Leste Europeu

Numa decisão de peso, o Spartak venceu o Dínamo Moscou e faturou a Copa da Rússia depois de 19 anos

O Dinamo ainda teve a chance de empatar num pênalti desperdiçado aos 53 do segundo tempo e segue em jejum desde 1995

De uma forma ou de outra, a Copa da Rússia encerraria um longo jejum nesta temporada. Spartak Moscou e Dínamo Moscou compõem uma das rivalidades mais antigas do país, desde os tempos de União Soviética, e repetiam uma decisão simbólica que não acontecia desde 1950. Os alvirrubros não faturavam o torneio desde 2003, embora tivessem um título da liga neste intervalo. Já os alviazuis não ganharam um troféu sequer desde que conquistaram a copa em 1995. E vão ter que esperar um pouco mais. O Spartak ampliou a seca do Dínamo com a vitória por 2 a 1 no Estádio Luzhniki, que encerra seus 19 anos de hiato sem a Copa da Rússia.

O Spartak Moscou é o maior vencedor das copas no país, somando os tempos de União Soviética e Rússia. Foram 10 taças soviéticas e mais quatro russas. Apesar disso, as duas últimas décadas guardaram uma seca aos alvirrubros e eles não disputavam a final da competição desde 2006. Ao menos, tiveram a liga em 2016/17 para se contentar. Já o Dínamo Moscou levou a copa sete vezes, mas só uma na Rússia, em 1995. Desde então, o tradicional clube não teve mais qualquer conquista. Nesta temporada, os alviazuis chegaram a competir com o Zenit pelo fim do jejum de 46 anos na liga nacional, mas perderam fôlego no fim e caíram para a terceira posição. A decisão no Luzhniki era o prêmio de consolação que não se confirmou.

O Spartak abriu o placar logo aos dez minutos, numa escapada de Aleksandr Sobolev por entre os zagueiros, após grande passe de Mikhail Ignatov. O empate do Dínamo saiu aos dez do segundo tempo, num tiro desviado de Arsen Zakharyan. Porém, os alvirrubros retomaram a vantagem aos 27, num contra-ataque concluído por Quincy Promes. Os alviazuis ainda tiveram a chance de igualar num pênalti cobrado aos 53 do segundo tempo. Daniil Fomin isolou por cima do travessão e permitiu a comemoração dos rivais.

A conquista da Copa da Rússia atenua uma temporada decepcionante do Spartak no Campeonato Russo. Os alvirrubros terminaram no modesto décimo lugar, seis pontos acima dos playoffs de rebaixamento. A equipe demitiu Rui Vitória em dezembro, mas o substituto Paolo Vanoli (antigo assistente de Antonio Conte) não conseguiu uma guinada na liga. Ao menos, aproveitou o terreno aberto na copa para se consagrar. Contudo, com a punição aos clubes russos nas competições europeias, os moscovitas não recebem qualquer vaga na Uefa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo