Leste Europeu

Muito mais do que uma zebra

Além de deixar o grupo F da Liga dos Campeões completamente embolado, a fantástica vitória por 2 a 1 do Rubin Kazan sobre o Barcelona, nesta terça-feira, no Estádio Camp Nou certamente será lembrada pelos torcedores kazanianos por muitos anos, e por várias razões. E pelos comentaristas, casas de apostas, filósofos da bola, espanhóis, russos, gregos e troianos que tiveram seus prognósticos derrubados, também.

Dizer que foi uma zebraça, parecida com a que o Cluj aprontou com a Roma na temporada passada, é dizer o óbvio. O que foi pouco ressaltado após o jogo, porém, é que se trata do maior momento dos 51 anos de história dos Tártaros, que estrearam na primeira divisão de seu país em 2003, conquistaram seu primeiro título nacional no ano passado, e, antes desta terça-feira, nunca havia vencido uma partida sequer na história da Liga dos Campeões.

O adversário da partida dispensa maiores apresentações e valoriza o feito. Atual campeão europeu e espanhol, o Barça estava invicto há nove partidas no torneio, e, se considerarmos que a última derrota foi contra o Shakhtar Donetsk, na temporada passada, é necessário dizer também que a equipe atuou com o time reserva naquela partida, pois já estava classificada para a segunda fase. Antes disso, a última derrota dos culés em casa havia sido para o Liverpool, em 21 de fevereiro de 2007.

No jogo, em si, o Rubin saiu na frente com o golaço de Alexander Ryazantsev, logo aos dois minutos, com um belíssimo chute de fora da área. Depois, teve o mérito de se defender bem, com a habitual consistência tática, e não se apavoraram o empate, sofrido ainda no primeiro tempo. O gol da vitória surgiu em um contra ataque puxado por Alejandro Domínguez, que é, disparado, o melhor jogador dos Tártaros até agora na competição. Ele avançou com a bola pelo meio-de-campo e deu belíssimo passe para Gokdeniz Karadeniz, que, na cara de Victor Valdés, tocou para as redes.

A vitória mostra a força da equipe russa quando atua fora de casa. No Campeonato Nacional, o Rubin só perdeu, até agora, uma partida atuando longe de seus domínios, contra o Lokomotiv Moscou, pela 24ª rodada e somou 25 dos seus 50 pontos conquistados até aqui, com um impressionante aproveitamento de 68%. Quem fica um pouco “triste” com isso é a torcida do clube, que apenas acompanha seus feitos pela televisão, e sofre com algumas derrotas da equipe em Kazan.

Com o resultado, os russos saíram da lanterna da chave – agora ocupada pela Inter de Milão – para a terceira posição, com os mesmos quatro pontos de Barcelona e Dynamo Kiev, mas em desvantagem no saldo de gols. E a próxima partida, contra o Barcelona em Kazan, é fundamental para as pretensões do Rubin na competição, pois o Barça vai querer devolver o placar, e precisa disso para se manter com tranquilidade na liderança da chave.

Isso porque, no outro jogo do grupo, o Dynamo Kiev também aprontou para cima da Inter de Milão e arrancou um empate por 2 a 2, no Giuseppe Meazza. Os gols dos ucranianos foram marcados por Taras Mikhalik, cobrando falta, e Lúcio (contra), enquanto os nerazzurri empataram com Stankovic e Walter Samuel. O próximo jogo entre as duas equipes será em Kiev, e o Dynamo pode se aproveitar do fato de a Inter estar com a faca no pescoço e ter que vencer o jogo de qualquer maneira para se manter no páreo.

CSKA perde no finzinho

Nesta quarta-feira, no estádio Luzhniki, o CSKA resistiu bravamente às investidas do Manchester United durante 85 minutos, e tudo indicava que o jogo terminaria em um insosso empate sem gols. Mas o equatoriano Valencia espantou a zebra e marcou o gol da vitória dos Red Devils, que estão na liderança isolada do grupo B, com 9 pontos em três jogos e estão praticamente garantidos na segunda fase.

Os russos estão na terceira posição, com três pontos, um a menos que o Wolfsburg, que não passou de um empate sem gols com o Besiktas no Volkswagen Arena. Na próxima rodada, os confrontos se repetem, mas com mando de campo invertido, e uma derrota em Old Trafford poderá complicar de vez a vida do CSKA, caso os alemães vençam a partida em Istambul. Se os turcos vencerem, o grupo embola de vez e a definição sobre o segundo colocado só sairá na última partida.

Rodolfo na seleção Russa?

Depois do atacante Welliton, do Spartak Moscou, ter admitido a possibilidade de jogar pela seleção russa, o zagueiro Rodolfo, do Lokomotiv, foi perguntado sobre o mesmo assunto pela imprensa local. No Loko desde 2007, Rodolfo assumiu a faixa de capitão do clube após a transferência de Diniyar Bilyaletdinov para o Everton, e é um dos ídolos da torcida. Sua hipotética naturalização, e eventual presença na equipe de Guus Hiddink, é entendida no país como um reforço substancial para uma defesa instável e carente de bons valores individuais.

Sua resposta foi bastante diplomática: ““Me sinto meio brasileiro e meio russo, pelo tempo que estou aqui e pelo respeito que conquistei pelos russos. Mas, embora saiba as dificuldades, ainda sonho com uma convocação para a seleção brasileira”, disse o zagueiro, que defendeu a seleção olímpica em 2004. No Brasil, ele sofre com uma concorrência acirrada no setor e jamais foi lembrado por Dunga. Ele também afirmou torcer pela convocação de Alex, meia do Spartak Moscou, para a Copa do Mundo de 2010.

Os dois se enfrentaram no último domingo, e o ex-Colorado levou a melhor. O Spartak venceu por 3 a 0, com um gol de Welliton, que se isolou ainda mais na artilharia da competição com 17 tentos marcados. Quem brilhou na partida, porém, foi o teenager georgiano Zhano Ananidze, que abriu o placar, fez o passe para o gol de Welliton, e incomodou a boa defesa do Loko durante toda a partida. O meia Renat Sabitov completou o placar.

Com o resultado, o Spartacus segue na cola do Rubin, que jogou com um time misto venceu o praticamente rebaixado Khimki por 2 a 1, com gols de Alan Kasaev e Hasan Kabze. Os kazanianos chegaram a 50 pontos, um a mais do que o rival e quatro a mais do que o Zenit, que, com gols de Vladimir Bystrov e Alessandro Rosina, venceu o Kuban por 2 a 0 e aumentou para seis o número de vitórias seguidas. O CSKA, por sua vez, empatou por 1 a 1 com o Spartak Nalchik e parece ter dado adeus à disputa pelo título.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo