Leste Europeu

O sucesso previsto do Zenit St. Petersburg

A chegada do Zenit St. Petersburg à final da Copa Uefa despertou muita curiosidade da mídia brasileira. Demonstrou, também, o quão despreparada ela está para encarar surpresas no futebol internacional. Afinal, falar somente de Manchester United, Real Madrid, Internazionale é fácil. Por isso, comentários como “o Zenit é o Corinthians Alagoano da Copa Uefa” foram proferidos e por aí vai.

O Zenit não é zebra. Pode ser uma surpresa, mas está longe de ser uma zebra. Tanto que, agora, após terem visto alguns jogos do time, a maioria dos jornalistas é quase unânime em apontar o time russo favorito na decisão contra o Glasgow Rangers, no próximo dia 14.

Atual campeão russo, o Zenit possui um dos maiores investimentos do mundo em um clube de futebol. Por trás, a gigante Gazprom, maior companhia de gás natural do planeta, principal fornecedora do produto para a Europa e uma das potências mercadológicas atuais.

Nos últimos três anos, o investimento da empresa tem crescido demasiadamente no clube. O poder da Gazprom na Rússia é tão grande, que seu ex-diretor, Dmitry Medvedev, venceu as eleições russas recentemente e nesta semana assumiu o poder de Vladimir Putin, de quem é aliado. A explicação do investimento passa pela necessidade de expansão da marca para o continente europeu, aliado a motivos não muito bem explicados.

De qualquer modo, os dirigentes do Zenit souberam aplicar bem esse dinheiro. Antes de saírem contratando jogadores à esmo, de diversas partes do planeta, foram atrás de um técnico com nome e prestígio internacional. Assim, Dick Advocaat já está há dois anos na direção da equipe.

Sob sua orientação, a diretoria buscou atletas eficientes e pagou algumas fortunas por eles. Bons exemplos são o zagueiro belga Nicolas Lombaerts, o volante ucraniano Anatoliy Tymoschuk e os atacantes Fatih Tekke (turco) e Alejandro Domínguez (argentino).

Aliado a isso, o clube não se esqueceu dos jogadores russos. Contratou alguns experientes, como Konstantin Zyrianov, e jovens promessas, caso de Viktor Fayzulin. Fora o goleiro Vyacheslav Malafeev e os avantes Andrei Arshavin e Pavel Pogrebnyak, todos da seleção nacional, e que já estavam no time antes da chegada de Advocaat.

Ou seja, o clube conseguiu montar um time forte que, apesar de não ser uma Torre de Babel, tem larga experiência internacional, atletas talentosos e um bom comando. Na prática, os investimentos já deram resultado – vide o título russo do ano passado. A expectativa da diretoria era que, em termos internacionais, a primeira grande participação do Zenit fosse a próxima Liga dos Campeões, para a qual já está classificado para a fase de grupos.

No entanto, o futebol de alto nível apresentado contra adversários como Villarreal-ESP, Olympique de Marselha-FRA, Bayer Leverkusen-ALE e por fim o todo poderoso Bayern de Munique credenciaram a equipe a sonhar alto já nesta temporada.

Vale lembrar que o Zenit St. Petersburg não é um time qualquer da Rússia. Pode não ter a mesma história e tamanho de um Spartak Moscou, por exemplo, mas está entre os grandes do país. Trata-se da principal equipe da segunda maior cidade da Rússia, antiga capital do Império e centro cultural da nação.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo