Leste Europeu

O Zenit infligiu a maior derrota da história do Spartak no Campeonato Russo: 7 a 1, com pintura de Claudinho

Zenit enfiou quatro gols só no primeiro tempo e terminou de provocar o estrago na segunda etapa

O duelo entre Zenit e Spartak Moscou não tem o peso de um clássico, mas reúne dois clubes enormes no Campeonato Russo. Os alvirrubros são os maiores campeões nacionais, enquanto os celestes tiveram um crescimento expressivo nas últimas décadas para se tornar a segunda equipe com mais taças desde o fim da União Soviética. E o domínio recente do Zenit resultou em uma goleada inacreditável neste domingo, em São Petersburgo: 7 a 1, na maior derrota da história dos moscovitas no Campeonato Russo. Dentre os brasileiros, o destaque principal ficou para Claudinho, que anotou um golaço no início do atropelamento.

O Spartak Moscou não faz a melhor campanha na liga nacional, mas esperava-se um jogo mais equilibrado na Gazprom Arena – o que não aconteceu. Nem mesmo o início mais ativo dos moscovitas, a ausência de Malcom ou a lesão de Douglas Santos com 13 minutos ajudou. O Zenit era mais perigoso e meteu uma bola na trave com Claudinho logo cedo, antes de abrir o placar aos 20. Depois de um ótimo giro de Wendel pelo meio, Yaroslav Rakitskiy cruzou para a cabeçada de Sardar Azmoun. A partir de então, a porteira se abriu.

A pintura de Claudinho foi o segundo gol da noite, aos 28. O brasileiro recebeu na ponta esquerda, limpou a marcação e mandou um chutaço cruzado no alto da meta. A combinação do primeiro tento se repetiu para o terceiro, aos 36, em escanteio cobrado por Rakitskiy que Azmoun completou de cabeça. Já aos 45, Wilmar Barrios descolou um lançamento sensacional e pegou Andrey Mostovoy em velocidade. O ponta driblou até o goleiro, antes de chutar às redes vazias.

O gol de honra do Spartak foi bonito, aos oito minutos do segundo tempo, num lindo giro de Quincy Promes, antes do chute forte. A resposta do Zenit seria imediata. Vyacheslav Karavaev mandou uma pancada no travessão, pouco antes de cruzar para o quinto gol, anotado por Mostovoy aos 11 minutos. E depois de um período mais contido do Zenit, o duelo voltou a se abrir aos 34, quando Maximiliano Caufriez cometeu pênalti e ainda foi expulso com o segundo amarelo. Artem Dzyuba converteu o penal. Por fim, depois de mais um escanteio, a bola sobrou para Aleksandr Erokhin marcar o sétimo aos 43 e botar um ponto final.

O Zenit lidera o Campeonato Russo, mas sem uma folga tão grande assim. A equipe soma 26 pontos, três a mais que Dynamo Moscou e CSKA Moscou, os principais perseguidores do momento. A goleada deste domingo, inclusive, interrompeu uma sequência de três derrotas do clube – dois jogos pela liga nacional e outro pela Champions. Já o Spartak ocupa o modesto sétimo lugar, com 17 pontos. Curioso é que a defesa alvirrubra vinha sustentando o desempenho razoável, com dez gols sofridos nas 11 primeiras rodadas. O estrago provocado pelos celestes foi tremendo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo