Leste Europeu

O Zenit antecipa os movimentos e anuncia a chegada de Yuri Alberto, enquanto Azmoun já sai para o Leverkusen

Diante da situação ruim deixada por Azmoun ao acertar com o Leverkusen, Zenit abriu mão do iraniano e antecipou a vinda de Yuri Alberto

Yuri Alberto sempre esteve cotado entre as principais promessas do Santos, mas não conseguiu desabrochar como esperado no time de cima. O Internacional resolveu apostar no jovem ao final de seu contrato com os alvinegros e colheu os frutos com ótimos momentos do atacante, que passou a justificar as muitas expectativas ao seu redor. Agora, a sequência da carreira do brasileiro acontecerá na Rússia. Neste domingo, o Zenit anunciou a compra do atleta, em acordo assinado por cinco temporadas. O centroavante de 20 anos custará €25 milhões aos celestes, que em contrapartida liberam Sardar Azmoun em definitivo para o Bayer Leverkusen.

A situação de Azmoun influenciou diretamente a chegada de Yuri Alberto. O iraniano foi o principal jogador do Zenit na conquista do atual tricampeonato russo e vinha em ótimo momento para buscar o tetra. Porém, não quis renovar seu contrato e, nos últimos seis meses de vínculo, assinou com o Bayer Leverkusen. A atitude não agradou os dirigentes em São Petersburgo, especialmente depois que o centroavante quebrou as regras sanitárias para fazer os exames médicos pelo clube alemão. Azmoun deveria ficar nos celestes por mais um semestre, sem muito clima. No fim das contas, os russos anteciparam sua liberação com o pagamento de €4 milhões pelos Aspirinas.

Diante da necessidade de preencher a lacuna no comando do ataque, o Zenit resolveu acelerar a contratação de Yuri Alberto. O acerto inicial tinha sido firmado para que Yuri Alberto chegasse na próxima temporada, em junho, por €20 milhões. Contudo, o desdobramento em relação a Azmoun fez os celestes oferecerem €5 milhões a mais ao Internacional para contarem com o brasileiro desde já e abrirem mão do iraniano.

O nome de Yuri Alberto já era cotado no clube há mais tempo. O desempenho com o Internacional desde 2020 afirmou o atacante entre as principais revelações do país na posição. Foram duas campanhas destacadas do jovem no Brasileirão, sobretudo em 2020, quando o Inter sonhou com o troféu. Combinando faro de gol e explosão, ficava claro como o prodígio não ficaria no país por muito tempo. E o lucro dos gaúchos é imenso, após levá-lo numa intrincada transação ao fim de seu vínculo com o Santos. O clube ganha um bom dinheiro para acertar suas contas e tem a adição recente de Wesley Moraes para a posição, apesar da perda de um grande talento.

Yuri Alberto deve ser trabalhado com calma no Zenit. O clube ainda conta com o veterano Artem Dzyuba no setor e contratou nesta janela também Ivan Sergeev, que estava no Krylya Sovetov. De qualquer maneira, o brasileiro é um investimento para ser protagonista dos celestes no Campeonato Russo e nas competições europeias. É a oitava contratação mais cara já feita pelo clube. Além da chance de explodir na Europa, Yuri Alberto deve ter consciência de que a diretoria do Zenit não costuma negociar com facilidade seus principais jogadores. Se quiser ir para um centro maior, precisará se valorizar a ponto de alguém bancar a pedida.

O ambiente interno, pelo menos, deve contribuir nessa adaptação de Yuri Alberto. A legião brasileira é forte no Zenit, com a companhia de Malcom, Wendel, Douglas Santos e Claudinho. A forma como Claudinho emplacou rapidamente depois de sair do Red Bull Bragantino, aliás, pode ter influenciado na maneira como os celestes voltam a olhar para o mercado brasileiro. Parecem fazer um ótimo negócio, dada a margem de ascensão do centroavante para os próximos anos.

O Zenit lidera o Campeonato Russo e disputará os 16-avos de final da Liga Europa, contra o Betis. É uma equipe estável e que se mostra competitiva em repetidos anos, por mais que não tenha causado o impacto esperado na Champions League. Yuri Alberto é mais um motivo para os celestes se consolidarem. Tem bola para se tornar um dos principais centroavantes brasileiros nos próximos anos, assim como pouca idade para amadurecer cada vez mais em alto nível.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo