliminado pelo Lausanne, que atualmente disputa a segunda divisão suíça. Após dois empates em 1 a 1, os suíços venceram nos pênaltis por 4 a 3. Yuri Semin tem muita coisa para arrumar nesse time.

Quem também pode ser rotulado como fracassado na competição é o Dnipro Dnipropetrovsk. Começou o Campeonato Ucraniano com três vitórias, mostrando um bom futebol e lembranças do passado vitorioso. Pois perdeu, em casa, para o Lech Poznán por 1 a 0 e depois, no jogo da volta, não passou de um 0 a 0 na Polônia.

O Tavriya Simferopol não podia fazer muita coisa contra o Bayer Leverkusen mesmo – e não o fez. Perdeu fora por 3 a 0 e em casa de 3 a 1.

A menção honrosa fica ao lanterna do Russão, Sibir Novosibirsk. Tudo bem, levou um 5 a 0 do PSV Eindhoven nesta semana, mas conseguiu um feito histórico ao vencer o primeiro jogo por 1 a 0.

Todos os classificados, agora, estão na fase de grupos, que terá o sorteio realizado na manhã desta sexta-feira.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo