Leste Europeu

O time do momento na Rússia

A sequência é impressionante. Nos últimos 11 jogos o Dynamo Moscou venceu nove deles. Sofreu uma derrota inesperada para o Kuban e outra em um jogo duro para o Anzhi Makhachkala. Fora isso, passou por todos seus rivais moscovitas com autoridade e, hoje, é o melhor time do Campeonato Russo.

Com 47 pontos após 24 rodadas, o Dynamo se igualou em pontos ao CSKA, mas fica à frente no primeiro critério de desempate – número de vitórias. Tem dois pontos a menos que o Zenit São Petersburgo e já visualiza o confronto em Moscou no próximo dia 14, daqui duas rodadas. Até lá, não deve ter trabalho contra Krylya Sovetov e Krasnodar.

No início da competição, o Dynamo era visto com suspeitas. O time no papel era bom, mas vinha de uma temporada ruim. Além disso, a disputa com Zenit e CSKA, os dois grandes favoritos, parecia desigual. O primeiro tem o elenco que melhor reúne qualidade e quantidade na competição, enquanto o segundo é uma das bases da seleção russa e tem um ataque muito perigoso.

Aliado a isso, Kevin Kuraniy, a grande contratação do ano passado, ainda não tinha brilhado. Andriy Voronin nem parecia o mesmo jogador de anos atrás. Igor Semshov, no meio, estava sendo muito criticado. No gol, Anton Shunin parecia que nunca deixaria de ser uma promessa. E todos, sob o comando de Miodrag Bozovic, tiveram um início péssimo no Russão. Nas dez primeiras partidas, quatro empates e três derrotas.

Com isso, o comandante montenegrino caiu e foi substituído interinamente por Sergey Silkin. Aos 50 anos, o ex-jogador mediano ganhou a chance de se afirmar como treinador principal, após muitos anos trabalhando nas comissões técnicas do clube. E ele não desperdiçou.

Silkin montou um time ofensivo e devolveu a confiança a seus principais jogadores. Semshov, Voronin e Kuraniy já marcaram juntos 28 gols. Shunin voltou a ser convocado para a seleção russa e é um dos melhores goleiros da temporada. Além disso, Aleksandr Kokorin se tornou uma excelente peça no meio. A linha de defensores está extremamente bem estabelecida com Luke Wilkshire, Leandro Fernández, Vladimir Granat e Marko Lomic.

Assim, o Dynamo Moscou vem surpreendendo a cada rodada e sonha com o inédito título russo. A tradicional equipe moscovita nunca venceu o campeonato nacional desde o fim da União Soviética. No período vermelho do país, foram 11 títulos soviéticos, atrás apenas de Dynamo Kiev e Spartak Moscou – bons e velhos tempos com Lev Yashin. Fora seis Copas da URSS… desde então, apenas uma Copa da Rússia, no longínquo ano de 1995.

No meio desta semana a boa fase da equipe eliminou o Anzhi da Copa, resultado que diminuiu consideravelmente as chances de um título do novo rico nesta temporada e mantém o Dynamo na briga pela taça.

Como o Russão ainda tem chão pela frente – vale lembrar: estamos na temporada de adaptação ao calendário europeu, por isso teremos outros dois turnos no primeiro semestre de 2012 – é impossível apontar um único favorito ao título. Mas, no mínimo, o Dynamo Moscou entrou nesse grupo. Algo, por exemplo, que o Anzhi pretendia com a chegada de Samuel Eto'o, mas que em campo ainda não tem demonstrado.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo