Leste Europeu

Mudança de planos

Todos já estão cansados de saber: esta é a temporada de adaptação do calendário russo ao europeu. Por conta disso, o campeonato começou em março do ano passado, parou em dezembro devido ao inverno, voltou no início deste mês e terminará em maio. Além disso, teve o turno e o returno disputados em 2011 e agora, em 2012, uma fase final com os oito primeiros colocados em mais dois turnos e os demais lutando contra o rebaixamento. Na próxima temporada, 2012/13, a Rússia já estaria adaptada ao restante da Europa e sua principal competição retomaria o formato tradicional, utilizado desde a criação do Campeonato Russo, em 1992. Ou não.

Nesta semana, o presidente da Federação Russa, Sergey Fursenko, afirmou, categoricamente, que o próximo Russão terá uma fase final, como a atual. Não é algo oficial, mas pelas palavras do dirigente, bem provável. Confira o diálogo com o Sovietsky Sport.

“Gosto do alto nível de competição que estamos vendo nesta temporada e posso dizer que pretendemos propor um projeto wuer atraia ainda mais o interesse do público. Isso está planejado para a próxima temporada”, garantiu Fursenko. Questionado se esse projeto é a introdução definitiva dos play-offs, ele respondeu: “Correto. Não divulgarei mais detalhes, mas é uma opção que estamos explorando e pode ser introduzida na temporada 2012/13”.

A declaração, logicamente, repercutiu demais. O primeiro a sair em defesa da proposta foi Leonid Fedun, presidente do Spartak Moscou.

“Proponho fazer o seguinte: os quatro primeiros colocados jogam mais uma rodada para definir a colocação final. Então cada um faria mais seis jogos e teríamos o campeão. Os quatro seguintes disputariam uma vaga na Liga Europa e os quatro últimos lutariam pela permanência na primeira divisão. É uma ótima proposta os play-offs. Apóio fortemente isso ao final da temporada”, afirmou à agência de notícias Ria Novosti.

Há, no entanto, aqueles que não gostaram tanto assim da ideia. Logicamente, alguém que seria obrigado a correr bem mais durante a temporada: um jogador. “Precisamos de play-offs? É uma questão difícil. O campeonato já é duro, se tivermos play-offs isso significará mais jogos, uma carga extra para os times”, disse Diniyar Bilyaletdinov, também à Ria Novosti.

Mas houve, nesse primeiro momento, um dirigente que se levantou contrário à sugestão: Maksim Mitrofanov, diretor Geral do Zenit São Petersburgo, que na verdade não acreditou muito na história. “Até onde sabemos, não há qualquer atividade nesa direção, as instituições do futebol russo não estão considerando o sistema de play-offs para a próxima temporada. Portanto, não há o que comentar”, declarou o dirigente ao Sport-Express.

Para a introdução definitiva dos play-offs no calendário russo, as equipes realmente disputariam mais jogos. Se o formato antigo fosse mantido, cada time disputaria no máximo 30 jogos pelo Russão. Com a ideia proposta por Fedun, por exemplo, seriam pelo menos 36. Vale lembrar que temos ainda a Copa da Rússia, que já segue o calendário europeu há muitos anos, a Supercopa e as competições europeias.

Fursenko, Fedun e todas as outras pessoas que sugerem esse formato se inspiram, ou devem olhar pelo menos, para os campeonatos de Holanda e Bélgica. Na Eredivisie, 18 times estão na primeira divisão, com os quatro primeiros garantindo vagas na Europa e os quatro seguintes fazendo um play-off pela Liga Europa – há também a disputa extra contra o rebaixamento. Já na Jupiler League, com 16 clubes, os seis primeiros vão para os play-offs de título, os dois últimos para a luta contra a queda e os demais se digladiam pela Liga Europa.

A imprensa russa, então, foi ouvir a opinião de um russo que conhece muito bem as duas competições. Dmitriy Bulykin, veterano atacante de 32 anos, já defendeu Anderlecht, ADO Den Haag e atualmente veste o uniforme do Ajax. “Na minha carreira, disputei duas vezes os play-offs, com Anderlecht e Den Haag. Eu acho uma boa. Jogadores ficam mobilizados ao extremo, a torcida sente isso e aumenta o público. No entanto, por causa da possibilidade de play-offs, os jogadores normalmente não podem programar suas férias com antecedência. Há uma certa incerteza quanto a isso. Mas é algo importante sim, aumenta o interesse do campeonato. Na Rússia, com o calendário outono-primavera é apropriado. Em abril e maio sempre temos bons campos no país. Eu defendo essa ideia”, garantiu Bulykin ao Sovietsky Sport.

Colocadas algumas opiniões e explicado o tema, vamos ao que eu acho:

Não gosto da ideia de play-offs no campeonato nacional. Sou defensor dos pontos corridos para essa competição, deixando mata-mata para as Copas. Um play-off poderia classificar um time para a fase final coom campanha muito irregular e, com boa dose de sorte, desbancar uma equipe que tenha feito uma temporada sensacional.

Além disso, me preocupa a questão do calendário. Citei acima as competições existentes para os clubes russos, mas há ainda o calendário das seleções, que já é muito puxado. Nesta temporada a Rússia teve mais alguns meses para a disputa da competição, o que não terá nas próximas e, consequentemente, espremerá mais as partidas. Todo o mundo do futebol caminha para discussões sobre a diminuição do número de jogos, algo que valoriza o espetáculo principalmente por preservar os atletas. Qualquer proposta que vise o contrário vai contra a evolução do esporte também.

Certamente o assunto renderá demais nos próximos dias (talvez meses), mas conhecendo o modus operandi dos dirigentes russo, diria que já é assunto encerrado.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo